SIGA O EM

Sentença do adolescente deve sair nesta terça-feira

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

Paulo Filgiueira/EM D.A Press

Pode sair ainda nesta terça-feira a sentença do processo do adolescente de 17 anos acusado de participar do desaparecimento de Eliza Samudio. O juiz Elias Obeid, da Vara da Infância e Juventude de Contagem, informou que, depois da entrega das alegações finais do advogado do adolescente, Eliézer Almeida, feita nesta segunda-feira, e das alegações já entregues pelo Ministério Público, o juiz tem material para produzir a sentença. O menor, que está internado no Centro de Internação Provisória São Benedito (CEIP), vai participar da acareação com Sérgio Rosa Sales nesta tarde.

Alegações

A defesa não desmentiu as informações dadas pelo adolescente em depoimentos de que a jovem foi levada do Rio para o sítio do jogador. Eliézer Almeida admitiu nessa segunda que seu cliente foi “usado pelos adultos”. Segundo ele, as declarações do menor são coerentes quanto ao sequestro da modelo. O advogado evitou polêmicas em relação aos comentários de colegas que defendem o goleiro e outros envolvidos, que definem as versões do adolescente como “fantasiosas”.

Eliézer conta que seu cliente já prestou seis depoimentos, pelo menos três deles sob forte pressão, já que na ocasião não era acompanhado por um advogado. De acordo com ele, houve divergências nas declarações, mas foi mantida uma essência que aponta para a participação dele na abordagem de Eliza no hotel no Rio de Janeiro e sua vinda para o sítio em Esmeraldas.

“Com relação à acusação de sequestro, ele foi chamado para dar um susto em Eliza. Ele não teve a intenção de sequestrá-la. Não houve o dolo por parte do meu cliente. Quanto ao cárcere privado, como poderia a modelo estar no sítio, encarcerada, se houve um jogo de futebol no local, com a participação de várias pessoas, a quem ela poderia pedir socorro? Já o homicídio, não há corpo que comprove que ocorreu de fato”, explicou Almeida.

O juiz Elias Obeid vai agora analisar o processo, com as alegações do promotor Leonardo Barreto Moreira Alves, que acusa o menor pelo sequestro e homicídio, e com o parecer da defesa. O magistrado tem prazo de cinco dias para decidir sobre a aplicação de medidas socioeducativas, que, entre outras, pode resultar na internação do adolescente por até três anos. “Espero que meu cliente receba proteção da Justiça”, afirmou Eliézer.