Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

Frederico Teixeira: Que favoritos são esses?

Também não há sinais de que alguma equipe possa repetir o feito do Real Madrid, que conquistou três títulos nas últimas quatro temporadas


postado em 21/02/2019 05:13

(foto: Reprodução de Internet)
(foto: Reprodução de Internet)


>> fredericoteixeira.mg@diariosassociados.com.br

As partidas de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões deixaram no ar uma pergunta que teima em não calar: afinal, ainda existem favoritos ou o torneio mais importante da Europa está totalmente em aberto? As casas de apostas procuram ansiosamente por esta resposta... O fato é que nesta temporada nenhuma equipe tem conseguido manter o nível de excelência.

Também não há sinais de que alguma equipe possa repetir o feito do Real Madrid, que conquistou três títulos nas últimas quatro temporadas. Após a saída de Cristiano Ronaldo, a coisa mudou de figura. A vitória sofrida sobre o Ajax é uma prova. Mas isso não quer dizer que o gajo seja o fiel da balança. Com ele, a Juventus se deu mal diante do Atlético de Madrid e pode ser eliminada precocemente da competição, mesmo liderando o Italiano com extrema folga.

Algo semelhante pode ser dito a respeito do Barcelona. Mesmo com Messi levando o time nas costas rumo à liderança do Espanhol, em termos continentais ainda tem sido pouco. A má fase do brasuca Philippe Coutinho é uma das responsáveis por deixar a equipe em risco, mesmo diante de um adversário tão menos qualificado quanto o Lyon.

Mesmo o Manchester City de Guardiola sofreu bem mais que o esperado para vencer o Schalke. Deve avançar, mas talvez não mais com o mesmo estigma de imbatível. Outra equipe inglesa, o Liverpool, atual vice-campeão, pode não resistir ao poder da tradição do Bayern de Munique, que vem se recuperando após um início de temporada muito ruim.

Por fim, desponta o favorito que, por alguns momentos, “deixou de ser favorito”, mas mostrou a sua força: o Paris Saint-Germain. Mesmo após as contusões de Neymar e Cavani, passou por cima do United, em Manchester. O camisa 10 brasileiro deve estar rindo de muita gente que o criticou.

Dose dupla
Após resultados distintos na Champions, Barcelona e Real Madrid voltam novamente suas atenções para a rivalidade local. Na terça, em Madri, decidem uma vaga na final da Copa do Rei. Na ida, houve empate em 1 a 1. Depois, no final de semana seguinte, medem forças pelo Campeonato Espanhol, em partida que pode praticamente selar o campeão. Se uma das equipes vencer os dois duelos ganhará força para seguir adiante na Liga dos Campeões. Quem perder, ganhará uma crise para administrar.

Flanelinha?
Sem vencer nas últimas cinco partidas, o Borussia Dortmund vive momento complicado. Após abrir larga vantagem no turno do Alemão, pode ver o Bayern de Munique se igualar em número de pontos (51) sábado, quando o atual hexacampeão recebe o Hertha Berlim (9º, com 32 pontos). Assim, o Borussia entrará em campo pressionado no domingo, para encarar o Bayern Leverkusen (5º, com 36). Tudo bem que as lesões têm atrapalhado a equipe do técnico Lucien Favre, mas nem elas justificam resultados como o empate com o lanterninha Nuremberg. Pra piorar, ainda levou 3 a 0 do Tottenham na Champions.

Vale a temporada
Os jogos de volta da Liga Europa podem decretar um fim de temporada antecipado para duas equipes inglesas. Sem chances de título na Premier League, Arsenal e Chelsea jogam todas suas fichas hoje. Derrotado pelo BATE, da Bielorússia por 1 a 0, o Arsenal precisa devolver ao menos devolver o placar em casa. Já o Chelsea, do contestado técnico Sarri, está em situação menos delicada, afinal, bateu o Malmo por 2 a 1. Mas nem por isso seu pescoço não está a prêmio: se não conquistar ao menos a Copa da Liga Inglesa, domingo, diante do Manchester City, adeus. A paciência do russo Roman Abramovich, milionário proprietário da equipe, não é lá muito grande...

Um respiro
Após bater o Nantes por 1 a 0 na última rodada, o Monaco respirou um pouco mais aliviado, deixando a zona da degola do Francês. Mas, em 16º lugar, com 22 pontos, a equipe do técnico Leonardo Jardim terá parada dura no domingo: encara o Lyon, terceiro colocado (46 pontos), que chega com moral após segurar o Barcelona no duelo de ida das oitavas da Champions. Se perder, o Monaco pode voltar à faixa de rebaixamento. Para piorar, o arquirrival, mesmo sem Neymar e Cavani, segue sobrando e já abriu 15 pontos de frente na liderança da competição. Está difícil para os torcedores do Principado.

 

 

Fique de olho
Daniel Zsóri

Com apenas 18 anos, o centroavante húngaro Daniel Zsóri (foto) vem despontando como mais uma boa revelação do Leste Europeu. De bom porte físico (1,83m), chuta com os dois pés, tem habilidade e também pode atuar como atacante pelas beiradas. Começou no modesto Békéscsaba, mas antes de completar 16 anos se transferiu para o Debrecen. Estreou pelo time principal nesta semana – já marcando um gol de bicicleta diante do Ferencváros, maior campeão nacional. Seu contrato com o clube húngaro vai até junho de 2021.


Publicidade