SIGA O EM

MPE abre procedimento contra Doria por indícios de abuso de poder

Segundo o promotor José Carlos Bonilha, existem indícios de abuso do poder econômico e político por parte da campanha tucano que disputa a Prefeitura de São Paulo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1061414, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Jos\xe9 Patr\xedcio', 'link': '', 'legenda': 'Jo\xe3o Doria', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/07/29/788973/20160729111857673104i.jpg', 'alinhamento': 'right', 'descricao': ''}]

postado em 29/07/2016 10:31 / atualizado em 29/07/2016 11:19

Agência Estado

José Patrício
São Paulo - O Ministério Público Eleitoral (MPE) abriu um Procedimento Preparatório Eleitoral (PPE) para contestar judicialmente a candidatura de João Doria (PSDB) à Prefeitura de São Paulo. Segundo o promotor José Carlos Bonilha, existem indícios de abuso do poder econômico e político por parte da campanha tucana.

Para abrir o procedimento, Bonilha considerou a participação de Doria em jantares promovidos por empresas, o que consistiria em propaganda antecipada, e a nomeação de um filiado do PP, Ricardo Salles, na Secretaria do Meio Ambiente, que representaria favor à legenda que o apoia.

"Aparentemente, o governador Geraldo Alckmin trocou um quadro técnico por uma indicação política, justamente para beneficiar a campanha de João Doria", disse Bonilha. O promotor pretende ouvir nomes do partido ligados à candidatura. Até às 10h desta sexta-feira, 29, campanha de Doria não havia se manifestado sobre o procedimento.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600