SIGA O EM

Professores salvaram alunos de escola em Bento Rodrigues; veja o depoimento

"Foi um desespero. As crianças chorando querendo os pais e a gente gritando e mandando correr"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/11/2015 13:05 / atualizado em 10/11/2015 11:33

Márcia Maria Cruz /Estado de Minas , Alessandra Mello

Marcos Vieira/EM/D.A press

“Foi a noite mais longa da minha vida” , afirma o professor de Educação Física Paulo Leandro Freitas Eleutério, 28 anos, que ajudou no resgate dos alunos da Escola Municipal Bento Rodrigues, que foi totalmente soterrada pela lama das barragens rompidas em Mariana. Segundo ele, o marido da diretora da escola, identificada por ele apenas como Eliene, foi quem avisou do acidente. “Foi a conta da gente escapar. Deixamos a escola e fomos para a parte mais alta. Uns cinco minutos depois ela foi tomada pela lama”, descreve.

Ele conta que inicialmente ouviu um barulho forte e pensou que fosse um helicóptero sobrevoando a escola. “Mas ele foi aumentando e quando resolvi sair para ver o que era vi a diretora gritando para todo mundo sair e um onda de poeira muito grande e muita lama chegando”. Na hora, segundo ele, havia cerca de 40 alunos, inclusive adultos que participam de um programa de alfabetização. “Foi um desespero. As crianças chorando querendo os pais e a gente gritando e mandando correr”. Paulo foi resgatado hoje de manhã e já está em casa com a família.

"A impressão que eu tinha é que estavam vindo atrás da gente", relata a secretária da escola municipal, Miriam Guimarães, de 36 anos, sobre a lama descendo das barragens em direção a escola. Os 40 alunos e 10 funcionários foram avisados às 16h10 de quinta-feira por um morador do distrito e conseguiram escapar para a parte alta da cidade.

Miriam relata que os alunos foram levados de ônibus, carro e alguns seguiram a pé. O destino era o distrito de Santa Rita Durão, porém a lama derrubou a ponte e os estudantes e funcionários da escola tiveram que retornar para Bento Rodrigues.

Passaram pelo cemitério e pela igreja e caminharam cerca de 3 quilômetros até conseguirem um local seguro. "Vimos a água encobrindo a escola e tudo na lama. Ônibus, caminhão os telhados ficaram no meio da lama", descreveu a secretária da escola. "Só via água cobrindo Bento", completou.

Os 40 estudantes e 10 funcionários passaram a noite lá e foram resgatados na manhã desta quinta-feira e levados para Mariana.
Arte Valf/Marcelo Monteiro/Paulinho Miranda/Janey Costa/Soraia Piva

Arte Valf/Marcelo Monteiro/Paulinho Miranda/Janey Costa
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Marco
Marco - 06 de Novembro às 15:03
Alem de educar, professores também salvam vidas né governantes?