UAI
Publicidade

Estado de Minas artigo

Novembro Roxo alerta sobre a prematuridade

Um pré-natal bem-acompanhado, principalmente nas mulheres com algum risco, é de fundamental importância


12/11/2021 04:00




Tilza Tavares
Pediatra, neonatologista, diretora técnica do Neocenter Maternidade – Belo Horizonte

Todos os anos, a campanha Novembro Roxo é celebrada internacionalmente em 17 de novembro com o objetivo de conscientizar a sociedade sobre o parto prematuro e a prematuridade. Conforme estudo da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz), anualmente, nascem no mundo cerca de 15 milhões de prematuros, ou seja, 10% do total de nascimentos. No Brasil, a taxa chega a 11,5%. Essa realidade levou à criação da campanha, sustentada em três pilares: o primeiro, a importância da prevenção; o segundo, o cuidado com o prematuro que já nasceu; e o terceiro, a conscientização da sociedade ao receber esse indivíduo na comunidade.

Bebê prematuro é toda criança que nasce com menos de 37 semanas. Os prematuros são classificados em prematuro extremo (bebê que nasce com menos de 28 semanas), o muito prematuro (que nasce entre 28 e 31 semanas e 6 dias), o prematuro moderado (entre 32 e 33 semanas e 6 dias), e o prematuro tardio (de 34 a 36 semanas e 6 dias).

As causas da prematuridade são várias: gestação múltipla, tabagismo, uso de álcool na gravidez, a insuficiência placentária (quando a placenta não consegue nutrir o feto), doenças maternas como diabetes e hipertensão e infecção materna. História de outro parto prematuro, mãe com problema prévio de pressão alta, diabetes, gestação gemelar, infecção durante a gravidez são também fatores de risco. Dentro desste quadro, os bebês prematuros extremos exigem maior atenção, pois estão mais sujeitos à displasia broncopulmonar, à retinopatia, à hemorragia intraventricular e à leucomalácia periventricular. Sua sobrevida gira em torno de 85%.

Importante observar que as famílias de bebês prematuros podem administrar muito bem as suas dificuldades. A presença de uma deficiência na criança, inclusive, não impossibilita a qualidade de vida na adolescência.

Eles podem ter um cognitivo normal, mas, geralmente, são pessoas muito introjetadas e frágeis. Nesse sentido, a escola precisa saber e entender o que é esta luta pela sobrevivência. Por sua vez, os pais têm um poder de superação que não conseguimos imaginar. Aprendem a viver um dia de cada vez e sabem que seus filhos serão sempre o melhor que puderem ser, dia após dia.

Os prematuros de extremo baixo peso têm um desfecho mais favorável do que as pessoas esperam. Apesar das dificuldades, têm uma vida independente, estão empregados e vivem como aqueles que nasceram com bom peso.

Importante destacar que quanto mais prematuro, maior tempo de internação. Hoje, houve muito avanço na assistência médico-hospitalar à prematuridade. O grande divisor de águas foi o corticoide materno, administrado durante a gestação. Os ventiladores mais modernos também fizeram a diferença no desfecho desses bebês, além do refinamento do cuidado.

Importante ressaltar que um pré-natal bem-acompanhado, principalmente nas mulheres com algum risco, é de fundamental importância na prevenção da prematuridade, além do cálculo da data provável do parto.

Finalizando, importante dizer para a futura mãe seguir as orientações de seu obstetra. Assim, terá uma gestação segura.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade