Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Pastor André, prefeito de Planaltina de Goiás, é preso na Operação Mãos à Obra


postado em 06/11/2018 10:05

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) deflagrou nesta terça-feira, 6, a Operação Mãos à Obra, para apurar irregularidades detectadas na reforma da Câmara Municipal de Planaltina de Goiás. O prefeito Pastor André (PRB), ex-presidente da Câmara municipal, foi preso.

A operação ocorre simultaneamente nas cidades de Planaltina de Goiás, Goiânia, Formosa e na cidade-satélite do Guará, no Distrito Federal.

Em nota, o Ministério Público informou que a operação é coordenada pelo promotor Rafael Simonetti, da 4ª Promotoria de Planaltina de Goiás em parceria com o Centro de Inteligência do MP e conta com a participação de 15 promotores de Justiça, e apoio do Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado do Entorno do DF; do Centro de Inteligência e do Gaeco do MP-DFT; da Polícia Civil com a atuação de nove delegados e 37 agentes; e da Polícia Militar.

Ao todo, estão sendo cumpridos oito mandados de prisão, sendo cinco temporárias e três preventivas, além de 14 mandados de busca e apreensão contra empresários suspeitos de terem participado de fraude nas licitações da reforma do prédio do poder legislativo de Planaltina.

Durante as investigações, o MP detectou que o atual prefeito da cidade, que na época da apuração dos fatos era presidente da Câmara de Planaltina, teria fraudado contratações de empresas e superfaturado obras, além de ter desviado recursos do erário público.

De acordo com o Ministério Público, esta é a primeira vez que um juiz de primeira instância, Carlos Gustavo Fernandes de Moraes, determina a prisão de um prefeito, após decisão do Supremo Tribunal Federal sobre foro privilegiado ocorrida em maio deste ano.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade