14°/ 25°
Belo Horizonte,
22/AGO/2014
  • (4) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Filho morre em queda de avião depois de colidir no ar contra a aeronave do pai

Correio Braziliense

Publicação: 20/05/2014 10:25 Atualização: 20/05/2014 11:03

O Instituto de Criminalística da Polícia Civil foi até o local para a análise do corpo do piloto (Daniel Ferreira/CB/D.A Press)
O Instituto de Criminalística da Polícia Civil foi até o local para a análise do corpo do piloto

As quatro décadas de experiência como instrutor de voo não bastaram para Ubiratan de Melo, 62 anos, evitar uma tragédia familiar. Por volta das 14h30 dessa segunda-feira, um acidente matou o filho dele, Frederico Medeiros de Melo, 32 anos, também professor de pilotagem amadora. Cada um conduzia um ultraleve avançado. Na altura da Fazenda São Lucas, em São Sebastião, os dois fizeram um sobrevoo lado a lado. Porém, uma possível manobra mal executada provocou a colisão no ar. Sem o controle do equipamento, Frederico não foi capaz de evitar a queda de bico. Ele morreu na hora. Ubiratan, mesmo com o veículo avariado, pousou em segurança no Aeródromo Botelho, situado na região.

Ubiratan esteve no local da queda do monomotor, mas ficou em estado de choque ao ver o corpo do filho em meio às ferragens. Até a noite de ontem, ele permanecia em observação em um hospital particular. Moradores da área rural de São Sebastião foram os primeiros a chegar ao ponto do acidente. A informação inicial dava conta de que havia mais passageiros no monomotor, por isso, o Corpo de Bombeiros mobilizou quatro equipes e um helicóptero. Como se trata de uma colisão envolvendo duas aeronaves classificadas como de “caráter experimental”, proibidas de sobrevoar áreas urbanas, a Força Aérea Brasileira (FAB) informou que não participa desse tipo de investigação.

A aeronave ficou completamente destruída (Daniel Ferreira/CB/D.A Press)
A aeronave ficou completamente destruída
Homicídio culposo
Todo o trabalho para apontar as causas do acidente aéreo ficará sob a responsabilidade da 30ª Delegacia de Polícia (São Sebastião). À frente do inquérito, o chefe da unidade, delegado Érito Cunha, avaliou que, provavelmente, houve imperícia de ambos os pilotos, mas que somente a perícia técnica poderá indicar que tipo de erro determinou a colisão no ar e a queda de uma das aeronaves. “O pai deve ser indiciado por homicídio culposo, mas, certamente, não ficará preso. Nesse caso, nenhuma pena pode ser maior do que a perda de um filho”, afirmou.

Terminal arrendado
Localizado às margens da BR-251, em São Sebastião, o Aeródromo Botelho tem pouco mais de dois anos de funcionamento. É o segundo maior terminal do DF, com 1 mil hectares de área. São 65 hangares, e 105 aeronaves são guardadas ali. A pista do aeroporto privado tem 1.750m, quase o equivalente ao espaço para pousos e decolagens de Congonhas, em São Paulo. Mas o terminal foi construído em uma antiga fazenda, na área rural da cidade, local que deveria ser destinado a atividades agrícolas. A Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) é dona das terras e não sabe como foram negociadas as parcelas hoje ocupadas por hangares. Segundo os proprietários do aeroporto, os lotes são apenas arrendados, e as operações realizadas na pista não são cobradas, seguindo as regras da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para abertura e operação de aeródromos.

 

 

 

Esta matéria tem: (4) comentários

Autor: Marcos Drummond
Este delegado está coberto de razão. Condenar o pai para que? Ele viverá, se viver, com a culpa para o resto da vida. Esta dor não passa nunca | Denuncie |

Autor: Jane Coelho
Prezados: Gostaria de fazer uma observação no texto da reportagem. Professor é o profissional docente que, como qualquer outro profissional, precisa ter formação acadêmica na área da educação. Neste caso, a pessoa não é um professor de pilotagem amadora, mas um "instrutor" de pilotagem. Grata, Jane | Denuncie |

Autor: Elson Santos
Na certa devem ter pensado que estavam fazendo manobras com aviãozinho de papel... É o preço da imprudência. | Denuncie |

Autor: Alberto Haas
Falta de observação de procedimentos obrigatórios em voo. Simples assim e custou a vida do rapaz. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.