SIGA O EM

Juíza remarca audiências e nega pedidos da defesa

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
Depois do fim da audiência do processo sobre o desaparecimento e morte de Eliza Samudio, na tarde desta sexta-feira, a juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues, do Tribunal do Júri de Contagem, definiu as datas para ouvir o restante das testemunhas de defesa. A magistrada também indicou quando vai acontecer o interrogatório dos réus.

Nesta sexta a juíza ouviu três testemunhas de defesa. Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), a próxima sessão será no dia 5 de novembro, às 8h30, para ouvir as últimas duas testemunhas. Nos dias 8, 9 e 10, do mesmo mês, deve acontecer o interrogatório dos nove acusados.

Pedido inusitado

A magistrada também avaliou uma série de pedidos das defesas dos réus. Entre as solicitações havia um pedido do goleiro Bruno para que a Justiça o autorizasse a dar entrevistas dentro da prisão. O ex-jogador do Flamengo alegou que gostaria de falar com a imprensa sobre as acusações de coação do advogado Ércio Quaresma.
Marixa Fabiane Lopes Rodrigues negou este pedido, sob o argumento de que o goleiro evitou prestar quaisquer declarações em todas as oportunidades, justificando-se com o “direito de permanecer calado”. Como o próprio Bruno negou, na quinta-feira, que estava sendo ameaçado por Quaresma, a magistrada entendeu que não havia motivo para ele falar com a imprensa sobre o assunto.

Delegados não vão falar

A juíza ainda negou o pedido de troca de duas testemunhas de defesa de Marcos Aparecido dos Santos. De acordo com a decisão, as testemunhas não serão substituídas pelos delegados Edson Moreira e Alessandra Escobar Vieira, conforme solicitação da defesa. Esses delegados já haviam sido incluídos como testemunhas pela defesa do goleiro, mas o promotor conseguiu que fossem dispensados. Sobre os demais pedidos referentes às testemunhas de defesa, Marixa Rodrigues acatou apenas a dispensa de nove testemunhas.