SIGA O EM

IBM oferece plataforma de análise para combate ao Ebola

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/10/2014 10:15

AFP /Agence France-Presse

WASHINGTON - A IBM anunciou nesta segunda-feira que vai oferecer sua plataforma de análise e outras tecnologias para que sejam usadas nos países africanos afetados pela epidemia do Ebola.

Em um comunicado, a empresa americana ofereceu sua assistência em Serra Leoa, um dos países mais atingidos por este vírus mortal, e perto da Nigéria, que foi declarada livre do Ebola há uma semana.

A iniciativa permitirá aos cidadãos reportar temas vinculados ao Ebola e suas preocupações através de mensagens de texto ou de voz para que as autoridades de saúde em Serra Leoa possam rastrear melhor a doença, segundo a empresa.

Utilizando a localização das chamadas, a IBM pode criar um mapa das áreas onde o vírus está se expandindo.

"Vimos a necessidade de desenvolver rapidamente um sistema que permita às comunidades afetadas pelo Ebola fornecer informação valiosa sobre como combater a doença", afirmou Uyi Stewart, chefe da pesquisa científica da IBM para a África.

"Usando a tecnologia móvel, temos dado voz e um meio de comunicação para que seja enviadas informações diretamente ao governo", acrescentou.

A IBM transferiu tecnologia ao governo da Nigéria para coordenar seus esforços para conter o vírus.

A tecnologia, usada em outras missões humanitárias, "ajudará a fortalecer a coordenação da resposta das equipes de emergência e garantir que o governo de Lagos seja capaz de manejar e responder aos novos casos de Ebola ou de futuras epidemias", disse o comunicado.

A decisão foi anunciada em meio ao crescente interesse pelo uso da supercomputação e do "big data" para melhorar a detecção e a resposta à epidemia, que deixou cerca de 5.000 mortos, principalmente na Libéria, em Serra Leoa e na Guiné.

Na semana passada, a Microsoft anunciou que sua plataforma Azure estaria disponível para os pesquisadores que estudam a propagação do vírus.

 

Tags:
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.