SIGA O EM

PM reavalia decisão e aumenta efetivo para o carnaval em BH

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 998262, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Beto Magalhaes/EM/D.A Press', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/02/03/731129/20160203132207649425i.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 03/02/2016 13:06 / atualizado em 03/02/2016 13:23

Rafael Passos , Guilherme Paranaiba

Beto Magalhaes/EM/D.A Press

Cerca de duas hora depois de anunciar o número de policias militares para o carnaval de Belo Horizonte, a Polícia Militar (PM) reavaliou a situção na capital e aumentou em mil homens o efetivo. Inicialmente, 5,5 mil PMs estavam empenhados para o patrulhamento nas ruas e nas avenidas da capital e o contingente agora passou para 6,5 mil.

Segundo o major Sandro de Souza, assessor de comunicação do Comando de Policiamento da Capital (CPC), um remanejamento interno permitiu aumentar o número de policiais. A estimativa oficial da prefeitura em 2015 dava conta de 1,5 milhão de foliões na capital, enquanto esse ano passou para 1,6 milhão.


Na área interna da Avenida do Contorno, cuja responsabilidade é do 1º Batalhão, o tenente-coronel Vitor Araújo, comandante da unidade, disse que são esperados 106 eventos.

O tenente-coronel Marcelo Pinheiro, comandante do 16º Batalhão, disse que a polícia está preparada para atuar no Bairro Santa Tereza, Leste da capital, caso seja necessário agir para cumprir o horário estipulado pelo Ministério Público. Segundo o militar, as festas são permitidas entre 12h e 18h nos dias do carnaval. O militar afirmou que terá policiais para fazer o recobrimento da área e atuar caso apareçam eventos não cadastrados que extrapolem o horário estabelecido.

Outra vertente que vai demandar atenção especial da PM durante o carnaval é o trânsito. O tenente-coronel Gláucio Porto Alves, recém chegado à função de comandante do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran), não quis precisar o número de operações da Lei Seca que serão colocadas nas ruas, mas disse que elas serão intensificadas. "A ordem do comando é aumentar as operações para evitar os abusos", afirma.

Sobre os eventos espontâneos que possam bloquear os caminhos de muitos motoristas que forem pegos desprevenidos, o militar garante que a PM terá estrutura para agir e chegar até os pontos de conflito, para evitar tumultos e acidentes.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Francisco
Francisco - 03 de Ferveiro às 15:12
Esse comandante do batalhão do Santa Tereza está de brincadeira com os moradores do bairro, eu moro lá, todo os dias passo na praça para ir a academia e o que não falta são jovens fumando maconha na porta do quartel, não consegue nem deter isso, uns dez ou quinze, vai conseguir inibir os carro com funk e mais de mil jovens ao entorno deles??Tinham que ver a praça no domingo, parecia cenário da guerra fria.Isso tudo ai é Lero Lero, tem que acabar com os blocos porque as pessoas não tem educação para se divertirem, salvem algumas.
 
Francisco
Francisco - 03 de Ferveiro às 15:12
Esse comandante do batalhão do Santa Tereza está de brincadeira com os moradores do bairro, eu moro lá, todo os dias passo na praça para ir a academia e o que não falta são jovens fumando maconha na porta do quartel, não consegue nem deter isso, uns dez ou quinze, vai conseguir inibir os carro com funk e mais de mil jovens ao entorno deles??Tinham que ver a praça no domingo, parecia cenário da guerra fria.Isso tudo ai é Lero Lero, tem que acabar com os blocos porque as pessoas não tem educação para se divertirem, salvem algumas.