Publicidade

Estado de Minas SAÚDE SUPLEMENTAR

Ferramenta de gestão contribui para a qualidade dos serviços de saúde

Metodologia aplicada pelo Sistema Unimed mineiro permite alinhar informações com maior eficiência para melhorar atendimento ao paciente


Sistema Unimed Mineiro
Conteúdo patrocinado
Sistema Unimed Mineiro
postado em 06/06/2019 15:19 / atualizado em 06/06/2019 15:23

(foto: Divulgação)
(foto: Divulgação)
A gestão inteligente por meio do uso de dados tem permitido que instituições em todo o mundo aperfeiçoem suas rotinas de trabalho e, principalmente, o atendimento ao cliente. E na saúde não é diferente. Prova disso é que o Sistema Unimed mineiro vem implantando gradualmente o DRG (Diagnosis Related Groups ou Grupo de Diagnósticos Relacionados, em português), uma ferramenta focada na melhoria da assistência e segurança do paciente.

Trata-se de uma metodologia que agrupa os tratamentos hospitalares a partir da combinação de dados coletados na internação dos pacientes, tais como diagnósticos principal e secundário, ocorrência de duas ou mais doenças, idade e procedimentos. 
 
A ferramenta fornece a quantidade de recursos necessários para cada tipo de tratamento, como materiais, medicamentos e diárias, além dos resultados assistenciais esperados, incluindo mortalidade e complicações associadas.
 
Atualmente existem 823 DRGs codificados que possibilitam que o hospital e a operadora de saúde conheçam de antemão os parâmetros pré-estabelecidos para conduzir o atendimento, como tempo de permanência em internação e procedimentos previstos.
 
Breno Duarte, diretor Executivo do IAG Saúde(foto: Divulgação/Ascom Unimed)
Breno Duarte, diretor Executivo do IAG Saúde (foto: Divulgação/Ascom Unimed)
“O DRG Brasil® está totalmente adaptado às características epidemiológicas da população brasileira. O foco é a melhoria da qualidade assistencial e segurança do paciente”, afirma Breno Duarte, diretor Executivo do IAG Saúde, um dos responsáveis pela adaptação da metodologia no país. 
 
Ele explica que os dados são cruciais para aumentar a qualidade dos serviços oferecidos aos pacientes e todos os envolvidos – prestadores e operadora – conseguem, com a metodologia, enxergar a mesma informação, com dados clínicos consolidados, circulando de forma segura.
 
Segundo Guilherme Lobo da Silveira, assessor de Atenção à Saúde da Unimed Federação Minas, o uso do DRG também gera um nível de inteligência que produz indicadores de performance dos serviços e das equipes de assistência da instituição, com informações sobre eficácia, eficiência e resultados. 
 
“Daí vem uma das principais vantagens do DRG que é a possibilidade de avaliar o desempenho das equipes multidisciplinares e, consequentemente, melhorar a qualidade do serviço prestado no atendimento ao paciente, fornecendo respostas terapêuticas mais adequadas e condições seguras para tratamento”, conclui.
 
 


Publicidade