Balanços traçam mapa da violência em Minas Gerais

Índice de homicídios dolosos (com intenção de matar) subiu de 18,4 para 19,8 ocorrências por 100 mil habitantes em Minas entre 2011 e 2012, saltando de 3.630 para 3.924

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 05/11/2013 06:00 / atualizado em 05/11/2013 07:30

Tiago de Holanda

O número de homicídios registrados em Belo Horizonte caiu 15,1% entre os primeiros 10 meses de 2012 e os deste ano, passando de 649 para 551 casos, segundo dados divulgados ontem pela Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds). Já a região metropolitana registrou redução de 1,6% (de 1.509 para 1.484). Em todo o estado, houve elevação de 0,7% (de 3.210 para 3.234). No mesmo período, no entanto, aumentaram os casos de crimes violentos – que abrangem homicídio e outros seis tipos de ocorrência – e de crimes violentos contra o patrimônio (roubo e extorsão mediante sequestro).


A comparação entre o número homicídios em 2012 e 2013 considera as ocorrências registradas, mas algumas têm mais de uma vítima. O total de pessoas assassinadas, que passou a ser divulgado neste ano, foi de 3.354 em Minas. O número de crimes violentos cresceu 17,1%, passando de 58.772 para 70.934. Na Grande BH, o aumento foi de 15,5% (de 34.834 para 41.215), índice próximo aos 15,7% de elevação registrados na capital (de 20.896 para 24.786).

O secretário de Estado de Defesa Social, Rômulo Ferraz, ressalta que Minas começou 2013 com mais homicídios que no início de 2012, mas a tendência se inverteu. Entre janeiro e março do ano passado houve 971 casos no estado, contra 1.077 no mesmo período deste ano. Já em setembro e outubro, o total caiu de 666 para 623.

Os crimes contra o patrimônio aumentaram 20,4% no estado (de 49.006 para 61.558), 18,2% na Grande BH (de 30.584 para 37.411) e 17,7% na capital (de 19.032 para 23.134). “Esse crescimento é um fenômeno que ocorre no país como um todo. Uma das causas é o abrandamento da legislação, que dificultou muito que criminosos sejam mantidos presos. Além disso, a entrada e circulação de armas de fogo e munição vem aumentando. O consumo de crack também dissemina esses crimes”, afirma Ferraz. O secretário acredita que a média diária de roubos, especialmente na Grande BH, caia até o fim do ano.


ANUÁRIO
O índice de homicídios dolosos (com intenção de matar) subiu de 18,4 para 19,8 ocorrências por 100 mil habitantes em Minas entre 2011 e 2012, saltando de 3.630 para 3.924, segundo a sétima edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, feito pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública com base, principalmente, em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Sistema Nacional de Estatísticas em Segurança Pública e Justiça Criminal. No país, a taxa subiu de 22,5 para 24,3 por 100 mil habitantes, passando de 43.366 para 47.136 casos. No mesmo período, o total de estupros no país saltou de 42.482 para 50.617, passando de 22,1 para 26,1 ocorrências por 100 mil habitantes. Em Minas, a taxa passou de 8,9 em 2011 para 10,1 em 2012.

Tags: