Professores mantêm acampamento em frente à Prefeitura de São Paulo

Manifestantes querem a incorporação de bônus ao salário e acampam para pressionar prefeito e câmara a aprovar projeto

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 02/06/2014 15:37 / atualizado em 02/06/2014 15:50

Agência Estado

Em greve há 41 dias, os professores e servidores da rede municipal de educação amanheceram nesta segunda-feira, 02, acampados em frente à sede da Prefeitura de São Paulo, no centro da capital. A categoria reivindica incorporação imediata aos salários do bônus oferecido pela Secretaria Municipal de Educação em maio.

Os grevistas decidiram montar o acampamento para pressionar o prefeito Fernando Haddad (PT) e a Câmara dos Vereadores, onde será votado o projeto de lei sobre as remunerações da categoria. Na semana passada a categoria rejeitou a proposta apresentada pela gestão Haddad de estender o abono de 15,38%, inicialmente previsto apenas para quem ganha o piso, para toda a categoria, a partir do ano que vem.

Pela proposta, o bônus seria pago em três parcelas: em maio de 2015 e no mesmo mês de 2016 e 2017. Os professores esperavam a primeira parcela ainda neste ano - e uma definição sobre o valor que será concedido em cada uma.

Os professores e servidores da educação municipal pretendem se unir nesta terça-feira, 03, aos grevistas das universidades estaduais em um ato no centro de São Paulo.
Tags: