SIGA O EM

Prefeitura de BH quer baixar a velocidade de carros para uso de bicicletas

Convivência harmoniosa entre os meios de transporte é uma das apostas da empresa de trânsito para ampliar a malha cicloviária da capital

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/03/2015 06:00 / atualizado em 20/03/2015 09:02

Valquiria Lopes

Edesio Ferreira/EM/D.A Press

Colocar carros e bicicletas transitando em pistas compartilhadas, em ruas de bairro e em velocidade reduzida, é uma das apostas da BHTrans para ampliar a malha cicloviária de Belo Horizonte, hoje com 80 quilômetros. Para isso, a empresa que gerencia o transporte e trânsito estuda importar um modelo alemão, da cidade de Bremen, onde 25% da população anda de bicicleta e divide espaço com automóveis, sem faixas demarcadas para ciclistas que, ainda assim, têm preferência no trânsito. Uma equipe de técnicos da empresa belo-horizontina viaja para a cidade europeia no mês que vem, para conhecer o projeto. Para ser possível executá-lo, será preciso reduzir a velocidade nas vias escolhidas, para até 30 quilômetros por hora. “Vamos identificar áreas que permitam essa convivência harmoniosa entre veículos e bikes”, disse a coordenadora do Programa Pedala BH, Eveline Trevisan, que citou como exemplo as ruas Gonçalves Dias, no Bairro Funcionários, e Rio de Janeiro, em Lourdes, ambas na Zona Sul.

O anúncio do futuro projeto foi feito durante o Workshop Internacional de Mobilidade Urbana do Projeto Solutions, que incentiva a troca de experiências em mobilidade urbana sustentável entre cidades da Europa, América Latina e Ásia. O evento foi realizado ontem pela BHTrans e pelo programa Embarq, de transporte sustentável e desenvolvimento urbano, e reuniu especialistas da Europa e de estados brasileiros. O modelo de Curitiba, batizado de Via Calma, também foi apresentado no seminário.

Mas, para avançar no transporte cicloviário, a Prefeitura de Belo Horizonte ainda tem um longo caminho. A meta da administração municipal é implantar mais 150 quilômetros de pistas para bikes até o fim de 2016, além de concluir cerca de 10 quilômetros já em execução, para chegar a 240 quilômetros de ciclovias. De acordo com a BHTrans, o financiamento foi liberado desde o ano passado e os projetos estão sendo elaborados. Para serem construídas, no entanto, as novas faixas exclusivas devem ser integradas a sistemas de transporte de massa, como o metrô e o BRT/Move.

Anteontem, um dia antes do evento, parte da rede cicloviária de BH foi visitada por uma comitiva de técnicos da BHTrans e pelos palestrantes e especialistas internacionais. Gerente sênior de projetos em mobilidade urbana de Bremen, Michael Glotz-Richter elogiou as conquistas na implantação do sistema, que decolou em BH somente a partir de 2011. “Estou impressionado com o que foi alcançado em pouco tempo. Iniciar um projeto é difícil, mas combinar diversos modais é sempre o ideal”, afirmou ontem, durante sua palestra sobre as melhores práticas de mobilidade urbana sustentável em sua cidade. Ele, no entanto, destacou um obstáculo ainda a ser vencido pela capital mineira. “BH precisa avançar no sentido de mudar a cultura e melhorar a convivência com a bicicleta”, disse.

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
wilson
wilson - 05 de Maio às 10:12
Pedale quem quiser pedalar, as subidas são menores obstáculos que a falta de educação e civilidade da população.......
 
Wagner
Wagner - 21de Março às 09:48
As únicas coisas que a BHTRANS sabe fazer é instalar mais quebra-molas, radares e semáforos e além é claro q1
 
Jack
Jack - 20de Março às 23:18
Eu já tentei ir para o trabalho de bike em BH. Também já andei de bike na Alemanha. As diferenças são muitas. Em BH, além dos morros e do trânsito, o calor faz você ficar suado em 5 minutos. O motorista brasileiro não pratica a gentileza, aliás, quer sempre levar vantagem. Isso sem falar nos assaltos e no risco de perder a bicicleta ou levar um tiro. Ah, e os buracos...
 
Fabrício
Fabrício - 20de Março às 16:57
As mudanças e implantação da clicovia na Rua Rio de Janeiro é um fiasco. A Gonçalves Dias um barranco. Mobilidade urbana não se faz pra tirar foto, sim para que as pessoas possam ir e vir.
 
Vinícius
Vinícius - 20de Março às 16:39
Bicicleta não é obrigação para todo mundo. Mas quem quer experimentar e continuar, deve ter sua escolha respeitada. Fica o convite para pedalar (por lazer, ao trabalho, por esporte...). Existem grupos que ensinam a pedalar (bike anjo bh), que discutem o uso como transporte (bh em ciclo)... opções não faltam. Repetindo: se a bicicleta não serve para você, pode servir para outra pessoa, respeite o ciclista. viniciusmundimz@gmail.com
 
Clodoveu
Clodoveu - 20de Março às 12:50
Bremen, na Alemanha, tem elevações que vão de 10,5m a 14,4m acima do nível do mar. O pessoal que defende ardorosamente as ciclovias em BH ignora a topografia da cidade. Não é apenas um detalhe.
 
Rodrigo
Rodrigo - 20de Março às 20:43
Ok. Diga-me mais sobre São Francisco, que tem uma topografia pior que Belo Horizonte.
 
Daniel
Daniel - 20de Março às 12:10
Não quero ir na contramão dessa história, mas acho que BH cresceu desordenadamente e NÃO tem mais espaço para ciclistas nas grandes vias. Eu era um deles e considero um suicídio dividir espaço com carros. Ao mesmo tempo, encurtar certas vias para criar pequenas pistas de cliclismo, que sequer tem ligação entre si, é uma atitude impensada que só piora o caótico trânsito de BH.
 
Rodrigo
Rodrigo - 20de Março às 20:44
Nenhuma ciclovia é feita para criar pequenas vias de ciclismo. Já se tem a ligação prevista.
 
Marco
Marco - 20de Março às 11:33
O dia que motoristas, motociclistas, quem anda de bicicletas forem educados, pode-se tentar algo nesse sentido seja em qualquer cidade brasileira. Atualmente? NEM PENSAR...a ignorância que temos visto no trânsito, serve como exemplo de como não ser motorista ou seja o que for em cima de rodas...
 
domicio
domicio - 20de Março às 11:28
Esse prefeito é maluco,com essa quantidade de morro?
 
Marcio
Marcio - 20de Março às 11:26
Mais uma decisao desastrosa!!!
 
Emanuele
Emanuele - 20de Março às 11:26
Eu convido os senhores a subirem apenas 3 ladeiras de bicicletas para depois me dizerem se aqui tem alguma condição de incentivar o uso da mesma, com tantos morros. Ou são burros, ou querem lavar dinheiro, só pode. Como vou subir varias ladeiras de bicicleta e depois chegar no serviço para cumprir 8 horas de trabalho? Sugiro até o jornal fazer uma reportagem sobre isso, sobre as ladeiras de bh.
 
Jack
Jack - 20de Março às 11:08
Porque os técnicos precisam passear na Alemanha se pela internet dá para ver tudo? Será que vão deixar o transporte público, o asfalto, a organização do trânsito e a sinalização também iguais aos da Alemanha? A velocidade máxima já é baixa para uma capital do porte de BH. Deveria ser aumentada. Ninguém anda a 60 km em uma avenida como a N.S. do Carmo por exemplo. Todo mundo freia próximo aos radares. Isso é certo? Mas a fome de arrecadar multas faz isso. Eu fui multado por andar a 66 km/h. Na Alemanha tem as famosas Autobhans em que não há limite de velocidade. Será que vão copiar isso?
 
Rodrigo
Rodrigo - 20de Março às 20:46
Não confunda o ambiente rural com o ambiente urbano. Em áreas centrais de Berlim, Madrid e outras grandes cidades europeias o que está se realizando é a redução das velocidades máximas permitidas.
 
Eder
Eder - 20de Março às 11:07
A única coisa que a BHTrans faz é atrapalhar a vida de quem depende de carros e ônibus. Baixar a velocidade ainda mais? Será que este povo não acompanha o crescente volume de tráfego na cidade? Só falam em reduzir velocidade, porquê não aumentar a fluidez para diminuir os engarrafamentos? Queria saber porquê esta prefeitura odeia tanto quem tem carros.
 
Rodrigo
Rodrigo - 20de Março às 20:47
1) A proposta é em vias de caráter residencial. 2) Crescente volume de tráfego não é justificativa para se aumentar velocidade regulamentada. Se você for atropelado a 60 km/h há chance de viver. A 70 km/h, não.
 
cesar
cesar - 20de Março às 11:07
Eu concordo e faço coro com as opiniões daqueles que enxergam que tais medidas não terão eficácia sem a segurança necessária em Bremen na Alemanha,existem leis respeitadas pelos cidadão ,lá o Estado se faz presente para impedir o caos e a desordem,mas aqui a PBH quer só pintar umas faixas, por placas e pronto, o cidadão que se digladie com o motorista, porque na hora do vamos ver o policial diz o seguinte: _Deixa isso pra lá,vai pra casa, eu sei que é um direito seu,mas você quer passar oito horas em uma delegacia por causa disso ? O próprio agente da lei já incentiva o seu fracasso !
 
cesar
cesar - 20de Março às 11:07
Eu concordo e faço coro com as opiniões daqueles que enxergam que tais medidas não terão eficácia sem a segurança necessária em Bremen na Alemanha,existem leis respeitadas pelos cidadão ,lá o Estado se faz presente para impedir o caos e a desordem,mas aqui a PBH quer só pintar umas faixas, por placas e pronto, o cidadão que se digladie com o motorista, porque na hora do vamos ver o policial diz o seguinte: _Deixa isso pra lá,vai pra casa, eu sei que é um direito seu,mas você quer passar oito horas em uma delegacia por causa disso ? O próprio agente da lei já incentiva o seu fracasso !
 
Helena
Helena - 20de Março às 10:45
Por isso, é que ninguém anda nessa cidade. Esses incompetentes da Bhtrans só copiam modelos importados, que não tem nada a ver com BH. Na realidade, eles querem que deixemos os carros em casa, para tomar tres coletivos e andar de Não Move para chegar ao destino. Só que os entendidos no trânsito não percebem que a cidade vive de carro, ônibus e pedestre .Mas, eles acham que só existe pedestre. FALTA DE VISÃO.
 
Rodrigo
Rodrigo - 20de Março às 20:49
Ninguém está te proibindo de andar de carro.
 
Marcos
Marcos - 20de Março às 15:58
Um dado, cara Helena, que não pode ser esquecido: eles querem que deixemos nossos carros na garagem. Mas tem que ter carro na garagem. Isto é garantia de que já faturaram em impostos, ou seja, temos que comprar mas não podemos usar.
 
Robson
Robson - 20de Março às 10:29
Se o mineiro não aprender a votar de uma vez por todas, estamos arruinados! Modelo alemão no r.... Ainda vão viajar pra lá só pra conhecer...Não tem intenet, Street view, telefone pra entrar em contato com o governo de lá, não! Tem que ir lá pessoalmente com nosso dinheiro! Aff
 
Andre
Andre - 20de Março às 10:24
BRINCADEIRA ESSE PESSOAL QUE TRABALHAM COM O TRANSITO DE BH...CADA UM PIOR QUE O OUTRO.OS ENGENHEIROS DEVEM TER FEITO SEUS CURSOS POR CORRESPONDÊNCIAS.SE DIMINUIR A VELOCIDADE NO TRANSITO, PARA TUDO.NAS VIAS ONDE É PERMITIDO TRAFEGAR A 60KM, TODOS ANDAM A 20KM. POUQUISSIMAS REGIÕES DE BELO HORIZONTE,É BOM PARA ANDAR DE BICICLETAS.O RELEVO DA CIDADE É MONTANHOSO.ESSE PESSOAL VAI É PASSEAR NA ALEMANHA COM O NOSSO DINHEIRO. COPIAR O QUE DEU CERTO EM UMA CIDADE PLANA. BRINCADEIRA. MUDA BH!!!MUDA BRASIL!!! PELO MENOS TENTEM SEREM COMPETENTES......
 
Marcio
Marcio - 20de Março às 10:22
Nunca houve interesse e parece que nunca haverá . É uma comédia eterna. Minas tem os piores motoristas que conheço e ainda dizem que o estado mais difícil de conseguir uma CNH.
 
Prime
Prime - 20de Março às 10:15
Maldito relevo dessa cidade...
 
Rodrigo
Rodrigo - 20de Março às 20:49
Ok. Diga-me mais sobre São Francisco, que tem uma topografia pior que Belo Horizonte.
 
Marco
Marco - 20de Março às 10:09
Só esqueceram de uma coisa: Alemanha, é Alemanha. Brasil, Belo Horizonte com modelo deles de se transitar bicicletas e carros? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk !! esqueceram da falta de educação de brasileiros?
 
Claudinei
Claudinei - 20de Março às 09:56
Ok. Diminuir ainda mais a velocidade dos carros? Com esse transito de BH quem consegue correr? E o que adianta respeitar os ciclistas se eles não respeitam nada? Andam nas calçadas, desrespeitam as faixas de pedestres, eles sim, surpreendem os carros e andam a menos de 1,5, não respeitam crianças nem idosos...E ai??
 
Diego
Diego - 20de Março às 09:50
Sem pé nem cabeça pra variar um pouco. Esse projeto de ciclovia em BH é totalmente capenga e mal elaborado, não está nem sequer no nível de outras capitais brasileiras, imagine de cidades europeias. E reduzir velocidade em placas não adianta, ninguém anda a 40km/h hoje, não andará a 30km/h da mesma forma. Estou com os colegas, o que BH precisa é de uma URGENTE reformulação da BHTrans, começando pela saída de seu diretor e todos os seus coligados.
 
Eugenio
Eugenio - 20de Março às 09:49
Incrível. Como os nosso s órgãos públicos gastam dinheiro com bobagens. O CTB já prevê as regras para bicicletas. É muito claro.. Em tese não precisa nem mesmo de ciclovias. Regras que não são seguidas pela maioria que usam bicicleta. Teriam que ser educados primeiro para isso. Assim como nós, motoristas. Quero ver implantar ciclovia para subir a Afonso Pena (hehehe). apenas como um exemplo . BH é uma cidade que é montanhosa. E aí?
 
emerson
emerson - 20de Março às 09:49
Quanto aos comentários sobre os morros de BH, vocês têm o hábito de pedalar? Não? Então não estão aptos a comentar sobre aquilo que vocês desconhecem...
 
rodrigo
rodrigo - 20de Março às 09:48
BH VAI PARAR! A SOLUCAO DOS NOSSOS "REPRESENTANTES" ESTA CERTISSIMA! PRA EVITAR ACIDENTE, DIMINUIR AS MORTES E GASTAR POUCO COM HOSPITAIS PRA ACIDENTADOS, AGENTE PARA TUDO! NINGUÉM ANDA! SEM SE MOVIMENTAR O MÁXIMO QUE SE PODE ACONTECER É ALGUÉM TROPEÇAR EM ALGUM DOS MILHARES DE BURACOS NAS CALÇADAS! PARABÉNS!!!!
 
Elias
Elias - 20de Março às 09:48
Vai ficar ótimo, reduzir a velocidade dos carros para 30 km/h, quem gasta 2 horas para chegar em casa depois do trabalho, vai passar a gastar 4 horas, e dependendo do lugar onde o cidadão mora, quando o mesmo chegar em casa, já estará na hora de ir para o trabalho outra vez.
 
Marcos
Marcos - 20de Março às 15:53
Quanto a isso não se preocupe, amigo. Hoje já andamos a menos de 30...
 
emerson
emerson - 20de Março às 09:47
Como bem definido pelo Rodrigo, e respeitando a boa vontade do poder público. Podem idealizar qualquer tipo de programa para implantar em definitivo a bike no quotidiano do trânsito brasileiro. Não terão sucesso. O motorista brasileiro, na sua mediocridade, 'baba' por um carro, e sob o seu comando então ele sente até orgasmo, sobrepondo a sua vaidade, capricho, arrogância e ignorância, acima de tudo e de todos. Experimentem pedalar em vias onde é comum o trânsito de ônibus e de caminhões. Boa sorte aos homens de boa vontade, porque no brasil...podem esquecer.
 
Pedro
Pedro - 20de Março às 09:45
O grande problema não é o relevo e sim a selvageria dos nossos motoristas, que não estão preparados para conviver pacificamente nem com seu "iguais", imagina com as "magrelas".
 
Pedro
Pedro - 20de Março às 09:43
O pessoal que fala de morro em BH certamente, não anda de bicicleta. Apesar do relevo acidentado ele não é impeditivo para a prática do ciclismo, pois da mesma forma que temos subidas temos descidas. Por exemplo, em horário de pico, sair da praça da liberdade para a praça 7 não há meio mais rápido que a bicicleta. Além do mais, integrando com o transporte público é possível fazer uma utilização mista, com bicicletas dobráveis e as compartilhadas. O que vocês precisam fazer é pensar um pouco mais fora da caixinha.
 
Marcos
Marcos - 20de Março às 15:51
Você tem razão quando fala em "prática do ciclismo". Isto me parece diferente de uso cotidiano da bicicleta numa cidade tão acidentada. Como já se disse aqui, como ir de bicicleta para o trabalho, chegar suado e assim permanecer o dia inteiro? E mais: por mais evoluídas que estejam as bicicletas em termos de "marchas", temos que considerar que é preciso preparo físico, coisa que nem todos têm, mas precisam se deslocar, apesar de tudo.
 
FERNANDO
FERNANDO - 20de Março às 09:43
Necessário diminuir a velocidade dos carros ... EXATAMENTE... esse bando de caipira dirigindo carros potentes e desrepeitando a velocidade máxima B A S T A.
 
Alfredo
Alfredo - 20de Março às 09:43
Não sou contra ciclovias, mas com propósito. Óbvio que algumas pessoas vão de casa até o trabalho usando bicicleta, mas isso não é a realidade para a maioria das pessoas. Não existe planejamento de longo prazo para dar solução ao transporte público. O governo vai e entope as ruas de carros porque o transporte público é péssimo, agora quer estimular o uso de bicicletas numa cidade cheia de morros?! Não dá conta do BRT, e acha que espalhar ciclovias e diminuir velocidade vai resolver?!
 
FABIANO
FABIANO - 20de Março às 09:28
Gestores da prefeitura e senhores vereadores são omissos. Já enviei até tentei fazer minha parte, mas á algo por trás dessas ciclovias (ego ou algo mais). Se o governo realmente estivesse preocupado com seus habitante construiria motovias para reduzir o número de óbitos, nessa cidade motanhosa e extensa é utopia achar que ciclovias será a solução. Governo medíocre.
 
Marco
Marco - 20de Março às 09:19
Aqui não existe educação no trânsito. Convivência harmoniosa entre bikes e carros e caçoar da "inteligência" do Belo Horizontino! É o mesmo que convivência harmoniosa entre ônibus e Táxis. Pintar faixas de ciclovias é chamar carros pra cima do ciclista e acidentes. A separação das ciclovias TEM QUE SER ATRAVÉS DE BARREIRAS FÍSICAS, pelo menos até que se eduque os motoristas ( uns 500 anos talvez).
 
Marco
Marco - 20de Março às 09:19
Aqui não existe educação no trânsito. Convivência harmoniosa entre bikes e carros e caçoar da "inteligência" do Belo Horizontino! É o mesmo que convivência harmoniosa entre ônibus e Táxis. Pintar faixas de ciclovias é chamar carros pra cima do ciclista e acidentes. A separação das ciclovias TEM QUE SER ATRAVÉS DE BARREIRAS FÍSICAS, pelo menos até que se eduque os motoristas ( uns 500 anos talvez).
 
Marcos
Marcos - 20de Março às 15:44
E será que não será também necessário educar os ciclistas para que usem apenas o espaço delimitado a eles ou que respeitem mais as regras de trânsito onde não existam tais espaços, evitando, inclusive o uso de calçadas, como declarado abaixo, pela Adriana?
 
Adriana
Adriana - 20de Março às 09:18
Troquei meu carro por uma bike e sinto que faltam mesmo ciclovias em BH. Muitas vezes me vejo obrigada a andar pelas calçadas para não me arriscar tanto em grandes avenidas! Quanto às subidas, é uma questão de costume e preparo, não deve ser um impeditivo para a implantação de ciclovias!
 
Marcos
Marcos - 20de Março às 15:42
Não ande nas calçadas, cara Adriana. Calçada é lugar de pedestres. Veículos (e bicicletas também o são, andam na rua. Garanto que lá em Bremen eles não fazem isto. Não será o nosso modelo?
 
Eduardo
Eduardo - 20de Março às 09:13
Meu Deus! Quando o M. erda vai sair da prefeitura?
 
Alfredo
Alfredo - 20de Março às 09:02
Não sei se isso é para rir ou para chorar. Ciclovias não são para a gente sair por aí andando ao léu. São para ligar sua residência ou seu trabalho a uma estação de transporte público - metrô ou ônibus. É para aumentar a conveniência do usuário. Mas os transportes públicos no Brasil não são assim. Quem já viu uma área de estacionamento para carros, motos e bicicletas em estações de metrô em BH? É só para falar que tem, e se tem, é só nas estações do final da linha (e olhe lá). Isso é proposital. É para menos pessoas usarem, porque na visão de governos, usuário enche o saco.
 
tulio
tulio - 20de Março às 08:57
Na Alemanhã existe as autobans estradas com infraestrutura e são em conjunto com ciclovias separadas, aqui no Brasil o governo não investe o dinheiro que arrecada para infraestrutura, não melhora a condição de segurança e pela soberba do seu poder querem prejudicar o cidadão modificando a sua condição de mobilidade porquê o governo foi negligente com suas responsabilidades. É muito fácil e Cômico gerenciar o transito assim. Arrecada, Não investe, Não presta Contas das multas, Multa a reviria, não melhora a infra, e quer resolver os problemas mudando o motorista, sem adequar as vias.
 
Marcos
Marcos - 20de Março às 15:33
Acho que você quis dizer REVELIA, estou certo?. Também faltou a crase. Como escreve mal esse povo!
 
Gilney
Gilney - 20de Março às 08:54
Vamos ter um aumento na incidência de câncer de pele, no índice de acidentes, no mal cheiro no ambiente de trabalho. Vamos ter uma melhora no preparo fisico das pessoas, mas será que compensa em vista dos outros problemas? Copiar ideias que funcionam bem em países de primeiro mundo e com clima, relevo e nível de educação bem diferentes não é coisa de girino, quero dizer? Ou falta inteligencia ou falta de compromisso. Querer diminuir a velocidades dos carros? É para rir?
 
Marcos
Marcos - 20de Março às 15:38
Acho que você quis dizer "mau cheiro", acertei? Assim sinto até um mal estar...
 
Pedro
Pedro - 20de Março às 08:50
"LOGIN EXISTE MAS A SENHA ESTA ERRDA" Pelo amor de Deus.. troca essa msg para "DADOS INCORRETOS" a partir do momento que o login existe a senha ta errada é só testar várias senhas que acerta.. erro basico de segurança... acorda UAI
 
Pedro
Pedro - 20de Março às 08:49
Poderiam começar então dando o exemplo, coloca os dignissimos funcionários da BHTRANS e o Sr. PRefeito para andar de bicicleta, subir morro descer morro... Porque ficar incentivando a população pra fazer uma coisa se eles mesmo não fazem? tinham era que estar cuidadndo pra melhorar o fluxo de transito de transporte publico que diga-se passagem é uma mafia! DINHEIRO DA POPULAÇÂO MAL GASTO! Vai ficar indo pra alemanha a nossas custas ao inves de fazer o que é de dever.. depois ainda tem coragem de criticar a Dilma.. é tudo farinha do mesmo saco. Brasil zil zil!
 
tulio
tulio - 20de Março às 08:49
Além do que o nosso famoso IPVA foi criado para ser revertido em manutenção e infraestrutra, mas ao invés de criarem novas vias e opções detrafégo, o dinheiro DESAPARECE sem falar que o dinheiro das multas ( ninguém sabe quanto é e pra onde vai ) vira uma industria de multar. Quer dizer que o governo não oferece transporte público de qualidade, incentiva as pessoas a comprarem carros, não melhora a infraestrutura, e quando o sistema beira o caos devido a negligênica da BHTRANStorno a solução é proibir carros nas vias ( como no hipercentro) multar ( com esse excesso de radares) BHTRANS BURRA.
 
Gilney
Gilney - 20de Março às 08:46
Querem implantar leis que funcionam na Suecia, Noruega etc. Querem copiar ideias que funcionam bem em países de primeiro mundo com realidades bem diferentes, com nível de educação bem superior, com qualidade de vida superior e clima e geografia bem diferente. Agora esta de querer diminuir a velocidade dos carros,parece piada. Imagina uma ciclovia no Catar onde as temperaturas chegam aos 48 graus fácil ou em Ouro Preto. Imagina um advogado de terno e gravata chegando ao fórum de bike ou um gerente de banco, um médico. Sem chuveiros para um bom banho, será difícil ficar perto deles.
 
Carlos
Carlos - 20de Março às 08:45
QUANTA HIPOCRISIA DOS POLÍTICOS.LÁ VÃO ELES PASSEAREM COM DINHEIRO PÚBLICO.AS CIDADES SÃO COMPLETAMENTE DIFERENTES COMO TAMBÉM A EDUCAÇÃO.SERÁ QUE EM PLENO SÉCULO 21 ESTES BURRROCRÁTAS TENTARAM IMPOR UM SISTEMA ULTRAPASSADO DE SOCIALISMO FAZENDO QUE TODOS ANDEM DE BICICLETA AO INVÉS DO CONFORTO DO CARRO POR FALTA DE CAPACIDADE DE OFERECER O MELHOR PARA TODOS.SERÁ QUE ESTAS PESSOAS E SEUS FAMILIARES IRÃO ANDAR DE BICICLETA EM BH COM TANTAS RAMPAS? PARA ESSES QUEM SABE NÃO SERIA BOM AO INVÉS DE IREM PARA BREMEN IREM PARA HAVANA ? BICICLETA NÃO SE PRESTA PARA TRANSPORTE DE MASSA.
 
tulio
tulio - 20de Março às 08:44
A BHTRANStorno infelismente é uma empresa de profissionais desqualificados que acham que o Brasil é a Europa. Com tantos Buracos, falta de sinalização eficiente Vias com traçados horriveis e com a nossa topografia é muita ignorância e falta de respeito com a população querer implantar um sistema de transporte por bikes num país sem infraestrura para isso e que tem temperaturas de 35º ao contrario dos quase 0º da Europa. Aqui se o sujeito vai trabalhar de Bike e chega todo suado no serviço será que as empresas vão implantar chuveiros ? É muita INCOPETÊNCIA dessa BHTRANStrono.
 
Daniel
Daniel - 20de Março às 08:38
Antes de criar novas regras, por que não fiscalizar melhor as regras já existentes? Todo dia quando vou e volto para o trabalho, o trânsito da capital é um show de imprudências. Cada motorista a lei da própria cabeça, falta muita educação e bom senso entre os motoristas de BH, e a fiscalização é praticamente inexistente (tirando os pardais, que muitas vezes parecem até armadilhas de tão mal planejados). Pff, diminuir a velocidade permitida de vias? Do que adianta se ninguém segue regras?
 
Gustavo
Gustavo - 20de Março às 08:38
Não tem capacidade de fazer ciclovia, vamos atacar no transito; que já não anda mesmo...... Não faz diferença nenhuma; baixar o limite de 60 km/h pra 40 km/h.... Ultimamente os carros andam a 20 km/h, no máximo 30km/h.
 
Rodrigo
Rodrigo - 20de Março às 08:26
Não é necessário aumentar a malha cicloviária para que ciclistas tenham seu espaço, visto que pelo CTB, o ciclista já tem direito a um espaço na via durante sua circulação, independente de indicação na pista ou por placa (sinalização horizontal ou vertical). E reduzir a velocidade dos veículos não vai fazer que os motoristas, de uma hora pra outra, se tornem civilizados no trânsito e respeitem o direito do ciclista; aliás, trânsito este que não tem fiscalização nenhuma e impera a lei de gérson, do mais forte e da impunidade. É cada "autoridade" e "órgão regulador" ignóbil que se vê...
 
Diego
Diego - 20de Março às 08:22
Essa cidade alemâ Bremen, tem as mesmas características de BH? Pois isso me cheira mais dinheiro público mal gasto. não tem como ampliar ciclovias em uma cidade de transporte público ruim e de ruas apertadas cheias de morro. Somente esportistas com um bom treinamento conseguirão utilizá-las. Belo Horizonte precisa de uma mudança de pessoal da BHtrans
 
Daniel
Daniel - 20de Março às 10:37
Isto é verdade. Vou para o trabalho de bike e nos 9,5 km que pedalo por dia, pelo menos a metade é morro.
 
Adriana
Adriana - 20de Março às 08:01
Como uma cidade montanhosa como Belo Horizonte pode ser incentivada ao uso de bicicletas?.
 
Marcelo
Marcelo - 20de Março às 11:13
Adriana, quem anda de bike tem que subir morros também! Pois querer andar somente no plano é desculpa de quem tem preguiça de fazer algum tipo de atividade fisíca!!!
 
Helbert
Helbert - 20de Março às 10:18
Me pergunto isso todo dia.
 
Gaguigu
Gaguigu - 20de Março às 09:39
A China teve que comer escorpião na guerra pra poder sobreviver e hoje faz parte do cardápio deles... Adaptação é pra poucos mesmo... Se não consegue subir um morrinho pedalando, melhor ficar em casa vendo novela mesmo...
 
Leandro
Leandro - 20de Março às 09:35
Quem anda de bicicleta mesmo não se importa com montanhas. Hoje existem bicicletas com até 30 marchas que fazem qualquer subida ficar bem leve. Além disso, quem tem o costume de andar, adquire preparo físico suficiente para encarar qualquer subida.
 
Marcelo
Marcelo - 20de Março às 07:45
Desses 80 km, a comitiva visitou quanto? Dependendo a opinião vai estar bem distante da realidade. Alguns trechos de ciclovia praticamente jogam o pedestre para a rua! Ver trecho PUC-BARREIRO. Outra! Pintar o piso de vermelho ou verde e definir que aquilo é uma ciclovia, é um absurdo. Pensar que podemos copiar um modelo alemão? Esqueçam. Talvez daqui longos anos.