Publicidade

Estado de Minas SAÚDE

Casos de câncer crescem no país e aumentam demanda por novos tratamentos

Rede Mater Dei mantém no Hospital Integrado do Câncer (HIC) atendimento multidisciplinar e personalizado


Rede Mater Dei de Saúde
Conteúdo patrocinado
Rede Mater Dei de Saúde
postado em 25/02/2019 15:17 / atualizado em 25/02/2019 16:32



O mês de fevereiro é marcado por duas datas para lembrar a importância da conscientização e combate ao câncer. Enquanto o dia 04 é celebrado o Dia Mundial do Câncer, o dia 17 é destinado ao Dia Internacional da Luta contra o Câncer Infantil. Essas duas datas, segundo o Instituto Nacional do Câncer, o Inca, servem também para abordar uma triste realidade: o aumento do número de casos da doença no país e em todo o mundo. 
 
Segundo o órgão, que pertence ao Ministério da Saúde, apenas em 2018 foram descobertos mais de meio milhão de novos casos da doença no Brasil. Os tipos mais comuns são justamente o câncer de próstata e o de mama, alvos de campanhas massivas e anuais do Ministério da Saúde.
 
Dados do Inca revelam que o câncer de próstata acometeu 68 mil homens no último ano, enquanto o de mama chegou a alcançar cerca de 59 mil mulheres. Os dados são alarmantes, mas assim como o surgimento de novos casos, surgem também novos tratamentos e novas possibilidades para quem deseja se livrar da doença. É o exemplo do Hospital Integrado do Câncer Mater Dei (HIC), pertencente à Rede Mater Dei de Saúde. 
 

Tratamento de imunoterapia

O hospital é um dos pioneiros no país a realizar a imunoterapia, tratamento considerado como o maior avanço no tratamento de metástases em todo o mundo. Isso porque, ao contrário de outras técnicas de enfrentamento ao câncer, na imunoterapia os medicamentos não atuam diretamente no combate às células cancerígenas. 
 
Para o coordenador do HIC, Enaldo Melo de Lima, esse diferencial é justamente o que aumenta a qualidade de vida do paciente e a chance de sucesso no tratamento. “Na imunoterapia as medicações aumentam o potencial do sistema de defesa do corpo humano fazendo com que o próprio sistema imunológico do paciente encontre as células cancerígenas e as destruam”, disse. O médico explica que, após a instalação do câncer no organismo humano, as células de defesa são paralisadas, o que evita que o próprio corpo combata a doença. “Nesse tipo de tratamento há uma espécie de desbloqueio dos mecanismos de defesa do corpo do paciente”, completou.
 
A técnica é considerada uma evolução nos tratamentos de câncer e chegou a ser referenciado pela Sociedade Americana de Oncologia Clínica (Asco, na sigla em inglês) como o que há de mais moderno e promissor entre todas as tentativas de combate ao câncer já descobertos. Além do acesso à terapia inovadora, os pacientes do HIC têm acesso a um atendimento personalizado e multidisciplinar. “Todo atendimento ao nosso paciente é individualizado, o que aumenta significativamente a chance de sucesso e recuperação do paciente”, explica Enaldo.

Segundo o médico, o atendimento multidisciplinar acontece graças à integração das equipes profissionais de diferentes especialidades e é uma das marcas do HIC. “A integração das equipes é essencial para garantir o tratamento individualizado para cada paciente e aumentar as chances de controle da doença. Nossas equipes trabalham juntas respeitando a particularidade de cada caso e as necessidades de cada pessoa, aumentando a qualidade de vida desse paciente”, concluiu.  

Sobre o HIC 

O Hospital Integrado do Câncer, o HIC, foi inaugurado em abril de 2016 e desde então centraliza todo o atendimento na parte da oncologia da Rede Mater Dei. De acordo com seu coordenador, Enaldo Melo de Lima, o conceito de atendimento integrado praticado pela Rede vai muito além da estrutura física e contempla, ainda, a aproximação dos diversos profissionais que trabalham no atendimento ao paciente oncológico. 
 
“O conceito foi montado com modos de atendimento integrado. “Nossas equipes se reúnem semanalmente formando grupos de estudos para discutirem casos de tumores específicos. São 11 reuniões semanais onde são discutidos os tipos de câncer entre as equipes multidisciplinares”, disse. Atualmente o paciente da rede conta com atendimento médico, de fisioterapia, nutrição e psico-oncologia.  
 

Confira a entrevista completa com o Dr. Enaldo Lima:

Quais as novidades da Rede para o atendimento ao paciente oncológico?
Dr. Enaldo Lima: Além da imunoterapia, o HIC já conta com outros serviços como a possibilidade do transplante de medula óssea, inaugurado em 2017. O Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa, já autorizaram ao hospital a realização do transplante de medula óssea alogênico, um tipo de transplante mais complexo que necessita da medula óssea de um doador.
 
 
A Rede recentemente inaugurou mais uma unidade, o Mater Dei em Betim-Contagem. O novo hospital, que também possui atendimento oncológico, já conta com o conceito de atendimento integrado? 
Dr. Enaldo Lima: Sim. O Mater Dei Betim-Contagem foi inaugurado com toda a estrutura para atendimentos ao paciente oncológico, além do atendimento multidisciplinar e personalizado. Como o hospital trabalha em rede, o paciente recebe toda a atenção necessária e pode usufruir de toda a estrutura da Rede Mater Dei.
 
Sobre a imunoterapia, quais os tipos de câncer que mais obtiveram sucesso com esse tratamento?
Dr. Enaldo Lima: Obtivemos resultados expressivos para melanoma, câncer de pulmão e câncer de rim. Por não possuir grandes efeitos colaterais ao paciente, essa técnica permite bons resultados relacionados ao controle da doença.
 
Sobre a educação continuada dos profissionais de saúde, o que a Rede MaterDei tem feito para manter a atualização de sua equipe? 
Dr Enaldo Lima: Os profissionais recebem treinamentos constantes dentro e fora do país. Nossos médicos são mantidos em atualização permanente para atender cada vez melhor nossos pacientes. A Rede mantém treinamentos específicos e constantes dos médicos que atuam no HIC. Além disso, realizamos por ano entre 10 a 15 simpósios para a discussão de cada um dos temas relacionados à oncologia.


Publicidade