18°/ 28°
Belo Horizonte,
24/ABR/2014
  • (59) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Sósia de estuprador se diz injustiçado Condenado por abuso sexual no Cidade Nova em 1997, homem afirma que pode ter sido confundido com ex-bancário preso semana passada por ataque no mesmo bairro e ano

Alfredo Durães

Publicação: 02/04/2012 06:29 Atualização: 02/04/2012 10:24

Paulo Antônio (D) ficou preso cinco anos e hoje está em condicional. Abaixo, uma foto antiga dele demonstra a semelhança com Pedro Meyer (E) (Jair Amaral/EM/Reprodução)
Paulo Antônio (D) ficou preso cinco anos e hoje está em condicional. Abaixo, uma foto antiga dele demonstra a semelhança com Pedro Meyer (E)
Há 15 anos, em 1º de abril de 1997, o porteiro Paulo Antônio da Silva, então com 51 anos, viu sua vida desmoronar. Assim que largou o serviço, às 7h, foi detido por policiais civis para ser interrogado, acusado de, dias antes, ter tentado estuprar três menores de idade, com idades entre 11 e 13 anos. Ele passou a noite na unidade policial e foi liberado no dia seguinte. Porém, poucas horas depois foi novamente detido em casa para, então, começar um calvário que se estenderia por um longo tempo. Reconhecido pelas menores e por uma testemunha que o viu fugir da cena do crime, ele foi condenado, ainda em 1997, a 16 anos de prisão. A testemunha, uma mulher, afirmou em juízo que o flagrou seviciando as garotas e que ele fugiu correndo assim que ela gritou.

Paulo Antônio trabalhava em um prédio na Rua Bernardino Sena Figueiredo, 945, no Bairro Cidade Nova, Região Nordeste de Belo Horizonte. Sem ficha policial, ele era casado e pai de duas filhas. Passou cinco anos e sete meses preso e saiu em liberdade condicional, situação em que está atualmente, já que o total de sua pena ainda não foi cumprido. Recebendo um salário mínimo de aposentadoria, ele tem que se apresentar todo mês no fórum por exigência da Justiça. Desde sua prisão, ele sempre sustentou sua inocência, mas chegou a ser apunhalado na Penitenciária José Maria Alckimim, em Contagem, por ter cometido um estupro.

Na última sexta-feira, uma sobrinha de Paulo Antônio folheava o Estado de Minas quando se deparou com a notícia da prisão de Pedro Meyer Ferreira Guimarães, 56 anos, que foi reconhecido por uma vítima de um estupro ocorrido há 15 anos, no Bairro Cidade Nova, o mesmo em que Paulo trabalhava como porteiro. Ao ver a foto de Pedro, a moça se assustou: a semelhança de Pedro com o tio era muito grande, o que, para familiares, pode ter sido suficiente para que os dois tenham sido confundidos. “A família, vendo as coincidências de data e bairro, ligou uma história à outra”, disse ontem o primo de Paulo, o assessor parlamentar Eustáquio Alexandre Teixeira Silva, de 52, acrescentando que na época da prisão o porteiro já tinha um problema de hérnia numa das pernas, o que o impossibilitaria de correr, como afirmou a testemunha na época.

 (Arquivo EM)
Família

Ontem, Paulo Antônio falou pela primeira vez com a imprensa desde a sua prisão, em 1997. Com as mãos trêmulas, pensamento às vezes confuso e apoiado numa bengala, disse que nunca deixou de acreditar que um dia conseguiria provar sua inocência. “Sempre fui trabalhador e nunca tinha entrado numa delegacia. Até hoje não entendo direito por que fui preso.
Os caras da polícia chegaram no prédio e disseram que eu parecia com um bandido que eles estavam procurando. Revistaram minha bolsa e acharam o pó de café e o açúcar que eu levava para o serviço. Perguntaram por óculos e boné, e eu disse que nunca tinha usado. Me levaram para a delegacia e minha vida nunca mais foi a mesma. Perdi minha mulher e tudo mais”, disse, entre um silêncio e outro. “O padre João de Deus, da igreja da Cidade Nova, foi minha testemunha de defesa, pois me conhecia, e também a dona Célia, que morava no prédio. Mas mesmo assim fui condenado”, contou.

Um vizinho de Paulo, que se identificou como Júnior, disse que mora ao seu lado no Bairro Ribeiro de Abreu há mais de 20 anos e que nunca acreditou na culpa dele. “Ele vivia da casa para o trabalho e, ao que me parece, nunca se envolveu com coisa errada. Na época, todos ficamos surpresos, mas nunca acreditei nessa história de estupro”. A diarista Júlia Teixeira da Silva, de 39, afirmou que a família sempre acreditou na inocência do tio. “Agora, parece que a verdade está aparecendo. Vamos fazer tudo para limpar o nome dele”, afirmou. O supervisor de segurança Amarildo Lemos, de 49, casado com a sobrinha de Paulo, resumiu a situação dele: “Ele perdeu a família, o emprego e a saúde”.

ENQUANTO ISSO...

...Novas denúncias e exame de dna
Onze mulheres que denunciaram ter sido violentadas pelo ex-bancário Pedro Meyer serão chamadas a prestar depoimento nesta semana na Delegacia de Atendimento à Mulher de Belo Horizonte. Outras duas já o acusaram formalmente pelo crime de estupro. Desde a quinta-feira, quando Pedro Meyer foi preso, 13 denúncias de supostas vítimas do ex-bancário foram feitas. A delegada Margaret Assis Rocha, que comanda as apurações, também irá realizar sessão de reconhecimento do ex-bancário e solicitar exames de DNA. Segundo ela, apesar das agressões terem ocorrido há mais de 10 anos, na época já se coletava material genético nos exames de corpo de delito das vítimas. Pedro Meyer foi preso em um apartamento no Bairro Anchieta, Centro-Sul da capital, depois de ser reconhecido por uma de suas vítimas, violentada em 1997 em um prédio no Bairro Cidade Nova. A delegada Margaret Rocha afirma que além de confessar o crime pelo qual foi denunciado, ele admitiu ter praticado mais dois estupros em 1995. Um dia depois de preso, o ex-bancário foi reconhecido por mais seis mulheres. Uma delas, cuja identidade está sendo mantida em sigilo, prestou depoimento na sexta-feira e, além de confirmar que Pedro Meyer é o homem que a agrediu, deu detalhes sobre o ato. Depois de ouvi-la e de realizar levantamentos preliminares em relação às outras 11 denúncias, a delegada Margaret aponta que as vítimas são mulheres que hoje têm de 25 a 35 anos, o que leva a crer que o alvo do acusado eram crianças e adolescentes.

Esta matéria tem: (59) comentários

Autor: Luiz Chaves
devem ter estuprado o cerebro das vitimas...... deviam ser presas por calunia... e quanto a apolicia..... prendam o delegado e os envolvidos.. | Denuncie |

Autor: lucas herrera
Justiça podre, polícia podre, país PODRE, pessoas injustiçadas, politica asquerosa, prostituição valorisada, corrupção impune... .....BRASIL COPA 2014..... | Denuncie |

Autor: Roberto Lima
Mais uma prova da falência do nosso judiciario : onde o juiz acha que é quase Deus e o desembargador tem certeza ( logico q | Denuncie |

Autor: jorge pacheco
CADE O DELEGADO DA ÉPOCA, CADE AS TESTEMUNHAS QUE O ACUSARAM E SIMPLESMENTE ACABARAM COM A VIDA DESTE HOMEM, CADE O GOVERNO, VAMOS FAZER JUSTIÇA E O MINIMO QUE PODE SER FEITO É O GOVERNO LHE DAR UMA BOA INDENIZAÇÃO | Denuncie |

Autor: nilton silva
a semelhança é apenas o bigode, neste caso o cantor belchior tambem seria confundido com o estuprador. Nota zero para os detetives que levaram o porteiro preso, para o delegado que instaurou inquérito para o juiz que julgou por ouvir falar. ACABARAM COM MAIS UMA FAMILIA... | Denuncie |

Autor: eustáquio braga
Gostaria que a imprensa publicasse o nome do delegado trabalhou neste inquerito. | Denuncie |

Autor: Paulina Costa
Boa tarde, primeiramente gostaria de agradecer o jornal pelo interesse no assunto, apenas podemos contar com a imprensa, para divulgar casos de imensa irresponsabilidade da justiça do nosso estado, do nosso país. Paulo é primo da minha mãe e o conheço pouco mais o suficiente para ver em sua face, e e | Denuncie |

Autor: geraldo magela
Mais um caso de afoiteza e incompetência ou descaso de nosso judiciário. Agora é processar o Estado e pedir indenização pesada. | Denuncie |

Autor: Renato Lins
CONCORDO TOTALMENTE COM O ALEX COSTA. AS TESTEMUNHAS DA ÉPOCA TAMBEM DEVERÃO SER OUVIDAS. É MUITO FACIL JOGAR PEDRAS.... | Denuncie |

Autor: EVANGELISTA JESUS
Em sendo verdade a história deste senhor, pergunto, quem vai pagar por isso, e quanto vale a moral de um homem? | Denuncie |

Autor: Jose Geraldo da Silva
MARIA DO CARMO, QUANTO A INDENIZAÇÃO É UM DIREITO LIQUIDO E CERTO DELE PEDIR E GANHAR, MAS OUTRA VEZ OS POLÍTICOS EM AÇÃO, MUDARAM A LEI DOS PRECATÓRIOS, POSSÍVELMENTE SÓ SEUS TATARANETOS É QUE VÃO RECEBER. VEJA OS CASOS DA GAMELEIRA E DA MANESMAM, NÃO RECEBERAM, LÁ SE VÃO MUITOS ANOS. É UM ABSURDO. | Denuncie |

Autor: Jose Geraldo da Silva
DIANTE DESSE PROBLEMA, OS POLÍTICOS DEVERIAM EXIGIR DO GOVERNO EXECUTIVO, MAIOR EMPENHO, NO AUMENTO DE POLICIAIS TÉCNICOS, COM LABORATÓRIO E BANCO DE DNA CRIMINAL. O TEMPO DA TORA ACABOU. A POLÍCIA E A JUSTIÇA TEM QUE TRABALHAR EM CIMA DAS EVIDENCIAS TECNICAS E SEM DEIXAR DÚVIDAS. VEJA O CASO NARDONI | Denuncie |

Autor: Márcio Lima
Se ele era réu primário por que foi preso e teve que ficar lá 5 anos? Esta história está mal contada. Não houve recurso ao TJMG? Agora se ele receber a indenização merecida em caso de inocência mesmo, a mulher que o abandonou no pior momento de sua vida, volta pra ele, milionário. | Denuncie |

Autor: Saulo Caires
Todas justiça dos homens é imunda e podre! Por isso que Deus não nos permite julgar o próximo e ficou claro quando Jesus disse: "Quem nunca pecou que atire a primeira pedra" Se for verdade os fatos os juizes, policiais, delegado e partes da acusação prestarão contas a Deus! | Denuncie |

Autor: José Salomao
Pois é mais um erro judicial. Meta uma Ação por danos Morais contra o Estado.Peça 20 milhões de reais p amenizar o sofrimento. Falha gritante do judiciário do Estado. | Denuncie |

Autor: jorge freitas
REPARAÇÃO PECUNIARIA PELO ESTADO QUE RESPONDE OBJETIVAMENTE PELOS DANOS CAUSADOS POR SEUS AGENTES. ENQUANTO ISSO LÁ VAI O MEU, O SEU, O NOSSO POBRE DINHEIRINHO. | Denuncie |

Autor: jorge freitas
Pior é saber que podem existir outros milhares de casos como este. O MP denuncia com base em IP anacrônicos e de investigações meia boca. Juizes condenam com base apenas nos mesmos mal feitos IP. IRMÃOS NAVES, AGORA COM OUTRO NOME | Denuncie |

Autor: Mauro rENATO
O Sr. Joaquim Souza foi modesto ao citar políticos safados, só citou Demóstenes....era só citar a turma do Mensalão que já veríamos 39 de uma vez....e se quisesse ir mais perto era só falar do ex-prefeito consultor....precisava ir à Brasília ou Goiás não | Denuncie |

Autor: ALEX Costa
Se ele for inocente mesmo deveria o EM colocar os nomes dos policiais, delegado, juiz em uma reportagem de capa . | Denuncie |

Autor: Daniel Lages
É claro que nenhum dinheiro no mundo pagará a sua prisão, mas se for verdade, o Governo tem a obrigação de ressarcir esta pessoa que pagou pelo que não cometeu! | Denuncie |

Autor: Délio Monteiro Souza
O problema aqui é a Lei, que neste caso beneficia a mulher, se qualquer mulher acusar um homem de estupro, é ele quem deve provar que e´ inocente, o que acho muito dificil, uam vez que era a palavra dele contra a das mulheres... Ou seja, homens... se forem acusados, sumam porque não tem jeito!!! | Denuncie |

Autor: William Batista de Almeida
O pessoal dos DIREITOS HUMANOS, deveriam se pronunciar sobre o fato. | Denuncie |

Autor: William Batista de Almeida
E AGORA? Nada acontecerá! o Sr. Paulo Antônio fica com as porradas que tomou, com a vergonha de ter sido preso por vários anos e perdido muito em sua vida, se ocorreu coisas mais graves dentro das celas (e sabemos que acontece com estrupadores) não tem como mudar nada. A lei beneficia os infratores.. | Denuncie |

Autor: William Batista de Almeida
É sempre assim, se a polícia mata um bandido, vem o pessoal dos direitos humanos, se a gente que é honesto mata um bandido vamos em cana, se é parente de um influente ou político o bicho já tava pegando. Agora o Sr. Paulo Antônio, coitado perdeu vários anos de vida, abusos na cadeia. E AGORA???? | Denuncie |

Autor: maria do carmo
Seu eu fosse este ssenhor pediria uma indenização do estado, que colocam policiais mal preparados em serviço, que cometem esse tipo de erro que marca para sempre a vida de uma pessoa. | Denuncie |

Autor: Pedro Vilela
A polícia não gosta perder tempo com investigação e os juizes querem se livrar dos processos o mais rápido possível. Resultado: trabalham mal, deixam inocentes presos e bandidos soltos. O governo deveria descontar dos seus salários a possível indenização que o estado será obrigado a pagar. | Denuncie |

Autor: Geraldo Junior
Infelizmente é triste. O estado de MG, tem que pagar sim indenização a esse homem, pois nossa Polícia caótica e medíocre. um Judiciário com atos falhos, que se curva diante da pressão popular, deixando de observar elementos relevantes que poderiam impedir injustiças como essa. | Denuncie |

Autor: JOSÉ SILVA SOBRINHO
Assim como Pedro Daniel Alves Araújo, fico me perguntando que têm a dizer os defensores da pena de morte e do olho por olho, dente por dente. Certamente nada, a não ser as asneiras de sempre. | Denuncie |

Autor: JOSÉ SILVA SOBRINHO
E que a cara da Justiça mineira "queime" e obrigue o Estado de Minas a pagar a esse cidadão a indenização que ele realmente merece, pois só o dinheiro poderá trazer um pouco de alento diante de tanta injustiça. | Denuncie |

Autor: JOSÉ SILVA SOBRINHO
Que isso sirva de alerta na hora de denúncias anônimas, na hora de reconhecimento de autores de crimes. Tomara que o Brasil seja denunciado lá fora por mais essa covardia. (Continua) | Denuncie |

Autor: geraldo silva
A vergonha,desprezo,humilhaçao,agressões e as perdas q esse cidadão teve, jamais serão reparadas por qualquer indenização.Honra não tem preço, assim aprendi com meu pai e foi o maior legado q ele me deixou.Somente em Deus, esse cidadão vai encontrar paz e recomeço.Paz,a ele e td sua familia. | Denuncie |

Autor: JOSÉ SILVA SOBRINHO
Uma polícia investigativa caótica, medíocre; um Judiciário com atos falhos, que se curva diante da pressão popular, deixando de observar elementos relevantes que poderiam impedir injustiças como essa. (Continua) | Denuncie |

Autor: JOSÉ SILVA SOBRINHO
É pressão de gente irresponsável para que se prenda e condene o primeiro que aparecer. Quero ver agora quem vai restaurar a integridade desse homem; quero ver quem vai ser responsável pela condenação injusta dele. Revoltante! Prefiro mil vezes um estuprador solto do que um inocente preso. (Continua) | Denuncie |

Autor: JOSÉ SILVA SOBRINHO
É o que dá acreditar apenas nas palavras de quem acusa, sem ter sequer uma prova adicional. Por isso que não acredito em ninguém que diz ter sido estuprado sem que haja prova material! São leis malfeitas, investigações malconduzidas. (Continua) | Denuncie |

Autor: Edson Carneiro
Eainda tem gente que pede a implantação da pena de morte no Brasil. | Denuncie |

Autor: cesar pereira
Não fizeram exame de DNA,não levaram em conta a vida pregressa do réu ,cometeram uma injustiça com um inocente ,com a sociedade e com as vítimas do verdadeiro criminoso! Como estamos na época da Páscoa vejo na imagem desse senhor a semelhança do próprio Cristo imolado e inocente ! | Denuncie |

Autor: Pedro Daniel Alves de Araujo
Ao ler este caso fico me perguntando: onde estão os defensores da pena de morte e outras penas que apliquem o dente por dente e olho por olho? O sistema investigativo no Brasil é uma piada (principalmente aqui em MG) e nossas penitenciarias estão lotadas de gente que foi apenas acusada (sem provas). | Denuncie |

Autor: josé Neto
A PMJA - Penitenciária José Maria Alkimimm é em Ribeirão das Neves. Mas o que vale mesmo lembrar é que, pobre sempre é que vai preso.... | Denuncie |

Autor: Teo Fernandes
E agora, quem vai pagar pelo erro? | Denuncie |

Autor: Wander Eduardo
E a "semelhança" entre os dois nem é tão grande. Tem que forçar muito a barra. | Denuncie |

Autor: Wander Eduardo
Eis a tão propalada "eficiência" da polícia civil. Se fosse rico e tivesse um bom advogado não seria tão injustiçado. Agora pode processar o estado, mas quando sair a indenização, será para os netos. | Denuncie |

Autor: DEMERVALDO ALMEIDA
Isso não tem preço. A sociedade condena as pessoas sumariamente. Ninguém tá nem aí pra nada. Apotam um culpado sem prova concreta isso é muito grave. Os reponsáveis por essa tragédia deveria ser punidos severamente, sem piedade. | Denuncie |

Autor: FELIPE LUIZ
Ese houvesse pena de morte ? | Denuncie |

Autor: Marco Pereira
Indenização do Estado para o que ficou preso e cadeia, punição severa para este que de fato pode ser o que estuprava as jovens naquela época. Lugar de criminoso é na cadeia, enjaulado. Quem não sabe viver em sociedade merece ser afastado dela. | Denuncie |

Autor: Hugo DF
....o tribunal superior vai finalmente condenar o Estado a pagar, porem será em forma de precatorios, em fim 30 anos depois esse dinheiro será pago a familia desse homem....isso é muito triste, fico imaginando o essa pessoa sofreu, não desejo isso nem para os nossos politicos. | Denuncie |

Autor: Hugo DF
esse é o exemplo de policia e justiça que temos... esse coitado agora vai pedir indenização, a justiça vai reconhecer o erro e determinar o pagamento, o Estado va recorrer (o que é uma vergonha) vai demorar uns 10 anos o processo, infelismente ele vai morrer nesse periodo....continua | Denuncie |

Autor: William Silva
Esse é o Brasil que serve para punir os infelizes. | Denuncie |

Autor: André Lustosa
Aconselho este senhor entrar com um pedido de indenização. Mas lembrando que estámos no Brasil... | Denuncie |

Autor: Júlio Rodrigues
Aos defensores da pena de morte no Brasil: diversos inocentes seriam executados. Nos EUA, infinitos casos de execução de inocentes já ocorreram. Pena de morte nunca resolveu e não resolverá casos de violência. Penas mais longas e sem regressão de tempo nestas penas, é um dos caminhos .... | Denuncie |

Autor: André Rocha
A pior dor que pode existir, a dor da INJUSTIÇA! | Denuncie |

Autor: Bruno Valverde
Por isso que é complicado ter pena de morte num país como o nosso. Imagino o que esse cara passou, deve ter apanhado e sido vítima de abusos. Hoje, descobre-se que era inocente. | Denuncie |

Autor: Mardem Silva
E agora?Como retomar a vida honesta desse CIDADÃO?Agora paga-se uma indenização e fica por isso mesmo.Mais um pobre trabalhador feito de cobaia,e essas testemunhas deveriam ser presas por jogar um trabalhador nos porões da prisão.Não pode ter erro nem duvidas nessa profissão policia. | Denuncie |

Autor: Alexandre
Se o Brasil já estivesse o banco de dados de DNA para todo cidadão (igual recolhe as impressões digitais ao cadastrar o RG), solucionar esses casos seria fácil e não haveria dúvida. Compara-se a evidência física do estuprador/bandido c/ o banco e ele é identificado. Mas a polícia e políticos querem? | Denuncie |

Autor: Marcio Correa Filho
Justiça podre, polícia podre, país PODRE. É a vida! | Denuncie |

Autor: Joaquim Souza
Continuandoi o comentário anterior(dei um comando errado), não há dinheiro que pagará o que ele perdeu. O governo só se preocupa em recolher impostos para financiar a corrupção e formar policiais imbecis e arrogantes que se acham autoridades máximas e donos da última palavra. Esses tem de ser presos. | Denuncie |

Autor: Joaquim Souza
Olá assalariados como eu. Eita Brasilzão de políticos safados como Demóstenes e polícia burra e incompetente. Leiam o que fizeram com cidadão. Perdeu tudo. Honra, família, emprego, saúde e ganhou a corrosão do tempo. Não há dinheiro q | Denuncie |

Autor: sebastião costa
Nada corrige e elimina a dor de uma injustiça. Justiça seria fazer o mesmo com os que o acusaram. | Denuncie |

Autor: Saulo Brandao
Para este cidadão so resta entrar com um processo contra Uniao...! PT saudações. | Denuncie |

Autor: Adalton Célio de Oliveira
E agora José? | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.