SIGA O EM

PUC Minas entra em protestos de estudantes no estado contra PECs

De acordo com o MEC e o Inep no estado são 90 escolas afetadas. Desse número 30 são em Belo Horizonte

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 04/11/2016 12:39 / atualizado em 04/11/2016 16:43

Marcelo Ernesto

Mais uma universidade em Minas foi ocupada por estudantes que protestam contra as Propostas de Emenda à Constituição (PECs) que tratam da reforma no ensino médio e também que restringe gastos do governo federal. Na noite dessa quinta-feira, após assembleia, cerca de 60 alunos da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas) decidiram acampar no campus do Bairro Coração Eucarístico, Noroeste de Belo Horizonte.

A PUC é a primeira faculdade particular a ser inserida na agenda de ocupações que ocorrem em diversos estados pelo país. De acordo com a assessoria da universidade o clima no local é tranquilo e as aulas nos cursos não foram afetadas. A universidade ainda esclarece que tem mantido o diálogo com os alunos para tentar minimizar os reflexos do movimento nas provas dos estudantes que vão realizar as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no local.

Em texto em uma rede social os alunos afirmam que a ocupação não tem data para acabar. Os alunos argumentam ainda que, mesmo sendo particular, vários alunos precisam de programas de inclusão para ter acesso aos cursos. “Mesmo sendo uma universidade privada recebemos recursos do governo federal que permitem o acesso e permanência da juventude ao ensino superior, por isso ocupamos pra defender o nosso Prouni,Fies, bolsas da Capes e CNPQ.”

UFMG


Já na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), cerca de 15 prédios de diferentes cursos estão ocupados. Organizados, os estudantes estão ampliando as ocupações que nos últimos dias contaram com mais adesões. O último a entrar no momento foi o Instituto de Ciências Exatas (Icex). Em assembleia na noite de ontem, os alunos do curso deliberaram pela ocupação.

Até o momento, de acordo com o movimento “Ocupa Tudo UFMG” estão ocupados, além do Icex, os prédios da Farmácia, Educação Física, Centro de Atividades Didáticas (CAD) 1 e 2, Música, Instituto de Geociências, Belas Artes, Faculdade de Educação, Letras, Ciência da Informação, Arquitetura, o Colégio Técnico (Coltec) e o teatro universitário. Nesses locais, não estão ocorrendo aulas.

As ocupações ocorrem em diversos estados do país. Estudantes do ensino médio, superior e educação profissional têm buscado pressionar o governo por meio de ocupações de escolas, universidades, institutos federais e outros locais. Não há um balanço nacional oficial. Segundo a União Nacional dos Estudantes (UNE), até ontem, 134 campi universitários e mais de 1 mil escolas e institutos federais e estavam ocupados.

De acordo com Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) e Ministério da Educação (MEC) em Minas são 90 escolas e universidades ocupados. Em Belo Horizonte o número já chega a 30. Mas o levantamento ainda não considera a ocupação na PUC.

Enem


Por causa do movimento, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será adiado em 364 locais de prova, o que atingirá 240.304 candidatos. O número foi atualizado hoje (4) pelo Ministério da Educação (MEC) em coletiva de imprensa. A lista com os locais em que a prova será cancelada neste final de semana (5 e 6), estará disponível na internet, no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

A lista foi ampliada para incluir locais que foram ocupados após a divulgação da primeira lista pelo Inep, na última terça-feira (1º). Esses estudantes farão as provas nos dias 3 e 4 de dezembro e serão informados do adiamento por SMS.

O MEC também corrigiu a lista de locais ocupados e dez escolas que haviam sido dadas como ocupadas terão prova neste fim de semana. Serão 8.186 candidatos que devem comparecer para fazer o Enem nos dias 5 e 6.

 Com informações Gabriel Araújo
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
MUDA
MUDA - 04 de Novembro às 14:26
O local certo para estarem e em frente as assembleias e ao congresso, os políticos não estão nem ai para estas ocupações. LEMBRO: político só reage com pressão.