Publicidade

Estado de Minas

PM prende dois suspeitos de mandar matar sargento da PM em Matozinhos

Crime ocorreu no sábado, quando autor dos disparos, um jovem de 18 anos, foi preso. Neste domingo, dois traficantes suspeitos de serem mandantes da tentativa de homicídio também foram detidos.


postado em 30/07/2017 16:31

Depois de prender o suspeito de tentar matar uma sargento da 11ª Companhia Independente da Polícia de Matozinhos, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foram detidos no início da tarde de hoje dois homens suspeitos de serem mandantes do crime. Por meio de denúncias anônimas do telefone 181 e de relatos de moradores do Bairro São José, onde a militar reside, os policiais chegaram aos irmãos Joel Bernardino da Silva, de 22, e Josias Silva, de 23, ambos com passagem por tráfico e outros crimes. A prisão ocorreu por volta das 13h, na residência dos suspeitos, onde foram apreendidos um revólver calibre 38, com seis munições, 20 buchas de maconha e R$ 387.

A tentativa de homicídio contra a militar ocorreu na manhã desse sábado, 29, quando o jovem Lucas Cesari Rocha, de 18 anos, atirou contra a sargento Adriana. Segundo a PM, ele teria feito “tocaia”, por volta das 7h, em um lote vago próximo à residência dela, na Avenida Maria José Vieira. E teria intenção de matá-la, a mando dos outros dois criminosos, por causa de sua atuação no combate à venda de drogas no bairro onde os traficantes residem e atuam no comércio ilícito.

Segundo a PM, a casa dela fica a cerca de 200 metros da boca de fumo, aproximadamente. Mas, Adriana já havia saído de casa, para o trabalho, quando o suspeito chegou. Mas, diante da presença do rapaz no terreno, transeuntes avisaram à PM, que compareceu ao local, sendo a própria guarnição da sargento que atendeu ao chamado.

Quando a viatura chegou ao local, foi recebida a tiros pelo criminoso. Apesar dos vários disparos, ninguém ficou ferido. Lucas, que já é conhecido antigo dos policiais e atua como traficante na área, foi detido e a arma que usava foi apreendida, com todas as munições deflagradas. À PM, ele afirmou que quem havia repassado o revólver foram outros acusados de tráfico na região.

No caso das prisões dos dois irmãos hoje, o suspeito Josias disse ter comprado o revólver de um cigano, que ele não informou quem é. Com Joel foram encontrados um coldre de arma de fogo e as porções de maconha. Ele relatou aos militares ser usuário da droga, mas disse desconhecer a procedência do material, localizado próximo ao carro dele, na garagem da casa. Os R$ 387 também estavam com ele. O rapaz não trabalha e não confirmou à PM como conseguiu o dinheiro. Os dois foram encaminhados pela PM à Delegacia de Plantão de Vespasiano, também na Grande BH.

Após a tentativa de homicídio, a assessoria de imprensa da corporação confirmou, neste domingo, que o policiamento na cidade foi reforçado. Em entrevista à Rádio Itatiaia, também neste domingo, a sargento Adriana, alvo dos disparos, disse que "atirar em militar deveria ser crime hediondo, passível de prisão perpétua".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade