UAI

Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

O que esperar de um ano novo?


09/01/2022 04:00 - atualizado 08/01/2022 22:02

Aline Freitas
Cofundadora da Consultoria Felicidade Individual e Coletiva e professora de direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie Campinas

Diante dos desafios individuais e sociais postos, muitos dos quais ainda não superados, o que esperar de um novo ano? O que 2022 pode proporcionar? Muito? Se pararmos para observar, culturalmente, “dezembro” abre espaço mental coletivo para o redesenho de grandes metas... das literais “páginas em branco” de uma nova vida que se aproxima com a virada.

Entretanto, uma percepção abrangente vai revelar que na maior parte das vezes também temos essa esperança em outros momentos do ano, talvez não com a mesma intensidade, porém a cada dia estamos diante de uma nova oportunidade, ou não? O que talvez nos falte com frequência é a tomada de consciência de que de fato podemos ter marcos temporais, como a virada de ano, para tomada de grandes decisões e planejamento, só que precisamos ainda mais de esperança ativa, isto é, agir de maneira constante na direção de nossos objetivos, acreditando que se realizarão. Precisamos nos engajar em nossas próprias vidas!

Como então recomeçar bem e agora, aproveitando esse momento atual tido como o mais propício?

Em primeiro lugar, é importante que pensemos com solidariedade. Enquanto há quem esteja neste momento começando a executar os planos mais variados para o ano, outros estão em extrema vulnerabilidade social, e mesmo em desespero, em busca de alimento, moradia e segurança, entre outros interesses – e direitos – básicos de sobrevivência e proteção de dignidade. Portanto, é ideal que em cada recomeço de dia pensemos “como podemos contribuir socialmente?”; e façamos isso com todo cuidado e urgência. A contribuição social é uma importante área da vida e capaz de gerar transformações que efetivamente precisamos.

Feito esse destaque, a segunda sugestão, já no plano individual, é que valorizemos os resultados já obtidos e a própria vida. Analise detidamente o ano que passou e mesmo anos anteriores e mapeie e intensifique as memórias das pequenas e grandes vitórias. Passe um tempo apreciando as conquistas e identificando o que sentiu em cada momento, como celebrou e que fatores potencializaram que cada uma viesse a acontecer. Inspire-se para então desenhar metas (com clareza de o quê, por quais motivos e como fará) para manter os resultados de suas conquistas – afinal, nem tudo é sobre mudanças e novos planos – e estabelecer quais são as novas metas.

Ao pensar em novas metas, faz sentido também dedicar um tempo para analisar as coisas que saíram parcialmente da forma como você queria e as que não se realizaram. É importante mapear e definir se as metas não atingidas ou atingidas parcialmente ainda merecem continuar na sua agenda. Perceba que talvez alguns fatores externos tenham atrasado ou mesmo impediram a realização de algo importante. Esse algo ainda é relevante? O que você decide fazer a respeito?

Novamente, tome consciência e estabeleça suas prioridades (reais necessidades) executáveis (sonhe alto, só tenha dimensão das etapas) observando com cuidado cada área de sua vida: família, desenvolvimento amoroso, vida social, criatividade, felicidade, espiritualidade, saúde, desenvolvimento intelectual, equilíbrio emocional, realização e propósito, recursos financeiros e contribuição social.

Ao desenhar seu plano de ação para 2022 – ou aprimorá-lo, o que pode ser feito sempre que necessário –, evite comparações. Pense em pessoas em quem se inspirar e não pessoas para se comparar! Além disso, acolha o momento presente e o potencial dele, isto é, alguns objetivos podem até se realizar rapidamente, ainda este dia, semana ou mês... outros levarão tempo e por isso você deve ser capaz de reconhecer os resultados parciais e valorizá-los, isto é, mapeie sempre as evidências de que está no caminho para realizar seus objetivos e os celebre! Assim, colaborará para uma mentalidade mais positiva e perceberá que a felicidade não estará presente apenas no final.

Além disso, obrigatoriamente, inclua em sua agenda tempo para pausas e descanso e melhore sua relação com o tempo, checando o que é urgente e importante e o que é menos importante e pode esperar, lembrando que teremos de lidar com desafios com bastante resiliência e criatividade. Em outras palavras, o seu melhor plano pode sofrer abalos e então no lugar de se frustrar, acolha sua tristeza, dor, raiva ou qualquer outro sentimento e emoção que emergir e responda da melhor maneira possível. Você terá de desistir do objetivo ou redesenhá-lo? Em caso de desistência, está certo de ser o melhor ou único caminho? Pense com cuidado, pois às vezes a questão envolve mais redesenho que desistência. Se for esse o caso, todavia, agradeça e siga.

Por fim, fica a sugestão de que, sejam quais forem suas prioridades, caso possa dar destaque, que você inclua no seu repertório diário de metas as relacionadas com saúde, qualidade de vida e bons relacionamentos interpessoais. São esses os três elementos mais frequentemente indicados em pesquisas científicas como preditores de felicidade. Lembre-se: felicidade é também direito e todos nós merecemos vivê-lo agora. Por favor, não espere janeiro de 2023.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade