Publicidade

Estado de Minas

Líder do DEM diz que seguirá posição do PSDB sobre afastamento de Cunha


postado em 11/11/2015 18:31 / atualizado em 11/11/2015 19:18

(foto: Gustavo Lima / Câmara dos Deputados)
(foto: Gustavo Lima / Câmara dos Deputados)

O líder do DEM na Câmara dos Deputados, Mendonça Filho (PE), disse que a bancada deve seguir o posicionamento do PSDB sobre o afastamento do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). "O tom do DEM é de elevação, de cobrança pelo afastamento e de esclarecimentos dos fatos", declarou.

Mendonça admitiu que o anúncio prévio do PSDB causou um desalinhamento na articulação da oposição por não ter sido combinado de antemão, mas que o episódio não compromete a união dos partidos oposicionistas. "Vamos continuar jogando juntos", afirmou.

Líderes oposicionistas ouvidos pela reportagem demonstraram insatisfação com a postura do peemedebista, não só com a explicação inconsistente de Cunha para suas contas ocultas na Suíça, como seu discurso ambíguo em relação à principal demanda da oposição: o início do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Em almoço ontem na residência oficial da presidência da Câmara, Cunha sinalizou que poderia haver novidades ainda nesta semana sobre os requerimentos de impeachment que estão sob sua análise. Cunha teria dito que poderia adotar uma postura "mais madura" sobre o afastamento da petista. Segundo o presidente do Solidariedade, Paulo Pereira da Silva (SP), Cunha teria acenado com a possibilidade de anunciar nesta quinta-feira, 12, com um novo rito para o processo de impeachment.

"Ele sempre usa esses argumentos para enrolar", concluiu um oposicionista. Para a oposição, a sinalização do peemedebista é mais um alento que um aceno efetivo aos anseios do bloco.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade