Publicidade

Estado de Minas

Coluna Baptista Chagas de Almeida


postado em 03/07/2018 12:00 / atualizado em 03/07/2018 07:45

(foto: Arte/Soraia Piva)
(foto: Arte/Soraia Piva)

Será vida de gado? Que nada! Povo feliz

“Se Deus quiser, um 2 a 0 novamente.” Será que ele adivinhou, previu, pressentiu ou melhor, para usar o jargão futebolístico, prognosticou. Pois foi quando fazia caminhada nos jardins do Palácio do Jaburu no domingo que o presidente Michel Temer (MDB) deve ter consultado os oráculos, videntes, sensitivos, clarividentes e por aí vai.

Se vale uma sugestão, que tal uma profecia sobre melhores números na economia, que têm tido previsões negativas de praticamente todos os videntes economistas. A cada pesquisa que sai entre os empresários, por exemplo, o pessimismo toma conta.

O fato é que o presidente Temer deixou a família em casa e assistiu ao jogo no Palácio do Planalto e em companhia de algumas crianças, filhos de ministros e funcionários. No Twitter é capaz de precisar de árbitro de vídeo para saber quem venceu.

Em seu comentário – “Vitória suada a merecida” – na rede social, teve quem pediu para Temer deixar o cargo de presidente e outros preferiram vibrar com a vitória da Seleção Brasileira. Os sorrisos de Temer nas fotos, por outro lado, não deixam dúvidas. Fingimento não teve. Mesmo que venham de fotógrafo oficial.

Se professor da Universidade Federal do ABC (UFABC) prefere dizer “meus amigos e amigas torcedor@s verde-amarel@s, não me levem a mal, mas para mim é impossível torcer pela Seleção Brasileira. Estou sofrendo demais com a realidade do mundo verdadeiro”, passou recibo Igor Fuser.

No site assumidamente petista e palpite de professor vindo do ABC Paulista, vale só a trilha sonora que ele usou: “Não se fala de outra coisa, não se pensa em mais nada, o país inteiro transformado num imenso rebanho marchando passivo para o matadouro. ‘Vida de gado, povo marcado, povo feliz...’”. Se é assim, melhor deixar pra lá, nem citar a base do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), marcado pela Operação Lava-Jato. Ihh! Citei. Chega!

É melhor fazer o registro de que Neymar, eleito o melhor do jogo, preferiu zoar o México. Ultrapassou Romário em número de gols e agora está atrás apenas de Pelé, que marcou 95, de Ronaldo Fenômeno, com 67, e de Zico, que fez 66. E a Seleção Brasileira agora é a recordista de gols em Copas do Mundo, com 227. Ultrapassou a Alemanha que foi embora na primeira fase. Não sofra professor, “não me leve a mal”.

 


A liberdade
Da imprensa. A decisão é de quinta-feira passada, 28 de junho. Nos termos do art. 487, I, do Código de Processo Civil, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT). Sem entrar no juridiquês, embora devidamente anotado nos autos, o senador Zezé Perrella (foto) (MDB-MG) requeria a retirada do Google e do site Diário do Centro do Mundo de citações como “helicoca”, “helicóptero” ou “cocaína”. Foi negado em defesa da liberdade de imprensa.

Fake news
Ainda conforme a decisão, não se trata de fake news. “O fato não pode ser apagado da história nem pode ser afastado do conhecimento público, vez que foi constatado que o helicóptero pertence à família do requerente, ainda que este não tenha participado do crime”, diz a sentença. Sem entrar, portanto, no mérito do caso, o fato é que uma ação desta na Justiça só serve para trazer de volta uma notícia que a opinião pública provavelmente já tinha deixado pra lá.

Água limpa
Presidente estadual do PDT, o deputado Mário Heringer tinha avisado que haveria reunião ontem de manhã em Brasília. Com o jogo do Brasil na Copa, ele explica: “Mudei os planos”. Possibilidade de tratar da chapa presidencial com Ciro Gomes, desconversa. Cita que o DEM em Minas está praticamente fechado, com aval de ACM Neto e do prefeito do Rio Eduardo Paes. Marcio Lacerda (PSB) disputa o governo e a vaga para o Senado pode ser de Rodrigo Pacheco (DEM-MG), se andar rápido. “Quem fechar primeiro bebe água limpa”, diz Heringer. E Ciro? Amigo de Lacerda que o quer como vice? Não insista, respondeu.

Haja trabalho
No Senado, a informação: “A Secretaria-Geral da Mesa informa que, em vista dos procedimentos prévios necessários à abertura da sessão e tendo em vista o Ato do Primeiro-Secretário nº 4, de 2018, o horário de início da sessão ordinária nesta segunda-feira, dia 2 de julho, poderá ser adiado para as 15 horas”. Ainda resta uma esperança. Já na Câmara dos Deputados, a agenda era: “Sessão Deliberativa Extraordinária em 26/6/2018 às 9h  – E N C E R R A D A às 11h49”.  Percebeu a data? E tem mais: “Arquivos Recentes (últimos 7 dias). Anexo II, Plenário 01 – 29/06/2018 às 10h04 – Eventos – Seminário”. Então, tá! Também assisti à vitória do Brasil ontem. Depois...

No domingão
Isso mesmo. Noite de domingo, anteontem. Quem duvida vale o registro que é oficial, da própria Câmara dos Deputados: “O relator do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2019, senador Dalírio Beber (PSDB-SC), entregou na noite deste domingo (1°) o parecer que será discutido e votado na Comissão Mista de Orçamento (CMO) a partir desta quarta-feira”. Para ser justo, ele trabalhou direito. Em seu parecer, Dalírio destacou a necessidade de uma “série de medidas de controle dos gastos públicos para o próximo ano”.

PingaFogo
Em tempo: sobre o texto que abre a coluna. Estava com o presidente Temer, além de servidores do Palácio do Planalto, o ministro Gustavo Rocha (Direitos Humanos) e o filho dele, Pedro, de 11 anos. Ah! O ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) também aparece vibrando na imagem.

Mais um registro sobre a parecer do senador Dalírio Beber na Lei de Diretrizes Orçamentárias. Ele não prevê nenhum aumento para os servidores ano que vem. Isso mesmo. Não deixa fazer por medida provisória (MP) nem aprovar no Congresso.

Piada pronta, não dá para resistir. “Transmissão ao vivo finalizada. O vídeo estará disponível nesta página no dia seguinte à realização da reunião”. Depois vem a lista de presentes. Sargento Rodrigues (PTB), presidente da Comissão de Segurança Pública.

Transcrição literal do site da Assembleia Legislativa (ALMG). “Resultado: AUDIÊNCIA PÚBLICA NÃO REALIZADA EM RAZÃO DA AUSÊNCIA DE CONVOCADOS”. Em maiúsculas, já que é literal.

O presidente eleito do México, Andrés López Obrador, ganhou a eleição atacando a Odebrecht com discurso anticorrupção. Com corrupção multinacional de empresa brasileira, o melhor a fazer é torcer para a Lava-Jato por aqui mesmo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade