SIGA O EM

Para PT, desempenho de Aécio em Pernambuco depende do PSB

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/10/2014 19:19 / atualizado em 08/10/2014 19:55

Agência Estado

O PT avalia que o desempenho do senador Aécio Neves (PSDB) em Pernambuco, único Estado do Nordeste em que a presidente Dilma Rousseff não terminou o primeiro turno na liderança, dependerá do empenho do PSB local e dos familiares do ex-governador Eduardo Campos, morto em um acidente aéreo em meados de agosto.

Diretório pernambucano do PSB decidiu apoiar Aécio no segundo turno. A viúva de Campos, Renata, já teria autorizado os caciques do partido em Pernambuco a defender a aliança com Aécio, mas teria avisado que não pretende entrar na campanha do PSDB.

"Vai depender muito do empenho que o PSB colocar e se eles vão usar a estrutura toda", avalia o senador petista Humberto Costa (PE), coordenador da campanha de Dilma no Estado.

Na terra natal de Campos, Marina abriu mais de 184 mil votos sobre a petista e alcançou 48,05% dos votos válidos. Foi também no Estado onde Aécio teve a sua pior votação: apenas 5,92% dos votos válidos.

Os petistas acreditam que, se o grupo político de Campos - entre eles o governador eleito Paulo Câmara, o prefeito de Recife Geraldo Júlio e a própria Renata - mobilizar a estrutura do Estado em favor do PSDB, Aécio tem como galgar espaços entre o eleitorado de Marina.

Numa campanha marcada pela forte comoção causada pela morte de Campos, o PSB de Pernambuco não só conquistou o governo e o Senado como elegeu oito deputados federais. O PT, que se opôs aos socialistas no Estado, não conseguiu reeleger sequer um parlamentar para a Câmara.

Para Costa, no entanto, a entrada do PSB local na campanha de Aécio o ajudaria a ganhar alguma margem em Pernambuco. Mesmo com a aliança, diz, Dilma deve ser a maior beneficiária dos apoios dados à ex-ministra do Meio Ambiente entre os pernambucanos. "O PSDB nunca teve muita força lá", diz Costa. (Colaboração de Daiene Cardoso e João Domingos)
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.