Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLÍTICA

Ministro Queiroga diz que não é censor de Bolsonaro, mas defende máscara

Titular da Saúde afirma que recomenda ao presidente da República cumprir medidas contra COVID, como proteção facial e distanciamento social


09/06/2021 04:00 - atualizado 09/06/2021 07:09

Marcelo Queiroga prestou seu segundo depoimento à CPI da COVID(foto: Agência Senado)
Marcelo Queiroga prestou seu segundo depoimento à CPI da COVID (foto: Agência Senado)

 

“Sou ministro da Saúde, não sou censor do presidente da República. Faço parte de um governo, presidente não é julgado pelo ministro da Saúde. As recomendações sanitárias estão postas, cabe a todos aderirem a essas recomendações.

 

A minha primeira atitude foi editar uma portaria para obrigar o uso de máscara no Ministério da Saúde.” Quem deixou claro e objetivo foi nada menos que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Foi durante a sua segunda participação em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da COVID.

 

“A mim cabe harmonizar esse contexto para que tenhamos uma posição mais pacífica.  Eu entendo que essas discussões são mais laterais e pouco contribuem para acabar com o caráter pandêmico. O que vai colocar fim ao caráter pandêmico dessa doença é a vacinação”, ainda do ministro.

 

Só que teve o vídeo com cenas do presidente sem máscara e suas participações com direito a várias aglomerações. “Eu sou ministro da Saúde, não sou censor do presidente”, não conseguiu despistar Queiroga. Os ministros Omar Aziz (PSD-AM) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP) deixaram claro para ele e todo mundo: “As imagens falam por si só”.

 

Melhor então mudar de assunto. “Os governadores estão dizendo que, em dois ou três meses, a população brasileira adulta estará toda vacinada. Então, vamos renovar por dois ou três meses o auxílio emergencial, e logo depois entra, então, o novo Bolsa-Família, já reforçado”.

 

O fato é que o ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou que o governo vai estender o auxílio emergencial por, pelo menos, mais dois ou três meses. Ou seja, até que toda a população adulta esteja vacinada, de acordo com ele.

 

Paulo Guedes trouxe ainda a previsão do crescimento econômico. O Produto Interno Bruto (PIB) deve crescer entre 4% e 5% neste ano. Ele se baseou nas estimativas do mercado financeiro.

 

Semana passada, economistas dos bancos projetaram expansão da economia de 4,36% em 2021. O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos numa economia durante certo período. O fato é que até mesmo o Banco Mundial estima que a economia brasileira deve crescer 4,5% este ano.

 

Voltando ao ministro Marcelo Queiroga, um último registro: “Enquanto o presidente da República mantiver a confiança que tem em mim, estarei à disposição do governo e da sociedade brasileira”. Sendo assim, o melhor a fazer é exonerar esta novela toda. Já bastou por hoje.

 

Enigmático

Trata-se de um resultado emblemático em termos de negociação envolvendo os direitos de pessoas atingidas por barragens, porque, ao levar em conta o princípio da centralidade do sofrimento dos atingidos como eixo norteador de todas as suas cláusulas, conseguiu alcançar critérios de reparação bastante favoráveis, em termos de justiça material e moral relacionada a conflitos socioambientais envolvendo a atividade de mineração. Entendeu? Nem eu.

 

Vale clarear

O fato é que a mineradora Arcelor Mittal assinou acordo para indenizar e reparar de forma integral os danos causados para os moradores de Itatiaiuçu, na Grande BH. Há famílias que estão fora de suas casas desde fevereiro de 2019, por causa dos riscos de rompimento de uma barragem. Centenas de pessoas já foram afetadas pelas remoções na região. A mineradora afirma que faz monitoramento 24 horas por dia e não tem havido alterações nos indicadores de segurança.

 

Fim da novela

Ou melhor, quase. O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados aprovou ontem, por 16 votos a um, o parecer pela cassação do mandato da deputada Flordelis (PSD-RJ) (foto) por quebra de decoro parlamentar. A deputada é acusada de ser a mandante do assassinato do marido, pastor Anderson do Carmo. O único voto contrário à cassação foi do deputado Márcio Labre (PSL-RJ). Agora, só falta a votação no plenário da Câmara dos Deputados. Quando será, ninguém sabe ainda.

 

É urgente

O último requerimento de convocação é para o presidente afastado da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) Rogério Caboclo. O senador Randolfe Rodrigues quer ouvi-lo sobre a realização da Copa América, marcada para começar em 13 de junho, isso mesmo, no domingo que vem. “O evento será sediado no Brasil, país que tem mais de 460 mil óbitos pela COVID-19, ocupa o segundo lugar do mundo em número de mortes e está na iminência de uma terceira onda da doença.” Quem faz a crítica pertinente é o senador, cujo partido é o Rede Sustentabilidade, Randolfe Rodrigues.

 

A parceria

“Com a desoneração, inclusive, das exportações, o Brasil é um dos poucos lugares que exportam imposto. É um absurdo.” Quem reclama é o senador Roberto Rocha (PSDB-MA). Ele preside a Comissão Mista da Reforma Tributária, que inclui senadores e deputados. Foi em evento realizado pelos Diários Associados, que tem como parceira a Confederação Nacional da Indústria (CNI). O detalhe que chamou a atenção foi quando o tucano ressaltou a teoria do “copo meio cheio ou do copo meio vazio”.

 

PINGA FOGO

 

  • E finalizou o senador Roberto Rocha (PSDB-MA), da nota A parceria, dizendo: “Acho que devemos começar pelo copo meio cheio, retomar o diálogo com os poderes”. Encerrou trazendo a preservação do Simples e da desoneração na Zona Franca de Manaus.

  • Disputa política entre os deputados federais Vilson da Fetaemg e Júlio Delgado, ambos do PSB, continua dividindo a militância socialista em BH. Pela primeira vez, o PSB não conseguiu eleger nenhum vereador para a Câmara Municipal de Belo Horizonte.

  • Em tempo, sobre a nota de Randolfe Rodrigues: “O ministro Marcelo Queiroga disse ontem que, para participar da Copa América, os atletas não terão de se vacinar e que no Campeonato Brasileiro houve só um caso de transmissão em campo. Isso não procede!”.

  • O Supremo Tribunal Federal (STF) marcou para amanhã a sessão para decidir sobre a Copa América, prevista para começar dia 13. O que vocês acham que vai acontecer: STF suspende a competição ou permite a realização dos jogos?.

  • Quem pergunta é a deputada federal Renata Abreu, que é do Podemos-SP. Antes, ela deve participar, hoje, no plenário da Câmara, do debate sobre reforma eleitoral e voto impresso, que terá o ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

 

 

 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade