Publicidade

Estado de Minas

Julgamento do mensalão definirá se houve lavagem


postado em 09/09/2012 18:21

O Supremo Tribunal Federal (STF) deve definir nesta semana que houve lavagem de dinheiro no esquema do mensalão. Na retomada do julgamento nesta segunda-feira, os ministros decidirão se dirigentes e ex-dirigentes do Banco Rural envolveram-se com práticas ilícitas para tentar dissimular ou esconder a origem de recursos usados no esquema. Na semana passada, quando resolveram condenar três integrantes do Rural por gestão fraudulenta, ministros já adiantaram que havia indícios da prática de branqueamento de capitais.

Com a comprovação de que houve o mensalão e com as condenações do acusado de operar o esquema, Marcos Valério Fernandes de Souza, e de integrantes do núcleo financeiro, ministros do STF esperam que a partir de agora os debates na Corte ganhem uma agilidade que não existiu no primeiro mês de julgamento. Por enquanto, o tribunal conseguiu julgar apenas dois dos sete itens da denúncia.

"Os fatos estão enlaçados, imbricados e relacionados. Marcos Valério está em todas", comentou um ministro, explicando que as discussões serão mais simples a partir de agora e sinalizando que as ligações entre os núcleos estão comprovadas e que a maioria dos réus será condenada. Outro integrante do STF observou que o tribunal absolveu por enquanto apenas dois dos 10 réus julgados até o momento.

Os absolvidos foram o ex-ministro Luiz Gushiken e a ex-dirigente do Banco Rural, Ayanna Tenório. O tribunal condenou até o momento o deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP), Marcos Valério, os publicitários Ramon Hollerbach e Cristiano Paz, o ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, a acionista do Rural Kátia Rabelo, o ex-vice-presidente da instituição José Roberto Salgado e o ex-diretor Vinícius Samarane.


Publicidade