SIGA O EM

Várzea das Flores pode ser interditada no carnaval

A represa está operando apenas com 30% da capacidade. Copasa teme muita poluição e risco de afogamentos no carnaval, por isso vai sugerir às prefeituras de Betim e Contagem o fechamento

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/02/2015 09:47 / atualizado em 05/02/2015 10:56

Cristiane Silva , Luana Cruz /

Ramon Lisboa/EM/D.A Press

A represa de Várzea das Flores, área de lazer na Grande BH, pode ser interditada durante o carnaval 2015 por causa da crise hídrica. A proposta será apresentada pela Copasa à força-tarefa do governo responsável por gerir o abastecimento de água em Minas. A reunião entre as autoridades pode acontecer nesta quinta-feira, no entorno da lagoa.

De acordo com diretor de Operação Metropolitana da Copasa, Rômulo Thomáz Perilli, a Várzea das Flores recebe cerca de 10 mil pessoas durante a folia e a companhia teme que, além da poluição da água, o risco de afogamentos aumente. “Nós vamos ter uma reunião com a Defesa Civil, com o gabinete militar do governo, com os Bombeiros, com os prefeitos de Betim e Contagem. Se for o caso é interditar mesmo, fechar para o carnaval. É uma possibilidade, mas que nós vamos estudar hoje” explica Perilli.

“A preocupação da Copasa é enorme porque o reservatório lá está só com 30% do volume. Isso aumenta o risco de afogamento, aumenta o risco da poluição. Nós vamos levar essa proposta e vamos conversar isso hoje com o governo”, finaliza.

Várzea das Flores é um dos mananciais que abastece a região metropolitana e assim como outros reservatórios, enfrenta baixa vazão neste início de ano – resultado do período de seca prolongada.

CAÇAGOSTAS A Copasa lançou nesta quinta-feira, o programa CaçaGotas com objetivo de combater os vazamentos, um dos vilões do desperdícios em Minas Gerais. As perdas – com vazamentos e ligações clandestinas - chegam a 40% da água tratada.

Somente em 2014, Belo Horizonte registrou 96 mil “escapes de água”. No mesmo ano, a Copasa identificou 1.044 "gatos", uma média de 20 irregularidades identificadas a cada semana.

A companhia está colocando 40 equipes nas ruas para atender a 12 distritos da Grande BH na tentativa de reduzir o tempo médio de supressão de vazamento de nove para quatro horas. A diminuição das perdas de água não é necessariamente a resolução do problema de cada vazamento, mas evita o desperdício imediato do recurso.

Marcos Michelin/EM/D.A Press

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
laiston
laiston - 05 de Ferveiro às 21:19
Se o estado ou algum politico qualquer estivessem preocupados com meio ambiente e agua em geral,a logoa da Petrobras,não estaria do jeito que esta,inclusive,foi preciso morrer toneladas de peixes para começarem a fazer um trabalho TARTARUGA(certamente levara uns 03 anos e ainda sera usada como campanha politica) de limpeza da mesma!!
 
laiston
laiston - 05 de Ferveiro às 21:10
Acho valida a ideia,pois evitara varios gastos indevidos(tipo corpo de bombeiros e outros),porem acho uma atitude tanto que estranha,pro que agora,sera que so se pensa depois que estrago ta feito,vejo que esta falta de agua ainda vai encher muito os bolsos de politicos,que sempre vivem das oportunidades,logo logo teremos urgencia em gastos publicos que algum espertalhão arrumara!!!
 
Rogério
Rogério - 05 de Ferveiro às 17:13
Tem de fechar mesmo, senão vão sujar.
 
Juvelino
Juvelino - 05 de Ferveiro às 15:00
Além de não nos darem educação, saúde, segurança, transporte, energia, água e tudo mais, agora querem tirar o lazer do povão?! Até o Rio que tem mar tem o Piscinão de Ramos, cadê o nosso?! Várzea das Flores era para ser esse piscinão!
 
carlos
carlos - 05 de Ferveiro às 14:40
Nadar na lagoa Várzea das Flores, ou Vargem, como diz a COPASA, reduz a quantidade no reservatório. Se afogar, aí diminui mais ainda, pois o afogado antes de morrer, ingere uma grande quantidade de água que vai fazer falta. Ah, tenha dó senhor governador e pare com terrorismo em cima da população mineira que infelizmente te elegeu. Agora todo mundo fica cuidando da vida dos outros, vigiando se está gastando mais ou menos água. Palhaçada. É assim que Pimentel adora, tipo o cubano que vive vigiando o vizinho pra ver se está falando mal de Fidel. Coisas de PT. Coisas de ditador.
 
carlos
carlos - 05 de Ferveiro às 14:36
Se quer achar gatos é só ir na invasão atrás da CEASA que vai ter ligações a rodo. E com muito desperdício, já que vagabundos invasores de terrenos alheios não tá nem aí, já que é água roubada.
 
Daniel
Daniel - 05 de Ferveiro às 13:49
Preparem-se senhores. A má gestão vai bater em nossas portas muito em breve. O caos ainda nem chegou a BH. Aguardem que em poucos meses estaremos numa situação pior que de SP.
 
Gerson
Gerson - 05 de Ferveiro às 13:47
Estas medidas de impedir o acesso as represas, rios e lagoas já deveriam ter sido tomadas no ano passado, uma vez que se trata da última reserva de água para sobrevivência na estiagem. Além disso deveriam interditar todos lava jatos, e limpeza em postos de gasolina e até nas vias publicas de veículos, a menos que o estabelecimento possua equipamentos para reaproveitamento da água. São medidas impopulares mas no ponto que chegou a Copasa e administradores não podem agir de forma política para sustentação de votos, ou serão praticamente massacrados quando os centros urbanos ficarem sem água.
 
Tulio
Tulio - 05 de Ferveiro às 12:44
Copasa corrupcao e burocracia este e o lema ,se querem mdernizar tem que comecar pela reducao de pessoal
 
Tulio
Tulio - 05 de Ferveiro às 12:42
COPASA sempre foi para empregar politicos e para desvio de muito dinheiro metodos ultrapassados e a burocracia nunca vista se querem melhorar comecem por retirar a tal de tarifa social
 
Marco
Marco - 05 de Ferveiro às 12:33
Agora estão desesperados, tentando gerenciar o que nunca gerenciaram! O que deveria ser prática diária e comum, agora vai entrar por goela abaixo, como obrigação, ou então seremos todos penalizados pela falta da água; líquido esse que a COPASA NÃO trata como bem precioso.
 
vicent
vicent - 05 de Ferveiro às 11:46
Ai está o grande problema !! Essa medida tem que ser tomada não só na crise hidrica ... quem é morador e tem sítios na região assiste ao vandalismo, destruição, poluição, drogas, motoqueiros, jipeiros e etc... e a Dona COPASA providência nenhuma toma !!! A policia? De vez enquanto vai passear por lá !!
 
Lucio
Lucio - 05 de Ferveiro às 10:34
O brasileiro só tem cabeça pra pensar em Carnaval, enquanto isso, os políticos salafrários vão surrupiando os recursos públicos. Acorda Brasil!