Publicidade

Estado de Minas

Ciclistas pedalam nus em BH para pedir mais segurança no trânsito

Evento aconteceu em várias cidades do Brasil e do mundo no sábado


postado em 06/03/2016 18:22 / atualizado em 06/03/2016 22:59

Ciclistas percorreram diversas ruas e avenidas da região central da cidade(foto: Bruna Caldeira/Divulgação)
Ciclistas percorreram diversas ruas e avenidas da região central da cidade (foto: Bruna Caldeira/Divulgação)
Uma manifestação de ciclistas chamou a atenção em Belo Horizonte na noite de sábado. A “Pedalada Pelada 2016”, que também foi realizada em outras capitais brasileiras e outras cidades ao redor do mundo - a World Naked Bike Ride, chama atenção para vulnerabilidade dos ciclistas e pede mais segurança.

“A simbologia do nu no protesto é para mostrar que somos vulneráveis, que ali tem um corpo, uma vida, não temos nenhuma estrutura em volta da gente”, explica a designer gráfico Bruna Caldeira, de 32 anos, uma das organizadoras do protesto em BH. Ela pedala há 11 meses.

Ela estima que cerca de 100 pessoas participaram da pedalada. A concentração foi na Praça do Ciclista, que fica na Rua Carandaí, no Bairro Funcionários, onde os participantes fizeram pinturas corporais. Nem todos ficaram completamente nus. Após a chegada de uma bicicleta com aparelho de som, eles seguiram pelas ruas da capital. Algumas pessoas tiraram a roupa somente na saída da pedalada. Outras foram se despindo ao longo do percurso. De acordo com Bruna, os ciclistas passaram pelas ruas da Região Centro-Sul, Savassi, área hospitalar, a Praça Raul Soares, no Barro Preto, Praça Sete, no hipercentro, e Avenida do Contorno.

A pedalada terminou sob o Viaduto Santa Tereza, quando o grupo foi abordado pela Polícia Militar. Segundo Bruna, um amigo que estava mais próximo disse que os policiais pediram para que as pessoas se vestissem. Não houve ocorrência e a manifestação foi concluída de forma pacífica. “As pessoas na rua tiveram uma recepção muito legal. Achavam divertido, tiravam fotos, riam”, comenta Bruna.

CAPITAL PERIGOSA Em fevereiro, o Estado de Minas publicou o resultado de um estudo inédito concluindo que BH é a cidade em que os ciclistas mais temem o trânsito.

O levantamento ouviu 5.012 usuários em 10 municípios do Brasil. Na capital mineira, 37,8% dos entrevistados disseram que a falta de segurança no trânsito é o principal problema. O percentual é 66,5% superior ao da média nacional (22,7%). A pesquisa faz parte do projeto Parceria Nacional pela Mobilidade por Bicicletas, iniciativa da Transporte Ativo e suporte técnico do Observatório das Metrópoles e do Laboratório de Mobilidade Sustentável da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

O risco enfrentado na cidade por quem se desloca em bikes é referendado por uma estatística do Hospital de Pronto-Socorro (HPS) João XXIII, o maior do estado. O total de ciclistas que se envolveram em acidentes de trânsito e foram atendidos na instituição de saúde cresceu 34,8% de 2014 para 2015, aumentando de 316 ocorrências para 426. Nos últimos três anos, 21% dos ciclistas entrevistados em BH se envolveram em algum acidente. A média nacional foi de 19,9%. (Com informações de Paulo Henrique Lobato)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade