SIGA O EM

Pimentel cria comissão para tratar de tragédia e responsabiliza Samarco

A medida foi tomada durante encontro entre o Governador Fernando Pimentel (PT) e de 25 prefeitos de municípios atingidos diretamente ou indiretamente pela tragédia. A intenção é centralizar as demandas passadas por cada município

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/11/2015 21:42

João Henrique do Vale

Uma comissão será formada por prefeitos para coordenar os assuntos relacionados ao rompimento da barragem da Samarco, que é controlada pela Vale e a empresa australiana BHP, em Mariana, na Região Central de Minas Gerais. A medida foi tomada durante encontro entre o Governador Fernando Pimentel (PT) e de 25 prefeitos de municípios atingidos diretamente ou indiretamente pela tragédia. A intenção é centralizar as demandas passadas por cada município para sanar os problemas da lama de rejeitos. Pimentel também afirmou que considera a mineradora responsável pela situação.

O encontro aconteceu no Palácio da Liberdade e durou aproximadamente duas horas. “Foi uma reunião de trabalho para avaliarmos a extensão dos danos e tomarmos algumas medidas que vão ser implementadas ao longo dessa semana. A principal delas é a criação de uma comissão que vai centralizar e coordenar todas as iniciativas, daqui para frente, voltadas para a recuperação do rio Doce”, afirmou o governador. Um decreto será publicado nos próximos dias no Diário Minas Gerais para oficializar a criação do grupo.

A comissão será coordenada pelo secretário de Desenvolvimento Regional, Política Urbana e Gestão Metropolitana, Tadeu Martins Leite, e terá a participação das pastas de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, a Defesa Civil, Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), Instituto Mineiro de Gestão de Águas (Igam) e Advocacia Geral do Estado (AGE). O governador quer evitar a fragmentação das ações. “Nós estamos entrando na fase mais estrutural do problema. Agora temos de cuidar da recuperação do rio Doce, do ressarcimento das perdas ocorridas, das indenizações”, destacou.

Para o governador, a empresa tem total responsabilidade da tragédia, mas não quis comentar sobre valores de indenização. “Agora, a questão de valor, toda a responsabilidade é da empresa, da Samarco. Então, é ela quem vai arcar com esse prejuízo”, completou.

Segundo Pimentel, no encontro realizado nessa quarta-feira em Brasília, entre a Advocacia Geral da União (AGU) e a Advocacia Geral do Estado de Minas Gerais e do Espírito Santo, ficou definido que as ações jurídicas sobre os danos no Rio Doce devem ser tomadas em conjunto, incluindo as prefeituras.

Qualidade das águas

No encontro da tarde desta quinta-feira, a diretora geral do Instituto Mineiro de Gestão de Águas (Igam), Maria de Fátima Chagas Dias Coelho, afirmou que o Rio Doce está sendo monitorado diariamente e que vem melhorando a cada dia. “Isso nos dá essa tranquilidade. A tendência é que o metal não tenha migrado para a água. Ficou neutro durante todo o tempo”, completou, citando o trabalho em conjunto com o governo federal nesse monitoramento.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600