SIGA O EM

Ciclistas pedalam nus em BH para pedir mais segurança no trânsito

Evento aconteceu em várias cidades do Brasil e do mundo no sábado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1011349, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Bruna Caldeira/Divulga\xe7\xe3o', 'link': '', 'legenda': 'Ciclistas percorreram diversas ruas e avenidas da regi\xe3o central da cidade', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/03/06/740909/20160306182404558615i.jpg', 'alinhamento': 'left', 'descricao': ''}]

postado em 06/03/2016 18:22 / atualizado em 06/03/2016 22:59

Cristiane Silva

Bruna Caldeira/Divulgação
Uma manifestação de ciclistas chamou a atenção em Belo Horizonte na noite de sábado. A “Pedalada Pelada 2016”, que também foi realizada em outras capitais brasileiras e outras cidades ao redor do mundo - a World Naked Bike Ride, chama atenção para vulnerabilidade dos ciclistas e pede mais segurança.

“A simbologia do nu no protesto é para mostrar que somos vulneráveis, que ali tem um corpo, uma vida, não temos nenhuma estrutura em volta da gente”, explica a designer gráfico Bruna Caldeira, de 32 anos, uma das organizadoras do protesto em BH. Ela pedala há 11 meses.

Ela estima que cerca de 100 pessoas participaram da pedalada. A concentração foi na Praça do Ciclista, que fica na Rua Carandaí, no Bairro Funcionários, onde os participantes fizeram pinturas corporais. Nem todos ficaram completamente nus. Após a chegada de uma bicicleta com aparelho de som, eles seguiram pelas ruas da capital. Algumas pessoas tiraram a roupa somente na saída da pedalada. Outras foram se despindo ao longo do percurso. De acordo com Bruna, os ciclistas passaram pelas ruas da Região Centro-Sul, Savassi, área hospitalar, a Praça Raul Soares, no Barro Preto, Praça Sete, no hipercentro, e Avenida do Contorno.

A pedalada terminou sob o Viaduto Santa Tereza, quando o grupo foi abordado pela Polícia Militar. Segundo Bruna, um amigo que estava mais próximo disse que os policiais pediram para que as pessoas se vestissem. Não houve ocorrência e a manifestação foi concluída de forma pacífica. “As pessoas na rua tiveram uma recepção muito legal. Achavam divertido, tiravam fotos, riam”, comenta Bruna.

CAPITAL PERIGOSA Em fevereiro, o Estado de Minas publicou o resultado de um estudo inédito concluindo que BH é a cidade em que os ciclistas mais temem o trânsito.

O levantamento ouviu 5.012 usuários em 10 municípios do Brasil. Na capital mineira, 37,8% dos entrevistados disseram que a falta de segurança no trânsito é o principal problema. O percentual é 66,5% superior ao da média nacional (22,7%). A pesquisa faz parte do projeto Parceria Nacional pela Mobilidade por Bicicletas, iniciativa da Transporte Ativo e suporte técnico do Observatório das Metrópoles e do Laboratório de Mobilidade Sustentável da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

O risco enfrentado na cidade por quem se desloca em bikes é referendado por uma estatística do Hospital de Pronto-Socorro (HPS) João XXIII, o maior do estado. O total de ciclistas que se envolveram em acidentes de trânsito e foram atendidos na instituição de saúde cresceu 34,8% de 2014 para 2015, aumentando de 316 ocorrências para 426. Nos últimos três anos, 21% dos ciclistas entrevistados em BH se envolveram em algum acidente. A média nacional foi de 19,9%. (Com informações de Paulo Henrique Lobato)
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Marcos
Marcos - 17de Março às 14:57
Sem dúvida eles são os primeiros a desrespeitar as regras de trânsito. Isto a gente vê sempre que encontra algum por aí. Dirigir em volta da lagoa da Pampulha está ficando muito perigoso. Eles, além de não permanecerem na ciclofaixa ainda adotam posturas arrogantes diante dos automóveis. Assim, o pessoal que fez as postagens abaixo estão plenas de razão. |MP|
 
Mauro
Mauro - 07de Março às 12:18
É simples. É só vestir as roupinhas e brincar no passeio. Colocar bicicletas para interagir com veículos é crueldade, no mínimo.
 
domicio
domicio - 07de Março às 08:57
Quer aparecer pindura melancia no pescoço e sai por ai.Se quer respeito aprende a respeitar.
 
Daniel
Daniel - 06de Março às 23:49
Ciclista não respeita regra de transito e quer segurança? Estamos de olho
 
Prime
Prime - 06de Março às 22:19
Esse povo não cansa de passar vergonha, meu Deus
 
Luiz
Luiz - 07de Março às 08:23
Se eu sair pelado ou até de cueca aqui no portão de casa eu sou preso. Já esse povo pode andar quilometros pelado q dá nada pra eles