O Aeroporto Internacional de Brasília, no Distrito Federal ficou em quinto lugar no ranking -  (crédito: Acacio Pinheiro/Esp. EM/D.A PRESS)

O Aeroporto Internacional de Brasília, no Distrito Federal ficou em quinto lugar no ranking

crédito: Acacio Pinheiro/Esp. EM/D.A PRESS

 

O Brasil, quem diria, tem bons motivos para se orgulhar de sua infraestrutura aeroportuária. Segundo o novo ranking global produzido pela AirHelp, empresa especializada em direitos de passageiros, o país possui dois aeroportos entre os dez melhores do mundo: o Aeroporto Internacional de Brasília, no Distrito Federal, em quinto lugar, e o de Belém, no Pará, em nono. Para a elaboração da lista, a AirHelp consultou 17,5 mil usuários de 239 aeroportos espalhados por 64 países. As avaliações foram feitas em três categorias – pontualidade dos voos, qualidade dos serviços oferecidos e qualidade de lojas e restaurantes. Pelos critérios, o melhor aeroporto do mundo é o de Hamad, no Qatar. O Brasil também fez bonito em outro ranking, do programa britânico de assinaturas Priority Pass, que elegeu as melhores salas vip do planeta. O Advantage VIP Lounge, no aeroporto de Curitiba, foi apontado como o melhor da América Latina e Caribe.

Ataques de piratas fazem preço do frete marítimo disparar

O frete marítimo global enfrenta situação preocupante. No primeiro semestre de 2024, os ataques de piratas a navios mercantes que cruzam o Mar Vermelho dobraram em relação a 2023. Para evitar a rota, as embarcações estão contornando a África, o que aumenta o tempo das viagens e os custos do transporte de mercadorias. Em 2024, o valor do frete marítimo disparou, passando de US$ 2 mil em janeiro para US$ 10 mil em junho. Para especialistas, não há sinais de que os preços possam cair.

Construtora Arquiplan entra com pedido de recuperação judicial

A onda de recuperação judicial que atingiu diversos setores econômicos em 2024 chega agora ao mercado imobiliário. A construtora e incorporadora Arquiplan, especializada em projetos voltados para o mercado de médio e alto padrão, entrou com o pedido de RJ há alguns dias. Suas dívidas estão estimadas em R$ 337,6 milhões. Neste ano, empresas e marcas conhecidas no mercado brasileiro, como Gol, Odebrecht Engenharia e Construção, Casa do Pão de Queijo, Polishop e Subway também recorreram à RJ.

Futebol feminino é a nova aposta de Robert Iger

Se depender do lendário executivo Robert Iger (foto), que chefiou a Disney por 15 anos e expandiu os negócios da empresa para novos ramos, o futebol feminino ganhará maior impulso. Iger negocia a compra de fatia relevante do Angel City, uma das equipes mais fortes dos Estados Unidos, por US$ 50 milhões. A ideia é transformar o time americano numa potência global, a exemplo do que são, no futebol masculino, times como Real Madrid e Barcelona. A atriz Natalie Portman também é sócia do Angel City.

15%

foi quanto caíram, em junho, as exportações de carros elétricos e híbridos chineses em relação a maio, segundo a Associação de Automóveis de Passageiros da China (CPCA). A queda é reflexo das novas alíquotas impostas pela União Europeia para frear o ingresso de modelos chineses no Velho Continente

Rapidinhas

  • A BB Asset, gestora de recursos do Banco do Brasil, e o grupo Iguatemi compraram 49,9% do Shopping RioSul, no Rio de Janeiro, por R$ 1,1 bilhão. Pelo acordo, a BB Asset ficará com 33,3% do negócio, enquanto o Iguatemi deterá 16,6%. Inaugurado em 1980, o RioSul foi o primeiro shopping center do Rio. Atualmente, abriga 400 lojas.
  • Apaixonado por cinema, David Ellison, filho de Larry Ellison, o fundador da empresa de tecnologia Oracle, comprou o lendário estúdio Paramount. Segundo a imprensa dos Estados Unidos, a família Ellison desembolsará US$ 8 bilhões pelo negócio. Fundada em 1912, a Paramount é o segundo estúdio de cinema mais antigo do país.
  • Impulsionado pela agenda ESG (sigla em inglês para boas práticas ambientais, sociais e de governança), o mercado de créditos de carbono está em alta. Segundo estudo da Câmara de Comércio Internacional, o segmento deverá movimentar US$ 120 bilhões no Brasil até 2030, o que fará do país um dos protagonistas globais da nova revolução verde.
  • A tradicional cervejaria dinamarquesa Carlsberg finalizou a compra da fabricante britânica de sucos e refrigerantes Britvic por cerca de US$ 4 bilhões. O negócio deverá ter repercussões no Brasil. Desde 2015, a Britvic controla as marcas Maguary e Dafruta, bastante conhecidas no mercado brasileiro.

“Nos negócios, você precisa detectar para onde o mundo vai e chegar lá primeiro”

Bill Gates
Fundador da Microsoft