Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas EXPERIÊNCIAS VIRTUAIS

Digitalização e hologramas serão utilizados em 2021


05/12/2020 04:00

Gregório José
Belo Horizonte 
 
"A pandemia, o isolamento social, a utilização da conectividade para quase tudo, de compras a pedidos de alimentos prontos ou entregues na porta, como os oferecidos pelos super e hipermercados, vão fazendo com que os seres humanos se adaptem e, para contribuir nessa conectividade, entram as empresas especializadas em informatização e robótica. A digitalização em todo o mundo ficou mais próxima das pessoas por conta do novo coronavírus (Sars-CoV-2) e a questão que permanece é se as experiências virtuais irão substituir os encontros cara a cara, como estamos acostumados. Deixaremos de ir às boates, festas, aniversários e casamentos por conta de doenças altamente transmissíveis? Alguns estudiosos (ou futurólogos, caso queiram) acreditam que a tendência denominada ‘digitalização’ –  que mistura o presencial e o virtual – aumentará vertiginosamente, mais em conta de uma maior familiaridade com as novas ferramentas tecnológicas à disposição. Embora as condições humanas atuais, financeiras principalmente, não estejam adaptadas para se tornar híbridas, os viajantes, em um futuro não tão distante, combinarão experiências virtuais e o ambiente presencial. Em alguns casos, utilização hologramas que estão sendo estudados e pesquisados há anos por grandes empresas, mais para reuniões fechadas e encontros formais. Com o ensino a distância (EAD), o professor poderá ser ‘holoportado’ de seu escritório, em casa ou na faculdade, para a casa dos alunos. Interessante, não é? O uso dos hologramas pelas instituições educacionais, principalmente, e as grandes e megaempresas, serão cada vez mais frequentes, principalmente se empresas de TI como Google, Microsoft, Samsung e Apple, entre outras tantas, continuarem a pesquisar sobre a realidade virtual (VR). Em pouco tempo, mais por conta desse enclausuramento social, esse tipo de tecnologia torne-se disponível primeiramente para empresas e universidades particulares por conta de seu alto custo e valor."

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade