SIGA O EM

Multa imposta à Samarco corresponde a 9% do lucro da mineradora

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/11/2015 20:10 / atualizado em 12/11/2015 20:30

Douglas Carvalho /Correio Braziliense , Correio Braziliense


Se não tivesse as atividades embargadas desde a última semana depois do maior desastre ambiental da história de Minas, bastariam 32 dias para a Samarco lucrar o equivalente à multa preliminar aplicada pelo Ibama à mineradora. Responsável pelo rompimento nas próprias barragens, que deixou centenas de moradores desabrigados em Bento Rodrigues, no município de Mariana, a empresa terá de pagar R$ 250 milhões, como afirmou nesta quinta-feira a presidente da República, Dilma Rousseff, após sobrevoar a região devastada.

A multa corresponde a 9% do lucro líquido obtido pela Samarco, R$ 2,8 bilhões, no ano passado, segundo informações do Valor Econômico. A mineradora registrou receita líquida de R$ 7,5 bilhões em 2014 antes da dedução de juros, impostos, depreciação e amortização.

A multa à mineradora, segundo a presidente, será por poluição dos rios, tornar área imprópria à ocupação humana, interrupção no fornecimento de água a cidades, lançamento de resíduos em rios e lançamento de efluentes danosos a biodiversidade. Após anunciar a multa preliminar para a mineradora Samarco, aplicada pelo Ibama, Dilma afirmou que a empresa ainda pode ser contemplada com vários tipos de multa, o que pode elevar esse valor.

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Gerson
Gerson - 13 de Novembro às 09:27
O valor da multa não está sendo nem analisada pela empresa ao contratar representantes jurídicos com grande influencia na magistratura que certamente irá recorrer dos valores, com período de discussão não inferior a 20 anos e desta forma nada será pago. Também inclui o fato de que após 30 dias tudo cairá no esquecimento e as discussões serão infinitas com aporte de prazos judiciais acima de 20 anos para qualquer definição inclusive de ressarcimento dos particulares que jamais poderão retornar as suas casas e caberá a própria natureza a recuperação ambiental pelo ocorrido.
 
Silvia
Silvia - 13 de Novembro às 07:44
Humm tá bom! Bonito né, o valor da multa? E quem vai receber este dinheiro, quem vai administrar? Já viram né, aonde esse "dinheirinho" vai parar...