11°/ 20°
Belo Horizonte,
30/JUL/2014
  • (10) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

MP de São Paulo acusa PM de ato racista em cartaz Entidade investiga denúncia feita por movimentos de igualdade racial que viam a estereotipação do negro como assaltante em ilustração que segue com dicas de segurança na rua

Agência Estado

Publicação: 18/06/2014 08:19 Atualização: 18/06/2014 08:43


Cartas foi espalhado pelas ruas e ônibus de Ribeirão Preto (Reprodução da Internet)
Cartas foi espalhado pelas ruas e ônibus de Ribeirão Preto
Um cartaz com dicas de segurança elaborado pela Polícia Militar e espalhado por ônibus de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, virou alvo de uma ação civil pública. Procurados por oito entidades da sociedade civil, o Ministério Público Estadual (MPE) e a Defensoria Pública ingressaram com uma ação por danos morais contra o Estado e a Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto (Acirp), responsável pelo custeio do material.

A campanha foi considerada racista por órgãos como a Comissão do Negro e Assuntos Antidiscriminatórios da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a União de Negros pela Igualdade (Unegro). O cartaz traz a imagem de uma mulher branca distraída sendo observada por um homem negro escondido atrás de um poste.

Para a coordenadora regional da Unegro, Ana Almeida, a peça é preconceituosa porque a polícia teria reforçado o estereótipo de que negro é bandido.

O promotor de Justiça Sebastião Sérgio da Silveira e o defensor público Paulo Giostri, autores da ação civil pública, também disseram ter visto um ato racista no material divulgado no mês passado. Eles pedem indenização mínima de R$ 200 mil em razão da campanha. Para eles, "tal fato causou um sentimento de diminuição de toda a raça perante a sociedade, o que isso conduziu a um inegável sofrimento moral".

Na ação, eles argumentam também que, apesar das dicas importantes contidas, a imagem que está no cartaz é preconceituosa e demonstra "que o racismo é latente dentro da corporação da Polícia Militar".

O objetivo da indenização é desestimular práticas futuras e ressarcir "ainda que de forma parcial" a dor sofrida pelas pessoas da raça negra. O dinheiro arrecadado com a indenização seria voltado a campanhas de combate ao racismo. A ação civil foi ajuizada na sexta-feira passada e pede que todos os cartazes sejam recolhidos.

Exagero

A PM vê exagero na forma como as entidades de defesa da igualdade racial analisaram a imagem. Em nota, a corporação alegou que a "figura do 'criminoso' no referido material de prevenção em questão foi meramente representado pela caracterização de uma 'silhueta', para exemplificar o risco de uma pessoa andar desacompanhada em local ermo e escuro". A intenção do material, segundo a PM, seria mostrar a forma de agir de "quem pretende, de forma esquiva, surpreender uma potencial vítima nessas circunstâncias".

A Acirp afirmou ser contra qualquer manifestação racista e ter sido apenas parceira na campanha, não sendo responsável pela elaboração do material. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Tags:

Esta matéria tem: (10) comentários

Autor: Carlo Oliveira
comentei mais cedo e fui censurado... inverte, põe a vítima negra e o bandido branco... não vejo mau nisso, é até democrático... por favor EM, não censure... | Denuncie |

Autor: João Oliveira
O racismo está enraizado na mente das pessoas. Neste caso está muito claro que a figura é uma caricatura de um deliquente oculto na sombra e não a caracterização de uma pessoa da raça negra. Precisamos deixar de ver racismo em tudo. | Denuncie |

Autor: NELSON DINIZ
Infeliz a arte do cartaz, proporciona ao leitor uma imagem de uma pessoa negra atrás da coluna, pode não ter sido a intenção mas o desenho reforça o senso comum racista de que todo bandido é negro. | Denuncie |

Autor: Marcos Santos
É muita gente querendo aparecer! Já que estão tanto "preocupados" assim, porque esses órgãos não propõe maior agilidade do Judiciário em julgar processos, evitando impunidade? A OAB e esses outros órgãos citados estão com falta de serviço! Enxada neles! | Denuncie |

Autor: Teo Fernandes
Nada errado no cartaz. | Denuncie |

Autor: Hugo Castelo
Desde que o mundo existe, quando vão desenhar representação entre o bem e o mal, o bem é branco (luz) e o mal preto (escuridão). Daqui a pouco tem gente atoa processando chinês por causa do yin yang! | Denuncie |

Autor: João C. Silva
Caramba, impressionante como esses movimentos em "defesa dos direitos dos negros" estão criando caso até com coisas absurdas. | Denuncie |

Autor: Eduardo Antunes
Será que esses órgãos não tem mais o que fazer? A quando continuarão a enxergar pêlo em ovo, chifre na cabeça de cavalo. Vá tomá banho. | Denuncie |

Autor: Matias Silva
Como tem gente sem serviço nesse país !!! Uma coisa que não tem nada a ver !!!Estão confundido Pires de Oliveira com pratinho de azeitona, oras!!! | Denuncie |

Autor: julio oliveira
O Brasil é um dos países mais racistas que tem no mundo, isso é fato. Além disso é de uma hipocrisia que não tem tamanho. Vc determinar cotas para pessoas negras é o maior exemplo disso. Desqualifica a capacidade perante as demais. Tem hora que a máscara cai, como nessa cartilha. Lamentável | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.