Publicidade

Estado de Minas SÉRIE A

Atlético não ganha há cinco jogos e não terá Keno no próximo jogo

O atacante recebeu o terceiro cartão amarelo e terá que cumprir suspensão no jogo contra o Palmeiras, na próxima segunda-feira


26/10/2020 04:00



Com apenas uma vitória nos últimos cinco jogos, o Atlético precisa reencontrar o bom caminho para continuar brigando pelo título do Campeonato Brasileiro. O problema é que vai enfrentar o Palmeiras, na próxima segunda-feira, em São Paulo, sem seu artilheiro em 2020, o atacante Keno, autor de nove gols desde que chegou, em junho, sendo oito pelo Nacional. O Galo foi favorecido pelo empate entre Internacional e Flamengo, ontem, no Beira-Rio, e ficou a três pontos do líder Colorado.

O atacante Keno recebeu o terceiro cartão amarelo no empate sem gols com o Sport, na noite de sábado, no Mineirão, e terá de cumprir suspensão. O técnico Jorge Sampaoli não adiantou quem pretende escalar para substituí-lo, mas certamente o escolhido terá uma missão difícil, pois o camisa 11 não só marca gols, mas é o criador de algumas das melhores jogadas da equipe.
 
 
Eduardo Sasha pode ser uma opção do técnico Sampaoli para compensar a ausência do atacante Keno(foto: Bruno Cantini/Atlético/Divulgação)
Eduardo Sasha pode ser uma opção do técnico Sampaoli para compensar a ausência do atacante Keno (foto: Bruno Cantini/Atlético/Divulgação)
 
 
Uma das opções é o treinador deslocar Eduardo Sasha para a esquerda e escalar Marrony centralizado. O problema é que os dois jogadores estão em baixa e estão sendo cobrados, especialmente o ex-santista, que nos últimos 10 jogos fez apenas um gol, na derrota por 2 a 1 para o Fortaleza. Sasha chegou ao clube em agosto, indicado pelo treinador, que o comandou no Santos, no ano passado. Teve bom início, inclusive marcando gol no jogo de ida da decisão do Campeonato Mineiro.

A seca dele coincidiu com a queda no aproveitamento da própria equipe, cujo ímpeto avassalador começou a ser combatido com marcações fortes e contra-ataques, quando não com retrancas claras, como foi o caso do Sport. Ao todo, são 15 partidas e três gols, bem menos que o esperado de um atacante, ainda que ele não seja um centroavante nato.

De qualquer forma, Sampaoli o tem em alta conta. Ao menos no âmbito público. “Atribuir a falta de gols a um só jogador me parece muito injusto”, disse o treinador, quando questionado sobre o desempenho de Sasha depois do jogo com o rubro-negro pernambucano. Já Marrony soma quatro gols em 20 jogos. Ele ainda pode argumentar que não vem sendo titular, então não pode entregar muito mais que vem entregando.

REFORÇO 

A verdade é que muitos torcedores defendem a contratação de um homem-gol para completar o já qualificado elenco atleticano. Mesmo com o time tendo o segundo melhor ataque do Brasileiro, com 30 gols, apenas um a menos que o Flamengo, que já entrou em campo uma vez mais. Além disso, o clube deverá voltar no fim do ano com o atacante Diego Tardelli. O jogador se recupera de cirurgia no tornozelo direito, no qual sofreu fratura, rompeu os ligamentos e teve lesão na cartilagem, realizada em julho.

"Estou muito próximo do meu retorno. Continuem as orações, continuem torcendo, porque tenho certeza que voltarei o mais rápido possível e antes do previsto, que era janeiro. Estou morrendo de saudade, muito ansioso pela minha volta. Quero voltar e ser campeão. É meu maior objetivo”, declarou Tardelli, em vídeo gravado no fim da semana passada.


*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade