Publicidade

Estado de Minas Finanças

Diferente de bancos, cooperativas atraem clientes por dividir resultado

Uma das vantagens é a distribuição de sobras; a Credicom depositou R$ 43 milhões na conta dos cooperados neste ano


Sicoob Credicom
Conteúdo patrocinado
Sicoob Credicom
postado em 21/09/2020 11:28 / atualizado em 22/09/2020 11:43

(foto: Sicoob Credicom/Divulgação)
(foto: Sicoob Credicom/Divulgação)

 
Os reflexos da pandemia da COVID-19 são sentidos no bolso do brasileiro, seja ele estudante, profissional ou empreendedor. Afinal de contas, o fechamento de serviços não essenciais acabou causando um efeito dominó em outros setores. 
 
Sendo assim, as instituições financeiras foram as primeiras a ampliar o crédito e renegociar contratos. Contudo, apesar das vantagens, os bancos comerciais não têm um programa de distribuição de lucros com os seus correntistas. 

É justamente por isso que as cooperativas financeiras são vantajosas e têm conquistado mais adeptos. Isso porque elas não têm fins lucrativos, dividem as chamadas “sobras” e ofertam os mesmos produtos, com diferenciais competitivos, que um banco convencional. 

Segundo dados do portal Cooperativismo de Crédito, o Brasil tem hoje cerca de 900 cooperativas financeiras com seis mil agências e 12 milhões de associados. Dados divulgados pelo setor mostram que as cooperativas somaram R$ 137 bilhões em ativos no ano de 2018. O valor é 18% maior que o registrado em 2017. Enquanto isso, o sistema financeiro cresceu apenas 7% no mesmo período.  

Portanto, o cenário continua favorável em 2020. Devido ao momento de incertezas, as pessoas e empresas procuram instituições financeiras que ajudem a gerenciar o seu dinheiro com juros mais baixos e condições melhores de rentabilidade. 

Os adeptos das cooperativas recebem um tratamento diferenciado, pois são vistos como sócios e não como clientes(foto: Sicoob Credicom/Divulgação)
Os adeptos das cooperativas recebem um tratamento diferenciado, pois são vistos como sócios e não como clientes (foto: Sicoob Credicom/Divulgação)

Cliente ou dono: como funcionam as cooperativas de crédito


A cooperativa é uma associação de pessoas com um objetivo em comum. No caso das cooperativas de crédito ou financeiras, o intuito é administrar o dinheiro. 

Os adeptos das cooperativas recebem um tratamento diferenciado, pois são vistos como sócios e não como clientes. Portanto, o atendimento é personalizado. Por não ter fins lucrativos, os propósitos estão ligados a valores como ajuda mútua, união, cooperação e foco em relacionamento. 

Sobras:  diferencial das cooperativas financeiras 


Os resultados gerados nas cooperativas financeiras são chamados de sobras. Na prática, as sobras são como o lucro da cooperativa que é dividido entre os cooperados no final do ano. 

Porém, a divisão das sobras por relacionamento, não é por igual para todos os cooperados. Ela é baseada na movimentação do cooperado na sua conta corrente levando em consideração alguns produtos da cooperativa.

Portanto, quem fez mais transações recebe valores mais altos. 

Basicamente, o rateio é feito proporcionalmente à utilização da conta em produtos e serviços como aplicação, crédito, uso do cartão de crédito, emprego da maquininha e dos canais eletrônicos. Quanto mais dinheiro o sócio movimenta, maior é o retorno para ele. 
 

Sicoob Credicom: cooperativa depositou R$ 26 milhões, de sobras por relacionamento, direto na conta corrente


Numa medida inédita, o Sicoob Credicom depositou R$ 26 milhões diretamente na conta corrente dos cooperados em agosto deste ano. A decisão foi tomada para ajudar os seus associados nesse momento de crise econômica puxada pela pandemia da COVID-19. 

Portanto, o total de sobras foi de R$ 43 milhões referentes ao exercício de 2019. Sendo que, dessa soma, quase R$ 17 milhões já foram depositados na conta capital dos cooperados. O montante envolveu 41.388 pessoas físicas e 8.603 pessoas jurídicas que mantiveram relacionamento com a cooperativa.

Nesse sentido, a conta capital se torna uma reserva para o futuro. O cooperado poderá ter acesso à sua reserva seguindo os critérios definidos pela Credicom. 

“Em 2019, os cooperados tiveram em média uma valorização de 242% do CDI nos recursos alocados na Cota Capital”, afirma o presidente da Credicom, Garibalde Mortoza.

Ainda em decorrência do momento econômico que estamos vivendo, o presidente acrescenta que a Credicom repactuou 1,6 mil contratos. Juntos, eles somaram R$ 506 milhões. Além disso, conforme Mortoza, também foram contratados mais 2,7 mil novos empréstimos para 4.255 cooperados, totalizando R$ 284 milhões com condições especiais incluindo carência e taxas exclusivas. 
 

Propósito 


O presidente Mortoza destaca que o depósito direto em conta corrente só foi possível por causa do propósito da cooperativa, que é de estender a mão e promover a ajuda mútua entre os cooperados. 

“Estamos exercendo o propósito da Credicom de conectar pessoas para promover prosperidade com justiça financeira. Nesse momento que os nossos cooperados, em especial os que atuam na área de Saúde, mais precisam, faremos o máximo para contribuir. Mantivemos nossas agências abertas, inclusive dentro dos hospitais, repactuamos contratos, desenvolvemos novos produtos, linhas de crédito com carências de até 180 dias, entre outras ações, sempre respeitando as orientações dos órgãos competentes e preservando a saúde dos colaboradores e cooperados”, considera. 
 

Investimento: vantagens de ingressar numa cooperativa financeira 


Mas não é apenas a participação nos resultados que atrai as pessoas e empresas que aderem a uma cooperativa financeira como a Credicom, maior cooperativa financeira da área da Saúde do Brasil. 

Há ainda outros benefícios, como: 
 

Juros reduzidos

Juros mais baixos nas linhas de crédito. Os cooperados Pessoa Física da Credicom contam ainda com 14 dias sem juros no cheque especial.
 

Atendimento personalizado

O associado é visto como dono, pois tem sua cota de participação na cooperativa, proporcionando um clima mais familiar e personalizado no atendimento; 
 

Todos têm o mesmo poder de voto

Durante a participação nas assembleias, um cooperado tem o mesmo direito de voto que o outro, não importando o valor movimentado em dinheiro em suas respectivas contas. Na Credicom os cooperados são representados por Delegados, que após são eleitos pelos próprios associados.
 
Mas o conceito que há por trás de uma cooperativa financeira é um dos principais diferenciais.  “A participação nos resultados, a gestão democrática, as condições diferenciadas, o atendimento humano e próximo, entre outros fatores, fazem da Credicom uma excelente opção”, considera o presidente Mortoza. 


*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade