SIGA O EM

Enem tem 1 milhão de inscritos a menos em 2015

Esta é a primeira queda no número de inscrições de um ano para o outro desde 2008

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/06/2015 19:01 / atualizado em 09/06/2015 21:52

Estado de Minas

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) registrou, em 2015, 8.478.096 inscrições, 10,67% a menos que no ano passado, quando o número chegou a 9,5 milhões - cerca de um milhão a mais de inscritos. O prazo terminou às 23h59 da última sexta-feira, e o o último dia para o pagamento da taxa de inscrição termina nesta quarta, 10. Esta é a primeira queda no número de inscrições de um ano para o outro desde 2008.

Uma das hipóteses levantadas pelo ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, para a redução no número de inscritos, diz respeito a criação de uma nova regra no Enem para inibir faltas. Isso porque a pasta estebeleceu que os isentos que não fizerem o exame este ano e não justificarem, não terão isenção no ano que vem.

"A hipótese mais provável é que as pessoas que iam se inscrever com alguma gratuidade mas não tinham certeza de que compareceriam desistiram para não perder esse benefício no ano que vem", disse o ministro. Em 2014, 2,2 milhões de candidatos se inscreveram mas não compareceram para fazer a prova, a maioria isentos.

Janine explica que o ministério temia que o aumento do valor da taxa - que não sofria reajuste desde 2004 e passou de R$ 35 para R$ 63 - pudesse afetar o número de inscritos, mas os dados mostram que o número de pagantes aumentou, em vez de diminuir. Passou de 3,07 milhões em 2013 para os atuais 3,4 milhões. "Tínhamos o temor de que gerasse uma exclusão, mas isso não aconteceu", afirmou.

A mudança nas regras, diz o ministro, vai diminuir o "desperdício" na prova e o porcentual das pessoas que levam a sério o exame deve subir. O valor da nova taxa equivale ao custo do exame por aluno, mas cobre apenas o dos pagantes. O restante é subsidiado pelo governo. Se for confirmado os 8,48 milhões de inscritos, a prova custará ao governo R$ 534 milhões, enquanto a arrecadação será de aproximadamente R$ 215 milhões.

Neste ano, as provas serão aplicadas nos dias 24 e 25 de outubro.

Com agências
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600