Publicidade

Estado de Minas DESEMBARQUE

Bolsonaro recepciona Robson Oliveira, que estava preso na Rússia desde 2019

Brasileiro só conseguiu liberdade depois de acordo do Ministério das Relações Exteriores com o governo russo


05/05/2021 21:52 - atualizado 05/05/2021 22:58

Jair Bolsonaro recebeu Robson com abraço no aeroporto de Brasília(foto: Reprodução/CNN)
Jair Bolsonaro recebeu Robson com abraço no aeroporto de Brasília (foto: Reprodução/CNN)
 
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi ao aeroporto de Brasília, na noite desta quarta-feira (5/5), para recepcionar o brasileiro Robson Nascimento de Oliveira, ex-motorista do volante Fernando (atualmente jogador do Beijing Gouan-CHI). Ele estava preso na Rússia desde 2019 por posse de medicamentos não liberados pela Justiça do país europeu. Os remédios seriam para o sogro de Fernando. 
 
Depois de campanha feita nas redes sociais por jogadores como Richarlyson e Felipe Melo, o governo brasileiro se empenhou nas tratativas com o presidente russo, Vladimir Putin, para ajudar na libertação do ex-motorista.

"Sempre demos valor à liberdade. Tive contato com o Vladimir Putin, que queria falar com o embaixador, e ele só podia assinar o indulto do Robson depois da condenação. A pena era de 20 anos de cadeia”, afirmou Bolsonaro, que recepcionou o brasileiro com um abraço em meio à presença de apoiadores e jornalistas.

Brasileiro, que na Rússia ia trabalhar para o jogador de futebol Fernando, ficou preso por dois anos (foto: Reprodução de Internet)
Brasileiro, que na Rússia ia trabalhar para o jogador de futebol Fernando, ficou preso por dois anos (foto: Reprodução de Internet)
 

“Várias autoridades entraram no circuito. A nossa embaixada providenciou a retirada dele (Robson) do presídio", completou o presidente, que agradeceu ao governo russo.

"Sensação de alívio, né? É muito bom. (...) Nunca perdi (a esperança). Nunca perdi, até porque eu era inocente. Alguma coisa tinha que acontecer. Era muito, muito difícil. Muito mesmo. Não teve momento nenhum fácil. A última vez que me pesei lá eu tinha perdido 20 quilos", disse o motorista mais tarde, ao desembarcar no Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro.
 

Entenda o caso 


Em 2019, Robson e a sua mulher foram contratados por Fernando para trabalharem como motorista e cozinheira, respectivamente, na Rússia. O jogador atuava no Spartak Moscou.

Robson levou em sua mala duas caixas do medicamento cloridrato de metadona, usado para combater dores, e que seria destinado ao sogro do jogador. Na época, o motorista disse que não sabia que os remédios estavam na bagagem.

Apesar de ter comercialização autorizada no Brasil, o medicamento é proibido na Rússia. No desembarque em Moscou, o brasileiro foi preso por tráfico internacional de drogas.

Ele ficou mais de dois anos em regime fechado na Rússia, sem advogado e sem poder ver a esposa, já que não são casados no papel. Robson também não sabia falar russo ou inglês.

Em depoimento à Justiça russa, Fernando e o sogro negaram ter pedido a Robson para carregar o remédio. 

Posteriormente, o jogador aceitou ajudar o ex-motorista e pagar os honorários do advogado. Mas a liberdade só ocorreu depois de acordo do Brasil com a Rússia. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade