Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Aula especial para Vinícius Júnior

Que a torcida - e parte da imprensa - tenha mais paciência com Vinícius Júnior. E que não se deixem levar pelos extremos: nem endeusar o garoto nem queimá-lo


postado em 28/02/2019 05:04

(foto: Reprodução/Transfermarket.com)
(foto: Reprodução/Transfermarket.com)


>> fredericoteixeira.mg@diariosassociados.com.br

Nem Messi nem Vinícius Júnior. Quem roubou a cena ontem no clássico Real Madrid x Barcelona foi Luís Suárez. Com dois gols e participação direta em outro, o uruguaio mostrou maestria exatamente no quesito que (ainda) falta ao atacante brasuca: frieza nas finalizações. Mas isso não deve ser motivo para crucificar o ex-flamenguista.

Na maior parte do confronto, Vinícius Júnior apareceu bem mais que o genial (mas bem marcado) Messi, criando quase todas as oportunidades da equipe madrilena e quase marcando um golaço. Mas seguiu tropeçando no seu calcanhar de Aquiles: as conclusões. Nas raras vezes em que não finalizou mal, esbarrou no goleiro Ter Stegen.

Que Vinícius Júnior tem qualidades acima da média não se discute. Não foi por acaso que já conseguiu protagonismo no Real, colocando no banco jogadores como Bale e Asensio. Mas é preciso lembrar que ele tem apenas 18 anos e “pulou” várias etapas em sua formação, que seriam fundamentais em seu amadurecimento como goleador.

A trajetória de Suárez, que ontem precisou de poucas oportunidades para matar o jogo, tem script diferente da de Vinícius Júnior: apesar de ter ido para a Europa com 19 anos, atuou primeiro em uma equipe de menor peso (Groningen) e só mostrou sua veia matadora a partir da transferência para o Ajax. Daí em diante, fez história tanto por Liverpool quanto pelo Barça. Os grandes artilheiros nem sempre nascem prontos...

Que a torcida – e parte da imprensa – tenha mais paciência com Vinícius Júnior. E que não se deixem levar pelos extremos: nem endeusar o garoto nem queimá-lo antes da hora. No sábado, novamente no Real x Barça, pelo Espanhol, e na terça-feira, diante do Ajax, pela Liga dos Campeões, o brasuca pode virar a página e escrever outro capítulo em sua história, que está apenas começando.

Haja coração
Assim como Real x Barça, o fim de semana será marcado por clássicos em algumas das principais ligas europeias. Na Itália, o Napoli (2º, 56 pontos) recebe a Juventus (líder, 69). Com larga vantagem e mais preocupada com a Champions – foi batida pelo Atlético de Madrid por 2 a 0 –, a Velha Senhora pode se dar ao luxo de preservar o craque Cristiano Ronaldo. A capital do país da bota também deve parar para assistir Lazio (6º, 38) x Roma (5º, 44). Outro derby de respeito será em Portugal, valendo a liderança entre Porto (1º, 57) e Benfica (2º, 56). Vai sair faísca!

Favas contadas?
É certo que o futebol tem se mostrado muito parelho ultimamente e que a bola é capaz de nos pregar peças, mas não acredito que isso vá acontecer semana que vem nos primeiros duelos de volta das oitavas da Liga dos Campeões. O fato é que as vagas de Tottenham e PSG foram encaminhadas na ida, quando bateram Borussia Dortmund (3 a 0) e Manchester United (2 a 0), respectivamente. Se não se deixar abalar pelo resultado de ontem, o Real também despacha o Ajax. O duelo mais equilibrado deve ser Porto x Roma, mas cravo classificação dos italianos.

Pegando ritmo

A Seleção Brasileira feminina começou ontem sua participação na She Believes Cup, nos Estados Unidos, com derrota por 2 a 1 contra a Inglaterra. No sábado, as meninas encaram o Japão. Na terça-feira, as donas da casa. O torneio, que serve de preparação para o Mundial da França, em junho, veio a calhar para o técnico Vadão, já que algumas atletas não atuam oficialmente há mais de dois meses (férias e início de temporada). Os destaques do grupo são Marta (seis vezes Bola de Ouro da Fifa), Andressa Alves (Barça), Ludmila (Atlético de Madrid) e a “interminável” Formiga, de 40 anos. O desfalque é Cristiane, que se recupera de lesão na panturrilha.

América de fato
Se a Copa América deste ano, aqui no Brasil, contará com a participação de Japão e Catar como convidados, a situação pode ser diferente em futuro próximo. A Federação Norte-Americana de Futebol (USSF) deseja organizar edição da competição em 2020 reunindo 10 países da América do Sul e os seis melhores da Concacaf. A entidade já teria até enviado convite às 10 federações da Conmebol. A ideia é que o torneio ocorra paralelamente à Eurocopa. Premiações elevadas seriam um atrativo extra: o campeão faturaria cerca de US$ 11 milhões. O martelo deve ser batido já na semana que vem.

Janela indiscreta

O dia hoje promete ser quente no mercado da bola. O motivo? O encerramento da janela de transferências na China. Nas últimas semanas, algumas transações importantes foram concluídas, como a do armador Hamsik, que era ídolo no Napoli. Do Brasil, o atacante Henrique Dourado (ex-Flamengo) foi ‘seduzido’ pelos milionários salários. André, do Grêmio, e Deyverson, do Palmeiras, também receberam propostas. Os clubes chineses correm contra o tempo para garantir seus reforços, já que a Liga dos Campeões da Ásia começa na segunda-feira.

Velho ditado
Diz a sabedoria popular que “filho de peixe, peixe é...” Mas, no futebol, nem sempre isso funciona bem. O último exemplo é o meia-atacante Rivaldinho, filho do pentacampeão Rivaldo, eleito melhor do Mundo em 1999. Após perambular por equipes de Portugal e Bulgária, Rivaldinho está no Viitorul, da Romênia, com quem assinou contrato por apenas seis meses. Neste período, terá que convencer ao técnico – ninguém menos que o ex-camisa 10 George Hagi – que merece ficar. No Brasil, Rivaldinho defendeu clubes como Paysandu, XV de Piracicaba e Mogi Mirim.

 

 

De olho
Marc Cucurella

O lateral-esquerdo Marc Cucurella (foto), de 20 anos, é mais uma promessa espanhola. Começou a mostrar talento no futsal, mas aos oito anos a quadra ficou pequena para ele e foi jogar no Espanyol. Aos 14 anos, foi convidado a integrar as canteras do Barça. Defendeu o Barcelona B (48 partidas, 1 gol), mas só teve chance de atuar uma vez pelo time principal. Em setembro do ano passado, foi emprestado ao Eibar para ganhar experiência e vem mostrando serviço. Tanto que pode até voltar ao clube catalão na próxima temporada (contrato até 2021, com cláusula rescisória de 12 milhões de euros). Defende a Fúria desde o Sub-16.


Publicidade