Bope e Polícia Civil do DF simulam ações terroristas no estádio Mané Garrincha

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 19/03/2014 11:29

Saulo Araújo /Correio Brasiliense

Marcelo Ferreira/CB/D.A Press

O Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) da Polícia Militar e a Divisão de Operações Especiais (DOE) da Polícia Civil do Distrito Federal simularam, nesta manhã de quarta-feira (19/3), três tentativas de terrorismo no Estádio Nacional Mané Garrincha, durante a Copa do Mundo. Ao todo, 60 policiais - 30 PMs e 30 agentes - participaram do treinamento, que durou cerca de 30 minutos.

Na primeira ação, o Bope simulou o resgate de uma autoridade que assistia um jogo próximo ao gol, quando foi feito refém por quatro bandidos. Os atiradores de elite que estavam na cobertura do estádio fingiram atirar em 3 suspeitos, enquanto o quarto homem era imobilizado pelos militares, com a ajuda de um teaser - aparelho que da choque elétrico.

Já na segunda simulação, também realizada pelo Bope, um helicóptero da PM pousou no gramado do Mané Garrincha e quatro militares desceram. No término da ação, os policiais voltaram para aeronave, que deixou o estádio.

A última foi realizada pela Polícia Civil. Os agentes da DOE simularam o esgate de uma das autoridades que abrirá um dos sete jogos no Mané Garrincha. Na ação, o alvo dos terroristas foi colocado no meio de campo, enquanto um suspeito efetuou um disparo da arquibancada.

Os atiradores de eleite da Polícia Civil tiveram que identificar e mobilizar o atirador, enquanto agentes da DOE entraram no campo para cercar a autoridade. Um helicóptero da Polícia Civil também entrou no estádio para retirar a vítima.

No ano passado, os policiais do Bope e da DEO fizeram um curso na Alemanha para lidar com tentativas de atos terroristas durante a Copa do Mundo de 2014.
Tags:
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.