Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO NOLASCO

À exceção de alguns municípios, todo o interior de Minas Gerais é azul

Mesmo na pior fase de nossa história, os torcedores estão lá, com camisas, adesivos, bandeiras e outras formas de demonstrar a paixão pelo Maior de Minas


13/10/2021 04:00 - atualizado 13/10/2021 07:41

Goleiro Fábio
Uma das boas notícias para a temporada de 2022 no Cruzeiro foi a renovação do contrato do goleiro Fábio, ídolo da torcida (foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro)

Bruno Bueno*

O trabalho de Vanderlei Luxemburgo começa a surtir efeito. Os amontoados que víamos em campo com Felipe Conceição, Mozart e outros experimentos malsucedidos dão lugar a um time com algum padrão tático e uma postura de equipe grande, que há muito não víamos.

Desde 2018, não víamos o Cruzeiro ir pra cima de um adversário da forma como aconteceu contra o Coritiba na sexta-feira passada. O torcedor voltou a ver jogadores se apoiando e se cobrando em campo, espírito de luta e disciplina tática. Para coroar a excelente atuação, nosso grande ídolo Fábio defende um pênalti, consolidando a vitória no Couto Pereira.

Sabemos que tropeços ainda virão e que a subida para a Série A este ano é bastante improvável. Luxa precisa ter tempo e tranquilidade para trabalhar, para dispensar quem não se enquadra em sua filosofia de trabalho e autonomia para indicar novas peças para 2022. Já temos o principal ponto de partida para qualquer time vitorioso: o melhor goleiro do Brasil veste a camisa 1 do Cabuloso.

Marcelo Moreno também tem que ficar. Além de amar o Cruzeiro e ter uma humildade exemplar, é um artilheiro internacional que não precisa provar nada a ninguém. Artilheiro das Eliminatórias da Copa, tem mais gols que Neymar e Messi. Precisamos, ainda, manter jogadores importantes para um elenco cascudo, que garanta nossa volta à elite do futebol. Atletas comprometidos, que não se entregam nunca, como Bruno José, Giovanni, Brock e Ramon, são úteis a qualquer equipe, especialmente em uma competição brigada como a Série B.

Outro pedido que o torcedor celeste tem feito diariamente é por uma diretoria que honre seus compromissos com atletas e funcionários, pagando salários em dia e não fazendo contratações fora da nova e lamentável realidade financeira do clube. Pagar em dia e cumprir aquilo que assina é o básico esperado de qualquer gestor, seja de uma padaria ou do maior clube de futebol de Minas Gerais. Se não for assim, o melhor é pegar o boné e passar o bastão para gente mais competente.

Também seguimos aguardando que o marketing do Cruzeiro lance produtos temáticos do Fábio para que os cruzeirenses, sobretudo das novas gerações, possam alimentar a admiração pelo grande ídolo do time. E que o programa do Sócio volte a funcionar como antes, na época em que era coordenado pelo competente Bernardo Mota, valorizando e respeitando o torcedor que apoia o time, nas boas e nas más.

Escrevo esta crônica da bela cidade de Araxá. É impressionante como qualquer ida ao interior de Minas nos lembra quem é o verdadeiro dono do estado. Mesmo na pior fase de nossa história, os torcedores estão lá, com camisas, adesivos, bandeiras, chaveiros e outras formas de demonstrar a paixão pelo Maior de Minas. Talvez à exceção de alguns municípios da Zona da Mata, do extremo Sul e do Triângulo, todo o interior é azul.

Apesar disso, o rival não cansa de surpreender e lança uma camisa oficial com o desenho do mapa de Minas, mesmo tendo torcida apenas em Belo Horizonte. É tão descabido como se o Cruzeiro lançasse uma camisa temática de Marte, querendo dizer que temos torcida lá.

*Jornalista, cruzeirense nas boas e nas más. Escrevendo esta crônica a convite do colunista Gustavo Nolasco.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade