SIGA O EM

Samarco não assina Termo de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público

O TAC proposto pelo MPE é para assegurar recursos para ações emergenciais de assistência e ações definitivas de reparação para as vítimas da tragédia em Mariana

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 09/12/2015 18:16 / atualizado em 10/12/2015 07:13

Pedro Ferreira

A Samarco não assinou o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) proposto pelo Ministério Público de Mariana, na Região Central de Minas, para assegurar recursos para ações emergenciais de assistência e ações definitivas de reparação para as vítimas da tragédia provocada pelo rompimento de barragem de rejeitos da mineradora.

A assinatura do documento estava prevista para a manhã desta quarta-feira. O promotor de Justiça de Mariana, Guilherme Meneguin, anunciou anteriormente que, na falta de um acordo, entraria com uma ação civil pública contra a empresa. Ele disse que somente vai se manifestar sobre o assunto em uma coletiva à imprensa, prevista para as 13h desta quinta-feira, no fórum de Mariana.

A Samarco divulgou nota informado que, embora não tenha assinado na data de hoje o TAC proposto, continua analisando e discutindo os termos com o Ministério Público. “Independentemente da assinatura do documento, a empresa reitera que continuará prestando auxílio humanitário às comunidades de Mariana”, informou a mineradora.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
valmir
valmir - 09 de Dezembro às 18:49
"termo de ajustamento de conduta"..pode ter coisa mais ridícula???? não consideraram também dar umas palmadas?? uns puxões de orelha? deixar sem televisão??? ou mais radical ainda: sem sobremesa...