Publicidade

Estado de Minas Edição 91

As faces do paladar


postado em 21/02/2018 10:59 / atualizado em 12/11/2020 18:01

 

Experimente viajar um pouco e conhecer este nosso destino por meio dos nomes das pessoas e seus ofícios, personagens que ajudam a escrever a história dessa agradável cidade. Gente como a dona Sãozinha, com seus 87 anos, que reúne amigos e voluntários em sua casa simples, onde prepara o tradicional almoço, além dos doces, para a festa de Nossa Senhora do Rosário. E tem tantas Marias por lá! A Maria Vilma segue ao lado da filha Rafisa a tradição de receber bem e preparar em seu restaurante iguarias que perpetuam as receitas da mãe e avó. A Maria Antônia assa empadinhas sem iguais na região, mas a Maria Dirce, ao lado do maridão, Zé Ramos, faz biscoitos abençoados, que ajudaram a criar os filhos. Uma outra Maria, a Inês, junto com o marido, Antônio Rodolfo, trocou a cidade grande por um gostoso restaurante “sem pressa” no interior. Histórias, bons petiscos e causos não faltam nos bares, como os do Zé Miró e dona Laura, do Otacílio, do Toninho e da Mary Rose. Quituteiras e doceiras de mão cheia, como a Cidinha, a Rosivane e a Rosa Amélia, esculpem com mãos de fada suas artes, inspiradas na diversidade dos quintais de Minas. Tem ainda os imperdíveis banqueteiros ou os simples apaixonados em receber à mesa, como o Diquinho e a Cidinha. Não faltam tampouco experts em dar um toque sofisticado aos sabores de suas raízes, como a jovem chefe Mariana, do Restaurante Anfitriã. É claro que esses nomes e histórias caberiam em qualquer recanto dessas Gerais, mas estamos falando da hospitaleira Itaúna. Um lugar que, mesmo com a população beirando os 100 mil habitantes, preserva deliciosos costumes interioranos. Venha conhecer esses personagens e suas prosas. Não se esqueça de levar para casa um dos mais importantes representantes da gastronomia mineira: o delicioso requeijão de raspa, símbolo maior dos sabores desta terra.
Bom apetite!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade