Discussão em shopping viraliza: "Abaixa a bola, pobre. Moro em triplex"

"A gente vive num país tão m. que eu chego lá e solto a grana para o delegado", disse a mulher que se exaltou

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 11/07/2014 19:20 / atualizado em 11/07/2014 19:30

Michelle Macedo /

Reprodução/Facebook André Bastos
“Vai me encarar? Não tenho medo de pobre. Abaixa a bola, pobre. Moro em triplex”, diz, exaltada, a mulher, apontando o dedo para a outra. A cena fez parte de uma discussão no Barra Shopping, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. O bate boca foi registrado na noite dessa quinta-feira (10/7) e logo depois já estava na internet. Até a publicação deste texto os compartilhamentos já passavam de 90 mil. Na confusão entre duas clientes de uma loja de crepes, uma das mulheres se excede e começa a gritar e ofender a outra.

Nervosa, a mulher diz que trabalha há 40 anos no Aeroporto Internacional e que a outra “não tem discernimento de cultura”. Uma das envolvidas volta à mesa na tentativa de terminar a refeição, mas é impedida pela outra que diz “a gente vive num país tão m. que eu chego lá e solto a grana para o delegado”.

As outras pessoas no local apenas observam a discussão, incrédulas. A mulher ofendida pede para uma atendente chamar a gerente, mas isso não termina com a confusão. As provocações continuam: “você pode dar emprego para ela (atendente), eu posso, você pode? Pobre”, grita a mulher. Veja o vídeo aqui.

“Eu sou classe dominante e fico revoltada. Você é uma idiota”. A discussão continua por mais alguns minutos, até que uma jovem que diz ser psicóloga tenta intervir, pedindo para que a mulher se acalme, mas ela diz “que está tudo bem, eu sou psicóloga também”. Quando percebe que um rapaz está filmando a briga, parte para agressão homofóbica a ele.

De acordo com o Barra Shopping, assim que a segurança foi chamada até a loja, a mulher foi retirada do local, com resistência. Ela também teria ofendido os profissionais. A Crepelocks informou que antes de pedir ajuda aos seguranças, a gerente de creperia pediu para que a mulher saísse, mas ela continuou discutindo. Os envolvidos na confusão não foram identificados até o momento.