Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas HIT

'Grandes encontros da MPB', atração de janeiro no Sesc Palladium

O diretor Sérgio Módena revela curiosidades da produção, que tem roteiro de Pedro Brício e figurino de Karen Brusttolin


postado em 04/01/2020 04:00

(foto: Gustavo Wabner/Divulgação)
(foto: Gustavo Wabner/Divulgação)

Sérgio Módena, diretor do espetáculo Grandes encontros da MPB, que chega em 17 e 18 de janeiro ao Sesc Palladium, fala sobre a complexidade do projeto: “Abraçar praticamente toda a história da música brasileira requer um processo de pesquisa minucioso e cuidado imenso ao amarrar o roteiro. Precisávamos traçar uma linha do tempo dos anos 1950 até os dias atuais.” Pedro Brício criou o roteiro inicial. “Porém, na sala de ensaios, vieram mudanças para tudo ficar de acordo com o arco dramático da narrativa”, acrescenta Módena.

• • •

Grandes encontros da MPB faz um passeio pela história da música brasileira, passando por bossa nova, festivais, Clube da Esquina, música nordestina, samba e rock. “Obviamente, sabemos que não estamos retratando todas as parcerias importantes de nossa música. É uma escolha, um recorte apenas. Podemos fazer Grandes encontros 2 ou 3, pois canção é o que não vai faltar. Imagine a riqueza de ter Luiz Gonzaga, Tom Jobim, Elis Regina, Pixinguinha e Titãs no mesmo espetáculo”, diz Sérgio.

• • •

O cenário e figurino exigiram criatividade. “Pedi à cenógrafa Dina Salem Levy que pensasse em um cenário que dançasse com o elenco e com as músicas. A ideia da arquitetura abstrata que se transforma em diversos ambientes em constante movimento é uma das grandes caraterísticas da encenação”, afirma Sérgio. Assinado por Karen Brusttolin, o figurino artesanal tem pegada pop art, elementos circenses e bastante cor. “Cada ator tem figurino fixo com efeito de camadas, que se desconstroem de acordo as cenas. As peças são personalizadas para dar mais dinamismo aos atores. As trocas de roupas são marcadas com elementos cênicos para deixar o espetáculo mais teatral. O figurino foi totalmente elaborado com o reaproveitamento de tecidos e aviamentos. Reciclei e transformei peças escolhidas em acervos e brechós”, explica Karen. O elenco reúne Ariane Souza, Bruna Pazinato, Édio Nunes, Franco Kuster, Júlia Gorman e Thiago Machado.

BAILE DE MÁSCARAS
VIRADA COM ESTILO

Leca Novo e Juliano Arantes fugiram do lugar-comum e armaram um réveillon com estilo. Como o casal não queria viajar, decidiu chamar os amigos para seu baile de máscaras. “Decidimos fazer a nossa festa”, comenta a fotógrafa. Ela conta que as mulheres foram as mais animadas, enquanto alguns ficaram com preguiça de se fantasiar, preferindo máscaras e figurino alinhado. O resultado foi tão bom que Leca e Juliano pensam em nova edição para a virada 2020/2021. “Parece que quem não veio ficou com ciúme”, diz a dona da festa. Bem-humorada, ela garante que, ao contrário de Inhotim, onde a produção do Mega New Year pecou pelo bufê escasso, sobrou comida em seu baile.

NO CARIBE
TALENTO LOCAL

Uma atração cultural acaba de ser inaugurada em Anguilla, no Caribe: a Q Art Gallery, no Quintessence Hotel, localizado na praia de areias brancas de Long Bay, em West End. As obras em exposição fazem parte do acervo pessoal de Geoffrey Fieger, proprietário do hotel. São quadros, esculturas, gravuras, livros e antiguidades de renomados artistas e pintores caribenhos. O acervo inclui a maior coleção de arte haitiana em exibição fora daquele país.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade