Publicidade

Estado de Minas

Casa Fiat celebra dia de São Francisco com exposição histórica

Mostra inédita em Belo Horizonte reúne obras assinadas por mestres italianos que representam as diversas fases do santo católico


Casa Fiat de Cultura
Conteúdo patrocinado
Casa Fiat de Cultura
postado em 04/10/2018 13:40 / atualizado em 04/10/2018 14:09


 
No mês em que se celebra o Dia de São Francisco de Assis, comemorado em 4 de outubro, os belo-horizontinos têm o privilégio de receber na capital mineira uma exposição que retrata com riqueza de detalhes a vida de um dos santos que mais inspiram admiração por sua história de dedicação ao próximo. 

Mais que uma mostra sobre o santo católico, a cidade sedia uma exposição histórica que enaltece a arte. “São Francisco na arte de mestres italianos” reúne pela primeira vez em Belo Horizonte peças de 15 museus de sete cidades da Itália, além de um quadro que faz parte do acervo de um colecionador de Nova York, cedido exclusivamente para integrar a exposição na Casa Fiat de Cultura.

São obras assinadas por grandes pintores dos períodos renascentista e barroco. 

Por meio das mãos de artistas como  Vecellio, Perugino, Orazio Gentileschi, Guido Reni, Guercino, Carracci e Cigoli, o público pode saber mais sobre os passos de São Francisco e da trajetória de bondade e dedicação aos mais pobres que marcaram a história do santo. 

A mostra se divide em três momentos. No núcleo “Imagem”, o visitante encontra obras que representam São Francisco com aparência simples e sofrida, resultado das privações a que se submetia. São parte desse núcleo as peças “San Francesco d’ Assisi e quatro disciplinati” (Pietro Perugino e Giovan Francesco Ciambella); “San Francesco” (Giovan Francesco Barbieri); “Estasi di San Francesco” (Cesare Fracanzano); e “St. Francis contemplating a skull” (Cigoli).

No segundo núcleo, “Estigmas”, sai de cena a imagem de São Francisco magro e sofrido e inicia-se uma série de representações do santo com a face angelical, belo tanto física quanto espiritualmente. É quando aparece também a cena dos estigmas, marcas que se assemelham às chagas de Cristo no corpo de Francisco.

São Francisco reconfortado pelo Anjo(foto: Roma, Gallerie Nazionali d'Arte Antica. Palazzo Barberini. Foto di Mauro Coen )
São Francisco reconfortado pelo Anjo (foto: Roma, Gallerie Nazionali d'Arte Antica. Palazzo Barberini. Foto di Mauro Coen )


Esse episódio, que teria ocorrido dois anos antes da morte dele, é o mais retratado por artistas, o que faz desse núcleo o maior da exposição. O evento milagroso é representado em doze obras na Casa Fiat de Cultura.   

O terceiro momento da mostra reflete a fase em que a imagem de São Francisco é associada à iconografia da Virgem Maria com o Menino Jesus, da cruz de Cristo e também de outros santos franciscanos. No núcleo “Conversas Sagradas”, a santidade de Francisco chega ao ápice, com a representação do santo dividindo espaço com as figuras mais importantes do catolicismo. 

Convite à reflexão 

Além das obras, a galeria está repleta de símbolos que remetem à São Francisco. Ao entrar, o visitante é surpreendido por uma revoada de pássaros de papelão que pendem do teto. O material faz alusão à simplicidade franciscana e a representação dos animais é uma referência ao episódio em que Francisco prega aos animais. 

Outros elementos, como a corda, usada por franciscanos para amarrar vestimentas, e tecidos remendados, também aparecem na composição da mostra para exemplificar a simplicidade daqueles que seguiram os passos do santo. 

Para Clarita Gonzaga, coordenadora do programa educativo da Casa Fiat de Cultura, mais que uma exposição sobre um ícone do catolicismo, Belo Horizonte recebe obras que convidam à reflexão sobre temas muito atuais. “É uma mostra que também dialoga com os não católicos, porque o santo pode ser visto como a ideia de doação e caridade.

É possível também refletir sobre o consumo sustentável, entender que o mundo é um espaço compartilhado. Podemos tirar uma lição de vida atemporal”, observa Clarita. 

Serviço:

Exposição “São Francisco na Arte de Mestres Italianos na Casa Fiat de Cultura”
Curadoria: Giovanni Morello e Stefano Papetti
Até 21 de outubro de 2018
Terça a sexta, das 10h às 21h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h

Entrada gratuita
 


Publicidade