Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Tropeço celeste em Varginha


postado em 01/02/2019 05:09

Cruzeiro ficou duas vezes à frente no placar, contra o Boa, mas não conseguiu segurar o triunfo(foto: Vinnícius Silva/Cruzeiro)
Cruzeiro ficou duas vezes à frente no placar, contra o Boa, mas não conseguiu segurar o triunfo (foto: Vinnícius Silva/Cruzeiro)


O 2 a 2 com o Boa, na noite de ontem, em Varginha, poderia ser considerado um bom resultado, mas não depois de o Cruzeiro estar duas vezes à frente do placar. No fim, o resultado foi justo, pois mesmo dominando a partida, a Raposa não mostrou ambição suficiente para evitar o segundo empate seguido no Campeonato Mineiro – manteve a vice-liderança. Domingo, às 17h, vai a Nova Lima enfrentar o lanterna Villa Nova.

Entre os pontos positivos, o maior foi a estreia de Marquinhos Gabriel, que começou como titular. O armador atuou pelo lado esquerdo e mostrou bom futebol, com dribles e chegadas interessantes ao ataque, além de recompor a marcação. “Por ser o primeiro jogo, está de bom tamanho. Claro que dá para melhorar, mas foi bom. Começamos bem, fizemos bom primeiro tempo. Já o adversário acertou dois chutes e fez dois gols”, argumentou o estreante, que ficou com a vaga de Rafinha, que nem viajou ao Sul de Minas.

O técnico Mano Menezes aprovou a estreia do reforço, porém, reclamou da falta de atenção da equipe. “Fizemos um primeiro tempo muito bom e tivemos dois erros fatais no segundo. O adversário chutou duas vezes e fez dois gols. Teve méritos, mas não soubemos ganhar. Depois do 2 a 1, faltou posicionamento, faltou cobertura, eles jogaram nas costas dos laterais, fizeram isso duas, três vezes e não soubemos fazer a leitura”, afirmou o treinador, bastante chateado. “Não podemos chegar em Varginha, fazer dois gols e não levar os três pontos.”

A análise de Mano está certa. Mesmo fora de casa, o Cruzeiro dominou a etapa inicial. Além do gol marcado por Robinho cobrando falta aos 28min, teve ao menos outras três chances de ir à rede, sendo que na última, aos 46, o goleiro Renan Rocha pegou cabeçada à queima-roupa de Thiago Neves.

MAIS GOLS O que parecia tranquilo se complicou no segundo tempo. Aos 9min, os donos da casa empataram com o atacante Gustavo Henrique, que pegou sobra na área. O time celeste voltou a ficar em vantagem oito minutos mais tarde, com Fred, que mostrou frieza dentro da área.

Sem se abater, o Boa deixou tudo igual mais uma vez aos 30min, em belo gol. Dênis, que havia acabado de entrar, driblou Edílson na linha de fundo e tocou para Gabriel Vieira acertar belo chute da entrada da meia-lua. Para complicar ainda mais a situação celeste, aos 32 Murilo fez falta em Dênis e, como recebeu o segundo cartão amarelo, foi expulso.

 

Boa 2 x Cruzeiro 2
Boa
Renan Rocha; Chiquinho Alagoano, Victor, Fernando Fonseca e Tsunami; Gabriel Vieira (Edenílso 40 do 2º), César Sampaio, Kaio Cristian (Dênis 28 do 2º) e Gindre; Gustavo Henrique e Jayme (Lucas Gomes 19 do 2º)
Técnico: Tuca Guimarães
Cruzeiro
Fábio; Edílson, Leo, Murilo e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Robinho, Thiago Neves (Fabrício Bruno 33 do 2º) e Marquinhos Gabriel (Sassá 19 do 2º); Fred (Renato Kayser 28 do 2º)
Técnico: Mano Menezes
Quarta rodada do Campeonato Mineiro
Estádio: Melão
Gols: Robinho 28 do 1º; Gustavo Henrique 9, Fred 17 e Gabriel Vieira 30 do 2º
Árbitro: Ronei Cândido Alves
Assistentes: Marcyano da Silva Vicente e Fabiano Jesus da Silva
Cartão amarelo: Jayme, Robinho, Kaio Cristian, Fred e Gindre
Cartão vermelho: Murilo
Próximos jogos: Villa Nova (F), Tupynambás (C) e América (F)
Cruzeirense suspenso: Murilo

 

Goleiro da
base é vendido

No último dia de fechamento de janela dos principais mercados europeus, o Cruzeiro acertou a venda do goleiro Gabriel Brazão, de 18 anos e que nunca atuou pelo profissional. Ele vai defender o Parma, da Itália, que seria uma “ponte” para a Internazionale, primeiro clube a demonstrar interesse no jogador, mas que não tem mais espaço para extracomunitários. O Cruzeiro receberá 2,5 milhões de euros (cerca de R$ 10,5 milhões) por 80% dos direitos, além de 1 milhão de euros (R$ 4,2 milhões) de bônus caso Brazão atue 20 ou mais partidas na temporada. Atualmente, Gabriel Brazão serve à Seleção Brasileira que disputa o Sul-Americano Sub-20 no Chile, sendo reserva de Phelipe Megiolaro, do Grêmio.


Publicidade