UAI

Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Negócio alinhado com a pauta ESG


22/10/2021 04:00

Jandaraci Araújo
Conselheira de administração e cofundadora do Conselheira 101. Também é conselheira emérita do Capitalismo Consciente Brasil, conselheira no CIEE SP, entre outros

A pauta ESG, como sabemos, está relacionada ao mundo corporativo e nunca esteve tão evidente como agora. A sigla ESG (Environmental, Social and Governance) é uma necessidade para qualquer empresa, independentemente do tamanho, que se preocupe com o futuro e com a sua perpetuidade no mercado. Muitos negócios já começam colocando entre suas pautas não só o pilar ambiental, mas também o social e a governança. Ser reconhecido por cuidar do meio ambiente, promover impacto social positivo e adotar uma conduta corporativa ética é fundamental para o negócio prosperar. Já é sabido que a nova versão do capitalismo, o capitalismo de stakeholders, abarca não apenas o "S - Social", da sigla ESG, como também o "E - Environment" e o "G - Governance", pois não são temas dissociados, como pode aparentar em princípio.

Para contextualizar, segundo uma pesquisa feita na América Latina pela Sherlock Communications – que nada mais é que um recado para as empresas –, para as companhias instaladas no Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, México e Peru: 94% dos entrevistados afirmaram que as empresas precisam investir mais em iniciativas sociais e ambientais. Entre as nacionalidades ouvidas, os brasileiros são os que mais se importam com a responsabilidade social corporativa, nove em cada 10 pessoas. O que isso comprova? Que consumidores e investidores despertaram e não aceitam mais a justificativa do lucro "a qualquer custo".

Os benefícios para começar alinhado com os princípios ESG podem ser inúmeros, principalmente na perspectiva financeira, já que podem atrair mais investidores alinhados com a pauta. Além disso, tem um claro ganho de vantagem competitiva, seja pelos seus consumidores que se tornam embaixadores da marca, seja pela publicidade positiva que eles promovem. Empresas com reconhecidas práticas sociais e critérios de governança elevados tendem a ter uma cultura mais inovadora, colaboradores mais engajados e consequentemente uma baixa rotatividade.

Escolher o ESG como estratégia, mais do que uma moda do mercado, deve nos mover a responder à seguinte pergunta: como meu negócio pode contribuir para um mundo melhor, seja sob a perspectiva ambiental e/ou social, e ainda ter sustentabilidade financeira?. A dica é: comece simples, informe-se sobre os benefícios fiscais disponíveis para empresas que têm práticas sustentáveis. Não há uma fórmula única, um modelo-padrão, mas há vários caminhos, simples e fáceis de serem implementados.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade