Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Aperitivos

Bomba

Há 14 anos, José Lana evitar usar produtos químicos na lavoura de bananas. Ele lança mão de biofertilizantes e vende a fruta in natura, doces e na versão desidratada. Contato: (31) 9718-0208.


postado em 18/08/2017 08:10

(foto: Juliana Flister)
(foto: Juliana Flister)

Ingredientes:

- 2 xícaras e meia (chá) de água

1 colher (chá) de sal

Meia xícara (chá) deóleo

1 colher (chá) de manteiga

3 xícaras (chá) de farinha de trigo

6 ovos

Óleo ou manteiga para untar

Modo de Preparo:

Levar ao fogo a água, o sal, o óleo e a manteiga. Quando começar a ferver, pôr a farinha de trigo e mexer até dar o ponto de um angu duro. Se for necessário, pôr mais um pouco de farinha. Despejar em uma gamela e esperar esfriar um pouco. Pôr os ovos, um a um, e mexer até a mistura ficar homogênea. Em um tabuleiro untado, pôr colheradas da massa e levar ao forno alto, previamente aquecido, por cerca de 20 minutos.

Após esse tempo, verificar se a bomba está com a casca bem sequinha, para que ela não murche depois de retirada do forno. A bomba pode ser consumida pura ou recheada com pernil, requeijão, ou o que desejar.



História em fornadas

(foto: Juliana Flister)
(foto: Juliana Flister)

Em um caderno de páginas amareladas, algumas já soltas, dona Geralda da Cruz Viana procura a receita de uma quitanda que faz sucesso nas mesas de café. Antes, porém, faz questão de mostrar a data anotada em uma das folhas: 1945. Ela enfim encontra o que procura, mas apenas para mostrar como a bomba era feita antigamente, pois a receita que prepara nos dias de hoje, e sabe de cor, é diferente. "Receita é assim, a gente vai mudando com o tempo" Aos 92 anos, dona Geralda esbanja saúde.

Para ler as letras miúdas de livros e revistas de culinária, nada de óculos. Com disposição, circula pelo quintal e mostra seus pés de pitanga e jabuticaba que, infelizmente, não deram muitos frutos este ano por causa da seca. A prosa tranquila e bem-humorada faz qualquer um se sentir como se fosse da família. E enquanto o papo se desenrola, o cheirinho de quitanda anuncia que a bomba está no ponto.

O café também está servido para agraciar os viajantes com mais um fim de tarde inesquecível.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade