Publicidade

Estado de Minas EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

Cemig usa gamificação para ensinar crianças a economizar energia

Caminhão com jogos interativos estará até o sábado (21) em frente à Cemig, das 17h às 22h, como parte da programação de Natal da capital mineira


Cemig
Conteúdo patrocinado
Cemig
postado em 19/12/2019 10:40 / atualizado em 19/12/2019 10:51

(foto: Divulgação/Cemig)
(foto: Divulgação/Cemig)
Para falar a mesma língua das crianças e jovens, a Cemig desenvolveu o projeto Cemig nas Escolas com uma proposta inovadora. Ele consiste em uma estrutura itinerante que utiliza jogos para ensinar eficiência energética. 
 
A novidade é que uma dessas estruturas, com caminhão-baú e tenda interativa, foi acrescentada à programação de Natal da Cemig. Ela estará exposta em frente à sede da instituição, localizada na Avenida Barbacena, 1.200, no bairro Santo Agostinho, até sábado (21), das 17h às 22h. O acesso é gratuito.
 
A programação de Natal da Cemig foi inaugurada no último dia 7 e incluiu a iluminação da sede com uma videoinstalação artística e a consequente projeção de figuras natalinas no prédio da companhia.  
 
A iniciativa de integrar o projeto à programação natalina de BH busca dar mais visibilidade ao programa, que também compreende palestras educativas e substituição de lâmpadas antigas por dispositivos de LED, mais econômicos e com vida útil estendida. 
 
Depois do dia 21, a base volta à programação normal de percorrer os municípios mineiros para levar a mensagem do uso racional dos bens energéticos.
 
O engenheiro de eficiência energética da Cemig, Thiago Batista, destaca a sua importância. “A gente vem trabalhando com ações educativas quanto ao uso sustentável da energia elétrica desde a década de 90. Mas, agora, estamos dando destaque a essa ação diferenciada, voltada para as novas tecnologias, chamada de gamificação dentro da pedagogia. Assim, buscamos efeitos a longo prazo com adultos mais conscientes”, explica.  
 
(foto: Divulgação/Cemig)
(foto: Divulgação/Cemig)
 

Projeto Cemig nas Escolas  

 

O projeto Cemig nas Escolas recebeu investimentos na ordem de R$ 12 milhões. Ele funciona basicamente em duas frentes: 
  • substituição de lâmpadas incandescentes e fluorescentes por LED nas escolas públicas; 
  • estrutura itinerante formada por três caminhões-baú, tendas e educadores que percorrem as escolas estaduais mineiras.
 
Segundo Thiago Batista, a troca de lâmpadas começou ainda em 2017. Das cerca de 12 mil escolas municipais e estaduais a serem contempladas no estado, 800 instituições do estado já receberam a nova iluminação. 
 
A tecnologia de LED (diodo emissor de luz) traz benefícios como redução do consumo de energia elétrica, baixa dissipação de energia, menos agressão ao meio ambiente, maior vida útil. Considera-se que uma lâmpada de LED possa ser usada por mais de 100 mil horas. 
 
Já a estrutura itinerante é formada por três equipes com caminhão e tenda. O grande destaque, como lembra Batista, é a proposta da gamificação.
 
A carroceria do caminhão-baú foi totalmente adaptada para oferecer um cenário que simula a existência de uma casa e equipamentos eletrônicos. O game se baseia no estilo escape room, jogo de fuga no qual se deve acertar a charada ou o participante perde. 
 
Mas, no caminhão, o jogador é testado para solucionar desafios a fim de deixar o ambiente mais eficiente em se tratando do uso de energia elétrica. 
 
Enquanto isso, a tenda disponibiliza quatro games bem divertidos com o mesmo foco do caminhão-baú. Eles envolvem realidade virtual, maquete eletrônica com a casa do futuro, jogo de tabuleiro e jogo de quiz. A experiência na estrutura itinerante é guiada por monitores devidamente treinados pela Cemig. 
 

Tecnologia encanta crianças e adultos

 
Apesar de o foco do projeto ser estudantes do Ensino Fundamental II (do 6º ao 9º ano) e Ensino Médio, a base recebe pessoas de toda a comunidade, de forma gratuita.
 
“Tem tido um retorno muito bacana. É muito interessante ver quando chegamos em cidades pequenas, onde as crianças e as pessoas não têm tanto contato com a tecnologia. Elas ficam muito interessadas”, acrescenta o engenheiro de eficiência energética da Cemig.
 
A escolha das cidades que receberão a base do projeto Cemig nas Escolas, aliás, leva em consideração o baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e a vulnerabilidade social. 
 
O tempo de permanência em cada município depende muito do seu porte. Cidades menores, com poucas escolas estaduais, recebem o projeto por cerca de quatro a cinco dias. Já cidades maiores, como as da Região Metropolitana, ficam até duas semanas com a estrutura. 
 
Thiago Batista conta que, mesmo no final do ano, a programação não para. A exceção são as palestras nas escolas, que têm uma pausa durante as férias escolares. Já as três bases do projeto continuam percorrendo o estado, parando apenas nos feriados de Natal e Ano Novo.
Para saber quando a sua cidade receberá o projeto, basta acessar a programação no site do projeto, que é o conexaoedu.com.br
 
Dessa forma são atendidos os alunos, os professores (que se tornam multiplicadores) e a comunidade em geral. 
 

Professores recebem capacitação para serem multiplicadores

 
Em se tratando da capacitação docente, o projeto Cemig nas Escolas disponibiliza cartilhas e manuais para professores da rede estadual que trabalham o tema eficiência energética nas aulas. 
 
O material pedagógico inclui desde apostilas em Libras (Língua Brasileira de Sinais) até conteúdo sobre a população indígena. O foco, porém, é sempre a sustentabilidade. 
 
Os alunos podem, assim, aprender na prática como usar energia de forma inteligente com o simulador de consumo, sendo o conteúdo multidisciplinar.Afinal de contas, a eficiência energética traz benefícios para todos os envolvidos, desde o consumidor, que vê seus gastos reduzidos e contas mais baratas, ao meio ambiente, que tem danos minimizados. 
 

12 mil estudantes já foram atendidos no projeto


Enquanto a primeira fase do projeto, que é a substituição de lâmpadas nas escolas públicas estaduais, iniciou em 2017, a segunda fase, que são as visitas aos municípios, começou em meados de outubro deste ano.
 
Até o momento, o projeto já passou por 16 municípios, promoveu 116 palestras e impactos mais de 12 mil estudantes. Além das escolas, a estrutura itinerante também é levada pela Cemig a exposições e feiras, ou seja, locais que tenham grande concentração de pessoas.
 
O  engenheiro de eficiência energética responsável pelo Cemig nas Escolas explica que o contrato do projeto vai até maio de 2021, mas já está com orçamento aprovado para mantê-lo até dezembro de 2024. 
 
Todo o planejamento está baseado na legislação e nas normas da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) com o intuito de reservar uma parte das receitas da companhia para investir em ações educativas. 
 
Até 2024, a intenção é abranger 310 mil alunos em 100 municípios mineiros no propósito de reduzir o consumo de energia elétrica e promover o uso sustentável desse recurso. 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade