SIGA O EM

Rejeitos das barragens de Mariana chegam a usina em Santa Cruz do Escalvado

Lama já atingiu o Rio Doce, que alimenta a Usina Hidrelétrica Risoleta Neves

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/11/2015 11:24 / atualizado em 10/11/2015 11:32

Cristiane Silva


A lama e rejeitos do rompimento das barragens da Samarco em Mariana, na Região Central de Minas Gerais, já atingiram o Rio Doce, um dos maiores do estado.


Um vídeo que circula pela internet mostra a situação na Usina Hidrelétrica Risoleta Neves, que fica em Santa Cruz do Escalvado, a cerca de 100 quilômetros de Mariana.

A represa da usina fica a oito quilômetros do município. Segundo a prefeitura e a Polícia Militar, a cidade não foi atingida, somente a usina. O em.com.br entrou em contato com a Candonga, empresa responsável pelo local, que vai se pronunciar por meio de nota. A concessionária já adiantou que o funcionamento da usina não foi prejudicado.

O empresário Guilherme Tuzi Pereira disse que a lama começou a chegar a Santa Cruz do Escalvado por volta das 6h30, no encontro do Rio Carmo (que vem de Mariana) com o Rio Piranga, onde o Rio Doce se forma. O curso d'água chegou a subir 30 centímetros, mas já baixou. Pereira vez um vídeo que mostra a situação no local:



Arte Valf/Marcelo Monteiro/Paulinho Miranda/Janey Costa/Soraia Piva

Soraia Piva
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Marco
Marco - 06 de Novembro às 14:47
Certamente a natureza dará o troco para essa cambada de políticos safados e corruptos que trocam segurança e vidas humanas por boladas generosas, para liberar empreendimentos de milhões. FEAM é cabide de empregos e não possui profissionais e técnicos gabaritados para atestar a segurança em mineração.
 
Telvio
Telvio - 06 de Novembro às 14:26
Rejeito proveniente das atividades de concentração de minério de ferro contem em sua maioria sílica ( areia). Rejeitos provenientes de plantas de concentração de ouro e zinco, onde existem a presença de arsênico no minério , podem conter resíduos de arsênico. Entretanto a lama arsenical não é estocada em barragens. O rejeito da SAMARCO assim como de todas as minerações de ferro são inertes.