Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Em Berlim, trio mineiro será uma das atrações do Psicotrópicos Festival, no mês que vem

DJ Anderson Noise, tecladista do Skank, Henrique Portugal, e o baixista do Skanl, Lelo Zanetti, vão apresentar trabalho autoral do Nie Meyer


postado em 19/02/2020 04:00

(foto: Samira Mota/Divulgação )
(foto: Samira Mota/Divulgação )




NO BARETTO
VIVA O CLUBE DA ESQUINA

Bárbara Barcellos faz homenagem ao Clube da Esquina em show amanhã, no Baretto, o bar do Hotel Fasano, em Lourdes. Telo Borges, no piano, Enéias, no contrabaixo acústico, e Cyrano na bateria, acompanham a cantora.


EM BERLIM
O DJ E OS MÚSICOS

Anderson Noise, Henrique Portugal e Lelo Zanetti, que formam o trio Nie Myer, estão confirmados no Psicotrópicos Festival, evento de arte brasileira em Berlim, no mês que vem. “Com gente nova olhando para o nosso som, estaremos vivos e em atividade produtiva. O equilíbrio vem justamente quando estamos nos movimentando. Seguimos em frente, alimentando a música e nos alimentando dela”, observa Lelo Zanetti, com expectativa para o festival.
 
 
LÔ BORGES
DÍNAMO NO TEATRO

Dínamo, álbum mais recente de Lô Borges, será lançado em 27 de março, no Grande Teatro do Sesc Palladium. No repertório, 10 canções inéditas, parceria com Makely Ka, além de sucessos da carreira solo e do Clube da Esquina. Assim como em Rio da lua, trabalho com Nelson Angelo, Lô usou aplicativo de mensagens na troca de ideias e inspirações. Quando as letras de Makely chegavam por WhatsApp, Lô pegava o violão e criava a melodia.

NO CCBB
VAIVÉM NAS REDES

Presente em obras de Tarsila do Amaral e Cândido Portinari, no trabalho da nova geração de artistas, a rede de descanso é tema de Vaivém, próxima exposição do CCBB BH. A partir de 11 de março, o público mineiro poderá conferir mais de 300 obras de 141 artistas (entre eles, 32 indígenas) que vão ocupar o terceiro andar e o pátio do centro cultural. Pinturas, esculturas, instalações, performances, fotografias, vídeos, revistas em quadrinhos e documentos serão divididos em seis núcleos que transitam pela história da cultura e da arte, propondo uma ressignificação de estereótipos. Um dos destaques vai para a instalação interativa Rede social, um verdadeiro convite a desacelerar. A mostra fica em cartaz até 18 de maio e tem curadoria do historiador e crítico da arte Raphael Fonseca, que também é curador do Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC – Niterói).

CIRCUITO LIBERDADE
AO MUSEU MINEIRO

O acervo artístico do Museu Mineiro, que integra o Circuito Liberdade, será ampliado ainda este ano, com a doação de inventário com mais de 40 obras sacras. A iniciativa partiu da associação Amigas da Cultura, entidade criada em 1953. Ao todo, são 44 obras, cedidas ao museu em caráter de comodato desde 2001 e que agora fazem parte do acervo permanente do Museu Mineiro, podendo ser vistas em diferentes exposições. A doação do acervo representa importante aquisição para o museu, que passa a contar com produções que retratam a religiosidade e as crenças mineiras e brasileiras, em diferentes formatos, como pinturas e esculturas.


Tamara Palhares no baile de carnaval do Fasano(foto: BS Fotografia)
Tamara Palhares no baile de carnaval do Fasano (foto: BS Fotografia)




Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade